A proliferação das grandes superfícies comerciais é uma das causas do desaparecimento das chamadas feiras tradicionais. A Feira de Espinho, que se realiza à 2.ª feira na Avenida 24, "já teve dias melhores", como alguns feirantes afirmaram ao "ONDAS DA SERRA".

O jogo em Espinho é tão ancestral como os primeiros palheiros da antiga povoação. Jogos de cartas, vermelhinha e dados, foram lazer dos nossos pescadores em horas de ócio. Assim, quando os "ovareiros” chegavam do sul para a pesca nas nossas águas, tinham como distração o jogo à sombra das embarcações. Em 1865, Espinho já possuía tavernas de jogo a pataco. Tratavam-se das "Pataqueiras Clandestinas”. Em 1990 existiam variadíssimas "batotas pataqueiras” recatadas da vista do público, com reposteiros nas portas, escondendo assim a clientela do olhar dos que por ali passavam.

As dunas litorais constituem uma zona de interação entre o continente e o oceano na zona de Espinho. Uma disposição permanente de areia e progressiva fixação de vegetação, determina a formação das nossas dunas, sua manutenção e consolidação, conferindo-lhe estabilidade.

Situada a sul do Concelho em Paramos, constitui uma área de interesse ecológico, paisagístico e recreativo possuindo uma grande diversidade ornitológica e vegetal, sendo de referir que algumas das espécies existentes constam nas " Diretivas do Conselho das Comunidades Europeias relativas à conservação das aves selvagens".

Espinho possui 8Km de praias, que desde 1830 são procuradas pelo clima ameno, areais extensos em conjunto com rochas marinhas repletas de algas em certas zonas que proporcionam a cada veraneante a possibilidade de escolher a praia da sua preferência.

Pub