Rio Inha em Canedo Rio Inha em Canedo
sexta, 29 junho 2018 01:59

Rio Inha em Canedo Destaque

Classifique este item
(0 votos)

A margem esquerda do Rio Inha em Canedo foi requalificada, dotando agora aquela parte do rio com uma bonita frente ribeirinha com cerca de três quilómetros. Quem circular pela Estrada Nacional 222 entre Canedo e Castelo de Paiva, antes da Ponte do Inha, vira à direita e desce para a Rua da Ribeirinha, onde começa o percurso, que termina no Rio Douro.

Albano Valente e Maria do Carmo DiasO percurso tem zonas asfaltadas e em terra batida. Nas suas margens é possível passear com tranquilidade, sentar-se nos bancos ali colocados, sentir a calma e desfrutar da paisagem. Nas suas margens podemos encontrar vários pescadores e no rio pessoas a praticar canoagem. Algumas das queixas que ouvimos das pessoas com quem falamos foi que deveria existir mais limpeza nas margens, ter mais caixotes do lixo, o rio ser mais limpo de restos de árvores, cinzas e proibição de transito a motos e carros na zona não asfaltada!

Encontramos a pescar no local Albano Valente, com 64 anos de idade, reformado das obras, que estava a tentar pescar lúcios, achegas ou tainhas. Disse ser casado e ter quatro filha e aquele é o seu passatempo predileto porque gosta de sentir o peixe com a cana. O seu maior trófeu foi em São Jacinto tendo pescado um congo com 13/14 quilos. Frisou também que o rio e as margens têm muito lixo, “Ainda hoje quando cá cheguei as pessoas tinham deixado uma saca com lixo”. O nível da água é conforme a cargas e descargas da barragem ali perto de Cestuma/Lever. Mas este pescador não estava sozinho ali perto a esposa Maria do Carmo Dias também pescava.

Leia também: Percursos pedestres/bicicleta em Aveiro

Rio Inha

O rio Inha é um dos afluentes da margem esquerda do rio Douro, que desagua entre a foz dos rios Arda (a montante) e Uíma (a jusante). Nasce no lugar de Cimo de Inha, na freguesia de Escariz, concelho de Arouca, e passa pelas freguesias de Romariz, do Vale e de Canedo, ambas do concelho de Santa Maria da Feira.

Faz a divisão entre o concelho de Santa Maria da Feira e Gondomar tendo de passagem uma grande ponte que faz a travessia entre estes dois concelhos de distritos diferentes chamada Ponte do Inha do Engenheiro Edgar Cardoso. É um rio que corre predominantemente encravado em encostas íngremes, sendo muito rico em pescaria fluvial nomeadamente a truta, bogas e barbos.

 

Lida 299 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social com distribuição da informação pela Internet, que visa promover a identidade regional e o turismo através da promoção da cultura, património, monumentos, museus, desporto, economia, gastronomia, ecologia e coletividades dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca e dos restantes municípios desta região.

Itens relacionados

É tão bonito! Onde fica?

O chão de madeira serpenteia entre a maior zona lagunar do Norte de Portugal com o brilho que só a natureza pode proporcionar. Os passadiços da Barrinha de Esmoriz, no concelho de Ovar, são o passeio idílico para amantes de praia, natureza e emoções. É bonito por tudo o que oferece a quem o visita. Simples e poderoso.

Pedalando por Válega e Avanca

Um destes dias fomos pedalar por Válega e Avanca. Iniciamos o percurso pela Rua Ponte de Pedra, perto da linha do norte da CP e do viaduto da Avenida D. Maria II em Ovar. Pedalamos alguns quilómetros em direção a sul, pela Rua do Afreixo, por um caminho de terra batida, sempre com a linha pelo nosso lado direito. A dada altura perto do apeadeiro de Válega tivemos que passar para o outro lado da linha e continuamos a pedalar em direção a sul, mas agora com a linha pelo nosso lado esquerdo.

Percursos pedestres/bicicleta em Aveiro

O nosso magnifico distrito possui dezenas de trilhos onde podemos observar a natureza, pássaros, insetos, flores, árvores e escutar um silêncio que dificilmente encontramos no meio urbano. Por vezes durante as caminhadas poderá cruzar-se com os habitantes desses locais, lembrem-se que um cumprimento e um sorriso não custam nada e fazem muito bem. Nós temos falado com pastores, pescadores, idosos e feirantes que sempre nós ensinam algo e nos relembram de outros tempos em que a sociedade estava mais unida.

Faça Login para postar comentários
Pub