Pág. 1 de 5

Fazer (28)

Fazer

Arouca possui bastantes potencialidades turísticas, caraterizada por uma rica gastronomia e doçaria conventual. Situada entre várias serras, com povoações plantadas em locais improváveis, possui uma atmosfera ímpar para as amantes da natureza, montanhismo, caminhadas, desportos radicais e fotografia. Os incêndios tem destruído muito do seu valioso património natural mas ainda subsistem manchas de floresta autóctone como o PR10, rota dos Aromas. Este percurso em conjunto com o PR1 Caminhos de Montemuro formam os únicos a não serem afetado pelos fogos. Arouca tem nos Passadiços do Paiva um dos seus cartazes mais conhecido mas não se esgota nele, descubra por si próprio as aldeias perdidas na serra, algumas desabitadas mas não abandonadas, como Drave, em cascata pelos montes como Regoufe ou Noninha. Gente hospitaleira e humilde acolhe quem os visita sempre com um sorriso no rosto.

“...torneia-se o monte e começa a descida para o vale de Arouca. A encosta e o vale igualam em beleza a Sintra e excedem-na em vastidão.”

Alexandre Herculano, 1854

Ondas da Serra regressou Arouca para conhecer melhor a Serra da Freita, pelos caminhos do trilho “Viagem à Pré-História”.Esta é uma das épocas do ano mais aconselhadas para fazer este percurso, porque a mãe natureza acordou para florir as encostas despidas destes montes com urze, carqueja e giestas, pintando-as de tonalidades amarelas e lilases, que enchem o ar com doces odores perfumados.

A caminho de Arouca já passamos inúmeras vezes por Mansores, mas nunca paramos nesta terra. Desta vez a pretexto de fazermos o PR11 - trilho das levadas, subimos à Nª Srª do Rosário, no lugar da Vila, onde contemplamos os vales e montanhas que se estendiam em redor.

Ondas da Serra regressou ao local onde nasceu, nas encostas da Serra de Montemuro em Arouca. Não nos cansamos de trilhar os seus caminhos, respirar os seus ares e escutar os seus silêncios, por vezes distraídos pelos chocalhos dos rebanhos das vacas, cabras e ovelhas que já vão rareando.

A aldeia de Regoufe oferece muitas maravilhas para os amantes da natureza e caminhadas. O próprio local tem muitos pontos de interesse, sendo também ponto de partida para os percursos de Drave (PR 14 – A Aldeia Mágica) e Covêlo de Paivó (PR13 - Na senda do Paivó). O percurso que aqui vamos falar é o que fizemos para Covêlo de Paivó.

Chegar a Regoufe – Arouca não é fácil, mas vale o esforço. Esta aldeia fica localizada no fundo de um vale e mantém ainda viva os ecos do seu passado agrícola, com o cultivo da terra, a pastorícia e restos da sua historia mineira. Ao caminhar pelas suas lajes de pedra encontramos a cada virar da esquina velhos agricultores, rebanhos de ovelhas, cabras ou outros animais.

Ontem conseguimos finalmente realizar o nosso evento “Meditação nas Ondas da Serra”, depois de sucessivos adiamentos devido ao mau tempo, mas a espera valeu a pena. Mais de duas dezenas de pessoas participaram na nossa caminhada, num grupo constituído por pessoas de todas as idades e géneros, do Porto, Arouca e Ovar. Em conjunto partilhamos momentos especiais num dia que pensamos perdurará nas suas memórias.

Pág. 1 de 5