Pág. 1 de 5

Investigação do Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática

Num cenário de catástrofe porquê arriscar a vida no reconhecimento do interior de um edifício desmoronado? A solução é um robô capaz de entrar nos escombros, mapear em três dimensões o espaço, detetar focos de incêndio e medir a temperatura, humidade e monóxido de carbono e, em tempo real, enviar os dados para o exterior. Pequeno e autónomo, o robô desenvolvido por um grupo de estudantes de Engenharia Electrónica e Telecomunicações da Universidade de Aveiro (UA) quer ser uma preciosa ajuda quando todos os minutos são essenciais para salvar vidas.

Sector empresarial ligado ao Mar aposta na formação de licenciados na Universidade de Aveiro

Três empresas nacionais ligadas ao mar vão pagar as propinas do 1º ano aos três melhores caloiros que entrem em setembro na Licenciatura em Ciências do Mar (LCM) da Universidade de Aveiro (UA). Os prémios de mérito atribuídos pelas empresas Porto de Aveiro, Alga+ e Hidromod reconhecem a importância e a necessidade de formação em Portugal de quadros superiores na área do Mar. Para além disso, o pagamento integral das propinas aos três alunos do curso ministrado no Departamento de Física (DFis) pretende igualmente ajudar o orçamento das famílias com filhos no Ensino Superior.

Investigação do Instituto de Engenharia Electrónica e Telemática de Aveiro

Esqueça-se os sensores no peito ou qualquer outro método usado hoje para medir o ritmo respiratório. Dá pelo nome de Bio-Radar, está a ser desenvolvido na Universidade de Aveiro (UA) e, através de ondas rádio, permite registar à distância a frequência respiratória humana. Eficaz, rápido e cómodo para doentes e médicos, o Bio-Radar já está a abrir as portas para a medição e registo de outros sinais vitais humanos por ondas de rádio.

A Câmara Municipal de Aveiro promove, de 12 a 16 de julho, a segunda edição do Festival dos Canais que irá apresentar várias atividades em toda a cidade de Aveiro. Todos os espetáculos têm entrada gratuita.

Programa Doutoral em Estudos Culturais da Universidade de Aveiro

Tinha 77 anos quando entrou na Licenciatura em Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro (UA). Concluiu o curso 4 anos depois com a média de 15 valores. Na altura prometeu que não iria ficar por aí. Amanhã, dia 5 de julho, vai cumprir a promessa. Aos 85 anos, Brasilino Godinho vai defender a tese de Doutoramento em Estudos Culturais sobre Antero Quental e tornar-se, provavelmente, num dos estudantes a concluir o doutoramento com mais idade do mundo. E volta a prometer seguir em frente: “Quero fazer um pós-doutoramento”.

Pode ser a chave para o grave problema ambiental dos microplásticos nos oceanos, acaba de ser descoberta na Universidade de Aveiro (UA) e dá pelo nome de Zalerion maritimum. Trata-se de um fungo marítimo que não só consegue degradar o microplástico como o faz de forma rápida e eficiente. Esta é a primeira solução ecológica alguma vez descoberta para combater os plásticos nos oceanos já que ao otimizar-se o raro apetite do fungo recorre-se a uma solução oferecida pelo próprio mar.

Pág. 1 de 5