quinta, 25 maio 2017 23:25

Zé “Caranguejo” – O calceteiro

Classifique este item
(2 votos)

José Dias de Oliveira Gonçalo nasceu em 12 de janeiro de 1952 na Rua Castilho, Poço de Baixo, Ovar: "Quero reformar-me para dar trabalho aos meus colegas da Câmara Municipal, aos mais novos", diz o Sr. José Caranguejo.

A alcunha é de família: "Pode tratar-me por Zé Caranguejo, que não levo a mal. Muito pelo contrário! Até gosto que me chamem Caranguejo, porque assim recordo-me do meu pai, José Moreira de Oliveira Gonçalo, que foi varredor na Câmara. Era da Ribeira de Ovar e tocava viola braguesa. Aprendi a tocar viola com ele... Também andei no Rancho da Ribeira. Não tenho uma fotografia do meu pai, mas gostava de ter." O sino da Matriz interrompeu o início da conversa. Agora vou ter de ir marcar o ponto ao Centro de Arte de Ovar, mas, se quiser, pode ir comigo. Pelo caminho conversámos sobre a arte onde o Sr. Caranguejo é mestre: "Sou calceteiro, sim, com muito orgulho. Aprendi isto com o Barnabé e o José Pinto. Era servente deles. Chegava-lhes as pedras, e via como é que eles faziam. Esta calçada portuguesa por onde estamos a passar está bem feita, as raízes destas árvores ainda não vieram cá para cima", graceja o calceteiro, confessando que fica "triste e chateado" quando não deixam o passeio em condições. "As pessoas, depois, queixam-se... Este alto que está a ver aqui é da água. Abriram o buraco para consertar o tubo e não fizeram a reposição devida." Disse-nos que é funcionário da Câmara Municipal desde o ano de 1979: "Andei primeiro nas Águas, e sempre fiz tudo e mais alguma coisa... Até faço martelos, as minhas próprias ferramentas. É verdade ou mentira?", diz, virando-se para o outro funcionário da Câmara, que está a aprender a arte de calceteiro com o Sr. Zé Caranguejo, ali junto aos Correios. "Foi a Câmara que me mandou fazer aquela parte do adro da Igreja Matriz que você fotografou no outro dia, onde estão as árvores, as esculturas do Muge. Aquilo ficou bem! Ovar é a terra do azulejo, mas também tem a bela calçada, seja em calcário ou em paralelos de granito", lembra o Sr. Caranguejo, rematando: "Tenho 65 anos, estou quase a ir para a reforma, mas se me pedirem para ensinar outros jovens, ensino, porque tenho muito gosto que eles continuem esta minha arte, que está a acabar. O problema é que, quando termina o contrato, eles vão embora."

 

  

Fernando M. Oliveira Pinto (texto e fotos)

Clique neste link para ver a galeria de Fotografia deste jornalista ovarense

https://www.flickr.com/photos/fernandomanueloliveirapinto/

Lida 660 vezes Modificado em sexta, 21 julho 2017 02:04

Autor

Fernando Pinto

Fernando Manuel Oliveira Pinto nasceu no dia 28 de junho de 1970, em Ovar. Jornalista profissional, fotógrafo e realizador de curtas-metragens de vídeo. Escreve poesia e contos. A pintura é outra das suas paixões. Colaborador do "Ondas da Serra".

Itens relacionados

Deolinda Silva | A pequena dos chapéus

Ondas da Serra esteve à conversa em São João da Madeira com Deolinda Silva, conhecida na terra carinhosamente pela “Pequena dos Chapéus”. Mas Deolinda já não é pequena, tem 64 anos de idade, mas ainda trabalha nos chapéus. Esta senhora é natural e residente desde sempre em Casal Novo – Cucujães, tem dois filhos e um casal de netos. Deolinda é do tempo em que as coisas eram mais imutáveis, os empregos, residências e famílias. Nós fomos ter com ela à antiga fábrica “Empresa Industrial de Chapelaria”, onde atualmente funciona o Museu da Chapelaria, para nós ajudar tínhamos à nossa espera Joana Galhano.

Restaurante Oxalá: Que cena!

O desejo de Amândio e Augusta Rebelo em oferecer bons momentos concretizou-se em 1991. Oxalá vestiu novos significados e consolidou-se como um dos restaurantes mais icónicos da cidade de Ovar. O compromisso é com as pessoas e com o seu bem-estar. Mais do que comida, o Restaurante Oxalá revoluciona o conceito de gastronomia requintada há 26 anos e atrai atenções em todo o mundo.

Fernando Pinto – Artista ovarense

Fernando Manuel Oliveira Pinto nasceu em Ovar no dia 28 de junho de 1970. Jornalista profissional (licenciado em Jornalismo pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), ama as ARTES e as LETRAS. "Vareiro de gema" (como costuma afirmar), é fotógrafo e realizador de curtas-metragens de ficção (expõe regularmente o seu trabalho fotográfico e participa em festivais de Cinema e Vídeo), escreve poesia, contos e argumentos; a pintura a óleo e a acrílico é outra das suas paixões. Vejam, na GALERIA, algumas fotografias de Fernando Pinto, colaborador do "ONDAS DA SERRA".

Faça Login para postar comentários
Pub