quarta, 07 setembro 2016 22:21

Pão de ló de Ovar doce "mal cozido" Destaque

Classifique este item
(0 votos)

O Pão-de-ló de Ovar é um doce regional tradicional deste concelho, caraterizado por ser confecionado com a gema do ovo e o seu aspeto molhado e aparentemente “mal cozido”, que acabam por lhe conferir o seu carácter único e representativo da identidade vareira.

Segundo Rui Catalão da APPO, Presidente da Associação dos Produtores de Pão de Ló de Ovar, não existe nenhum segredo na sua confeção, sendo a qualidade e mérito do produto assegurados pelo carinho, dedicação e orgulho que os produtores colocam na sua confeção.   

Este doce leva farinha, açúcar, ovos, é batido, leva ou não sal, sendo cozido em fornos e vasilhas de barro próprias a uma temperatura oscilante entre 180 e 220 graus, sendo retirados quase crus, acabando por cozer na forma.

César Liz Vice-Presidente da APPO afirma que os registos apontam como nascimento do produto o séc. XVIII, Ovar não possuía um convento mas tinha um colégio de Doroteias, uma das freiras tentou fazer um doce deste tipo mas por “defeito” ele acabou por sair com o aspeto molhado que tanto o carateriza. O doce começou por ser oferecido a altas individualidades políticas e religiosas. Os vareiros que trabalhavam em Lisboa ofereciam este doce aos seus chefes conhecidos por “fragateiros”.  

A APPO possui o direito legal exclusivo da gestão do produto, cabendo-lhe zelar pela sua qualidade, genuinidade e acima de tudo fazer cumprir os parâmetros estabelecidos manual de certificações, onde estão inscritas todas as regras da sua confeção, apresentação e higiene. Existe também a Confraria do Pão de Ló de Ovar que foi alias fundada pela APPO e possui a responsabilidade da sua divulgação.

APPO representa a maioria dos produtores que atualmente são 10, mas nem todos aderiram à mesma, sendo que o mais antigo do concelho preferiu ficar de fora. Atualmente já existem produtores fora da sede do concelho em Esmoriz, Cortegaça e São João de Ovar. A associação presta todo o apoio aos seus membros, ajuda na sua confeção e em termos legislativos e regulamentares.  

Recentemente a União Europeia publicou no Jornal das comunidades a aprovação da denominação do produto.

Vídeo com entrevistas realizadas aos representantes da APPO e onde poderá conhecer também as várias fases da confeção deste doce.

 

Lida 257 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social com distribuição da informação pela Internet, que visa promover a identidade regional e o turismo através da promoção da cultura, património, monumentos, museus, desporto, economia, gastronomia, ecologia e coletividades dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca e dos restantes municípios desta região.

Itens relacionados

Município acolhe festival gastronómico da enguia da ria

MURTOSA ACOLHE MAIS UMA EDIÇÃO DO FESTIVAL GASTRONÓMICO DA ENGUIA DA RIA

O Cais do Bico, na Murtosa, volta a acolher, nos dias 7 e 8 de outubro, um grande festival, que exalta a Enguia da Ria, indiscutivelmente, a mais importante marca gastronómica deste Concelho, localizado em pleno coração da laguna.

Restaurante Oxalá: Que cena!

O desejo de Amândio e Augusta Rebelo em oferecer bons momentos concretizou-se em 1991. Oxalá vestiu novos significados e consolidou-se como um dos restaurantes mais icónicos da cidade de Ovar. O compromisso é com as pessoas e com o seu bem-estar. Mais do que comida, o Restaurante Oxalá revoluciona o conceito de gastronomia requintada há 26 anos e atrai atenções em todo o mundo.

Ribeira de Pardelhas recebe festival “Sabores da Ria”

A Ribeira de Pardelhas, na Murtosa, volta a acolher, no fim-de-semana de 24 e 25 de junho, o Festival “Sabores da Ria”, organizado, em parceria, pela Confraria Gastronómica “O Moliceiro” e pelo Município da Murtosa, que tem a pretensão de divulgar o enorme potencial gastronómico de um conjunto de espécies da Ria de Aveiro, como o choco, os bivalves ou o linguado, que normalmente não têm a projeção das especialidades mais conhecidas, como a enguia, a lampreia e o sável.

1 comentário

Faça Login para postar comentários
Pub