Exercício aproxima alunos dos agentes de proteção civil

Classifique este item
(0 votos)

“Houve um tremor de terra, os meus colegas foram-se embora com a professora e eu fiquei para trás e caí”. Com este relato do Pedro, 8 anos, percebemos que o simulacro de tremor de terra foi vivido com grande seriedade e responsabilidade pelos 251 alunos do Centro Escolar de Salreu. O Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) esteve na escola na passada sexta-feira com o objetivo de sensibilizar para os comportamentos a adotar em caso de sismo.

No âmbito do exercício nacional A TERRA TREME que marcou o Dia Internacional para a Redução de Catástrofes, na passada sexta-feira, 13 de outubro, pelas 10h13, o SMPC decidiu promover um simulacro, antecedido de uma semana de preparação junto dos 251 alunos do Centro Escolar de Salreu, desde o pré-escolar ao 4º ano. E no final o resultado não podia ser melhor. Souberam como agir num momento de “grande aprendizagem”, sublinha orgulhosa a coordenadora da escola, Graça Ribeiro. “Os próprios alunos quiseram participar como se de facto se tratasse de uma situação verdadeira”, acrescenta.

Diamantino Sabina, na qualidade de presidente do SMPC, assistiu ao exercício e também deu uma nota muito positiva aos alunos. “Aprenderam muito bem a lição. É muito bom eles reterem estes conceitos de segurança. Para isso existe a Proteção Civil e a antecipação” destas situações que conferem os “necessários ensinamentos” para agirem em situação de catástrofe.

Marisa Machado, do SMPC, acredita que a realização de exercícios como este “leva a que numa situação real possam agir com mais naturalidade e de uma forma mais mecanizada sem pensar no que está a acontecer. Já o temos feito para outro tipo de cenários e estamos abertos a mais iniciativas.”

Margarida Guedes, do CDOS – Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro, reforça e sublinha que “as escolas em Estarreja já têm o hábito, felizmente, de ter esse contacto com os agentes de proteção civil porque há muita dinâmica nesta área”.

Relativamente à ação de sexta-feira, 13, “deu frutos e espero que continuem a interiorizar essas atitudes de manterem a calma e de saberem que têm que se dirigir calmamente para o ponto de encontro. A ideia é passar esta informação a toda a população. Qualquer um de nós deve interiorizar os 3 gestos muito simples que nos podem ajudar”. BAIXAR, PROTEGER E AGUARDAR são os 3 gestos que devemos executar em caso de sismo.

A iniciativa A TERRA TREME foi promovida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) para chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo, mas que podem salvar vidas.

No dia do simulacro, o Pedro foi o único dos 251 alunos que ficou para trás, mas teve o socorro imediato dos Bombeiros Voluntários de Estarreja que também participaram no exercício, assim como a GNR. No final, as entidades da proteção civil promoveram uma mostra de meios que encheu os alunos de curiosidade e permitiu o contacto direto com os agentes de proteção civil.

Lida 19 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social com distribuição da informação pela Internet, que visa promover a identidade regional e o turismo através da promoção da cultura, património, monumentos, museus, desporto, economia, gastronomia, ecologia e coletividades dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca e dos restantes municípios desta região.

Itens relacionados

Mealhada recebe torneio de nadador completo

As Piscinas Municipais da Mealhada recebem, já este fim de semana, o Torneio de Nadador Completo, uma prova que apura o campeão regional e, por sua vez, o campeão nacional.

Curso de programação vai decorrer na Sanjotec

Por iniciativa da Academia de Formação ATEC | Destinado a desempregados até aos 40 anos com 12.º ano de escolaridade

Estão a decorrer as inscrições para uma nova edição do Curso de Especialização Tecnológica (CET) em Tecnologias e Programação de Sistemas de Informação, que irá ter lugar na Sanjotec (Centro Empresarial e Tecnológico de S. João da Madeira), com início previsto para 4 de dezembro.

300 crianças sensibilizam para a importância das espécies de cá

Comemorações do Dia da Floresta Autóctone

Novembro é tradicionalmente a época ideal para plantar árvores de espécies autóctones, ou seja, originárias do nosso território e por isso mais adaptadas ao nosso clima e à biodiversidade. Mais de 300 crianças aceitaram o desafio da Câmara Municipal de Estarreja e vão plantar espécies nativas de forma a sensibilizar para a importância desta floresta em comemoração do Dia da Floresta Autóctone (23 de novembro).

Faça Login para postar comentários