Restaurante Oxalá: Que cena! Restaurante Oxalá - R. Família Colares Pinto - Ovar
sexta, 15 setembro 2017 17:54

Restaurante Oxalá: Que cena! Destaque

Classifique este item
(7 votos)

O desejo de Amândio e Augusta Rebelo em oferecer bons momentos concretizou-se em 1991. Oxalá vestiu novos significados e consolidou-se como um dos restaurantes mais icónicos da cidade de Ovar. O compromisso é com as pessoas e com o seu bem-estar. Mais do que comida, o Restaurante Oxalá revoluciona o conceito de gastronomia requintada há 26 anos e atrai atenções em todo o mundo.

José Rebelo, mais conhecido pelo "Zé do Oxalá"A qualidade do que é ser português encontra uma das suas melhores homenagens num projeto familiar que já se afirmou como galeria de arte e ode às emoções. O sentido da cultura lusa vive no seu interior, fiel à simplicidade, ao detalhe, ao humor e ao menu. “Os pequenos gestos são o segredo da nossa casa”, revela José Rebelo. Conhecido como “Zé do Oxalá”, o anfitrião de 42 anos é o rosto, a voz e o carácter do investimento nas pessoas e nos sabores portugueses.

O hall de entrada deixa descobrir produtos regionais, como o queijo, o presunto e os enchidos, acompanhados por espumante. A abertura de uma nova garrafa é sempre um momento de celebração, marcada pelo ritual de fazer pontaria a um gongo.

A viagem pode demorar o tempo que cada cliente delinear. É o primeiro momento de convívio entre famílias, amigos e equipa do Oxalá. Atualmente, “o restaurante tem 26 colaboradores com uma grande responsabilidade”, partilha o homem que um dia foi rapaz e se mudou de Vieira do Minho para Ovar com apenas 12 anos para se dedicar à restauração. “Honra, glória, esforço, sacrifício e honestidade são as fundações do nosso serviço. A honra é a maior riqueza do ser humano e todos nós enquanto equipa temos a honra de representar a empresa”, conclui.

A Sala Vintage e a Sala Privada são alguns dos cenários possíveis numa estrutura idealizada para servir os clientes em todas as suas necessidades. Com capacidade total para mais de 250 pessoas, o restaurante erguido em frente à Marina de Ovar garante que “cada pessoa tem o seu espaço”. Se a comida é essencial para o sucesso, servir é o detalhe que faz a diferença. “Mais do que formar profissionais, formamos pessoas e esse tem sido a nossa aposta em quase três décadas de trabalho”, refere José. É impossível não se sentir especial num restaurante que rompe convenções e ensina como equilibrar elegância, simplicidade, requinte e humanismo.

“Temos pessoas com mais de quinze anos de casa e isso motiva-nos imenso. Grande parte das pessoas que trabalham connosco cresceram comigo e com o Oxalá. Não queremos ser mais um. As pessoas da nossa equipa têm de marcar a diferença.”. As palavras do sócio-gerente deixam claro o carisma do projeto familiar. Entre as especialidades, a Sinfonia Marítima, a Feijoada de Marisco e o Robalo ao Sal são as que mais suspiros roubam. A entreajuda com a cidade de Ovar reflete-se na preferência por produtos regionais, promovendo parcerias com os pescadores da cidade ou com a indústria local. “Queremos que as pessoas venham cá e se sintam em casa. Temos cortiça, cordas, vinhos portugueses, produtos típicos e centenas de fotografias”. O pão-de-ló de Ovar é um dos doces para prova quando chega a aguardada altura das sobremesas. Uma iguaria que delicia portugueses e estrangeiros: “muitos clientes não só pedem para provar como também nos perguntam se podem levar. É uma das melhores coisas que temos na nossa cidade”.

O “Zé do Oxalá” dedica-se particularmente às pessoas. A sua especialidade é proporcionar-lhes momentos únicos e guardá-los nas paredes forradas com sorrisos. Hoje, é conhecido e apreciado por muitos, com amigos em praticamente todos os países do planeta Terra. A expressão ‘Que Cena’ é o seu cartão de identidade: “Passo muitas cenas e foram elas que criaram o Oxalá e a minha relação com as pessoas. Que cena é um escape momentâneo e que digo com espontaneidade. Nós damos o momento às pessoas e hoje temos amigos e clientes que fazem facilmente 300 km para virem almoçar ou jantar ao nosso restaurante”.

Aberto todos os dias, o restaurante Oxalá serve almoços e jantares e pode ser procurado para celebrar casamentos, aniversários, batizados, comunhões, reencontros de famílias ou apenas a felicidade. A oferta de flores a casais, os cafés que rolam pelas mesas, a queda de garrafas. Tudo conflui para relembrar que a missão do Oxalá é ajudar as pessoas a sentirem-se bem. Receber pessoas de todo o mundo é “simultaneamente gratificante e uma responsabilidade”, confessa José Rebelo. “Precisamos de estar atentos às novidades e de investir”. A satisfação é a melhor recompensa para este empresário português que não passa mais de 24 horas a trabalhar porque não lhe deixam.

“Enquanto o Oxalá puder dará dignidade ao nome e trabalhará sempre para dar mais à cidade de Ovar.”. A declaração é do anfitrião do restaurante que ninguém esquece depois de visitar pela primeira vez. “Ainda temos muito potencial para crescermos e a restauração tem um papel gigante no crescimento do nosso município. É preciso ter honra quando se diz ‘Eu sou de Ovar’ e lutar pelo que é nosso”. O orgulho é inquestionável em cada palavra proferida. Fica o apelo à união de sinergias e a garantia de que este continuará a ser o espaço onde Portugal vive no seu melhor.

 

 

 

Lida 2265 vezes

Autor

Ricardo Grilo

Histórias capazes de entrar em contacto com as emoções de quem as lê justificam a minha paixão pelo jornalismo. Natural de Santa Maria da Feira, acredito no potencial de um concelho em ensaios para escrever a sua autobiografia. Aos 24 anos, e enquanto colaborar do ‘Ondas da Serra’, procuro a beleza em escrever sobre uma terra tão especial.

Itens relacionados

Orquestra Criativa integra projeto internacional

Desde setembro que a Orquestra Criativa de Santa Maria da Feira faz parte do projeto internacional “Pinocchio Joins the Orchestra in the S.TR.E.E.T”, que levará a experimentação musical de Santa Maria da Feira a encontros internacionais na Itália e Sérvia.

Museu do Papel assinala 16 anos com visitas guiadas e workshops gratuitos

Para assinalar os 16 anos de abertura ao público, o Museu do Papel Terras de Santa Maria, em Paços de Brandão, vai promover visitas guiadas e workshops gratuitos, entre os dias 24 e 29 de outubro, integrados na Semana Aberta. As visitas guiadas vão realizar-se diariamente, de hora-a-hora, entre as 10h00 e as 17h00, sendo que a última visita do dia começa às 16h00.

Museu da Chapelaria

O "Ondas da Serra" deslocou-se ao Museu da Chapelaria, situado em São João da Madeira, e falou com Joana Galhano, que trabalha neste espaço municipal desde 2005, "quando começou a ser desenvolvido o projeto de investigação que durou 10 anos, aos quais se podem acrescentar os 12 anos que passaram desde a sua abertura." O Museu da Chapelaria é um dos quatro que existe na União Europeia, sendo uma "instituição de natureza permanente, criada para o interesse coletivo."

Faça Login para postar comentários
Pub