Pág. 1 de 5

Fazer (25)

Fazer

Arouca possui bastantes potencialidades turísticas, caraterizada por uma rica gastronomia e doçaria conventual. Situada entre várias serras, com povoações plantadas em locais improváveis, possui uma atmosfera ímpar para as amantes da natureza, montanhismo, caminhadas, desportos radicais e fotografia. Os incêndios tem destruído muito do seu valioso património natural mas ainda subsistem manchas de floresta autóctone como o PR10, rota dos Aromas. Este percurso em conjunto com o PR1 Caminhos de Montemuro formam os únicos a não serem afetado pelos fogos. Arouca tem nos Passadiços do Paiva um dos seus cartazes mais conhecido mas não se esgota nele, descubra por si próprio as aldeias perdidas na serra, algumas desabitadas mas não abandonadas, como Drave, em cascata pelos montes como Regoufe ou Noninha. Gente hospitaleira e humilde acolhe quem os visita sempre com um sorriso no rosto.

“...torneia-se o monte e começa a descida para o vale de Arouca. A encosta e o vale igualam em beleza a Sintra e excedem-na em vastidão.”

Alexandre Herculano, 1854

A aldeia de Regoufe oferece muitas maravilhas para os amantes da natureza e caminhadas. O próprio local tem muitos pontos de interesse, sendo também ponto de partida para os percursos de Drave (PR 14 – A Aldeia Mágica) e Covêlo de Paivó (PR13 - Na senda do Paivó). O percurso que aqui vamos falar é o que fizemos para Covêlo de Paivó.

Chegar a Regoufe – Arouca não é fácil, mas vale o esforço. Esta aldeia fica localizada no fundo de um vale e mantém ainda viva os ecos do seu passado agrícola, com o cultivo da terra, a pastorícia e restos da sua historia mineira. Ao caminhar pelas suas lajes de pedra encontramos a cada virar da esquina velhos agricultores, rebanhos de ovelhas, cabras ou outros animais.

Ontem conseguimos finalmente realizar o nosso evento “Meditação nas Ondas da Serra”, depois de sucessivos adiamentos devido ao mau tempo, mas a espera valeu a pena. Mais de duas dezenas de pessoas participaram na nossa caminhada, num grupo constituído por pessoas de todas as idades e géneros, do Porto, Arouca e Ovar. Em conjunto partilhamos momentos especiais num dia que pensamos perdurará nas suas memórias.

Ondas da Serra vai comemorar o seu primeiro aniversário com uma caminhada em Rio de Frades - Arouca. Já vimos que este mês de março vai estar sempre a chover, por isso vamos voltar adiar o evento para o dia 22 de abril (domingo). O terreno por onde vamos andar não deve estar famoso e precisar de uns dias sem chuva. O percurso que vamos fazer era utilizado antigamente para o carteiro ir entregar o correio às aldeias de Cabreiros e Tebilhão, percorrendo sinuosos trilhos de montanha.

Os nossos leitores mais assíduos devem lembrar-se do artigo que fizemos sobre a Rota do Ouro Negro, que começa em Fuste e termina em Rio de Frades. Pois bem regressamos a este último local para explorarmos desta vez a Rota do Carteiro.

O ONDAS DA SERRA e o Espaço Yoga de Ovar organizaram, neste outono, um passeio a Drave. Desde 2003 que esta "Aldeia Mágica", enfiada numa cova criada pelo encontro das serras da Freita, São Macário e Arada, serve de Base Nacional ao Corpo Nacional de Escutas. Viaje com o nosso grupo, de 24 caminheiros, entrando na galeria que preparámos para si. Fotos de Fernando Manuel Oliveira Pinto.

Pág. 1 de 5
Pub