Pág. 1 de 4

Fazer (20)

Fazer

Santa Maria da Feira é um concelho com uma grande história que tem no seu castelo um marco da fundação da nacionalidade. Através das suas ameias o visitante pode contemplar do alto sobranceiro à cidade, uma terra que oferece aos visitantes muitas opções para passar o seu tempo. Nas últimas décadas a empresa Feira Viva tem projetado o nome desta terra a nível nacional e internacional, através de vários eventos como a Feira Medieval, Imaginarius ou mais recentemente o Perlim, que fazem afluir à cidade milhares de pessoas.

A autarquia passou a gerir recentemente o Europarque, centro de congressos, que ainda não foi totalmente explorado e acreditamos que agora vai finalmente alcançar todo o seu potencial. Implantando numa bonita zona verde, com um lago povoado de peixes vorazes alimentados à mão pelos visitantes, ladeado por um rio com as suas frondosas árvores convida a passeios nos dias quentes de verão ou a piqueniques nos seus imensos relvados.

Mas o concelho é grande e possui outros atrativos, como o museu de papel e Paços de Brandão, ou a Ribeira do Uima em Fiães e aldeias escondidas duma beleza ímpar como Porto Carvoeiro em Canedo.

A discrição da sede da Rosto Solidário colide com a preponderância da organização não governamental para o desenvolvimento para a ação social em Santa Maria da Feira. A cooperação para o desenvolvimento, a educação e cidadania global e o apoio à família são os três eixos da associação que nasce pela impossibilidade de “ignorar o que se passa à volta das pessoas”, afirma o padre Pires.

A margem esquerda do Rio Inha em Canedo foi requalificada, dotando agora aquela parte do rio com uma bonita frente ribeirinha com cerca de três quilómetros. Quem circular pela Estrada Nacional 222 entre Canedo e Castelo de Paiva, antes da Ponte do Inha, vira à direita e desce para a Rua da Ribeirinha, onde começa o percurso, que termina no Rio Douro.

Ricardo Vieira imortaliza os compositores e as suas criações a cada concerto. O pianista nasceu em Santa Maria da Feira há 33 anos e hoje conquista plateias em todo o mundo. Dezassete anos depois do primeiro concerto com orquestra, no Teatro São Luiz, em Lisboa, garante que nunca vai com “receio para cima do palco”.

Tratam-se de excertos de realidades, cada um construído sem a menor preocupação com o outro. Não querem saber se encaixam nas expectativas que os restantes fragmentos possam ter. Numa clara postura narcisística, adotam o seu discurso, as suas crenças e as suas opiniões. São seis fragmentos vezes 60 com a subtileza de mudanças que ocorrem em segundos e que tantas vezes não são vistas.

1.165 freguesias foram extintas do mapa autárquico português na transição de 2012 para 2013. Espargo foi uma das freguesias agregadas. Seis anos depois, é o último nome da nova realidade territorial de uma união de freguesias a quatro em pleno coração do concelho de Santa Maria da Feira.  Mas freguesia agregada será freguesia extinta?

A viagem nasce na região de delta do Mississípi, com paragem obrigatória em Memphis, e amadurece à medida que se próxima do seu destino: Chicago. Percorre uma difícil estrada de confissões, conta histórias e vive cada emoção, sem tretas. Os Delta Blues Riders têm palmilhado Portugal a tocar para as pessoas. O concerto de amanhã no cineteatro António Lamoso será costurado à medida de cada uma destas vidas. Mais uma vez, sem tretas.

Pág. 1 de 4
Pub