quarta, 11 janeiro 2017 18:51

Festa das Fogaceiras: o pão doce como símbolo de devoção Destaque

Classifique este item
(0 votos)

A má sorte e as catástrofes naturais levaram o povo de Santa Maria da Feira a pedir proteção ao Mártir S. Sebastião. Em troca, uma procissão e a oferta de um pão doce e delgado – a fogaça – em cada dia 20 de Janeiro. Mais de 510 anos depois, a Festa das Fogaceiras impõe-se como a mais antiga e simbólica festividade religiosa do concelho.

Confecionado apenas para ocasiões especiais, a fogaça é a protagonista das festividades que se prolongam ao longo do mês de Janeiro e símbolo de união. Referido em vários documentos medievais, este pão doce não simboliza apenas as quatro torres do castelo da Feira, mas afirmou-se enquanto voto sagrado dedicado ao Mártir S. Sebastião, dando origem ao nome da maior festa religiosa centenária realizada neste Município – a Festa das Fogaceiras.

Peças de teatro, concertos e exposições de arte nos 31 dias de Janeiro preparam as comunidades santamarianas para o epítome das celebrações: a tradicional procissão das fogaceiras, a 20 de Janeiro. Pelas 15h30, o centro do concelho torna-se palco da celebração de uma tradição secular com 512 anos de história. A Festa das Fogaceiras também é celebrada na Venezuela, Brasil e África do Sul pelas comunidades portuguesas.

Para aceder ao programa completo da Festa das Fogaceiras, aceda ao website da Câmara Municipal da Feira aqui.

 

 

Lida 661 vezes

Autor

Ricardo Grilo

Histórias capazes de entrar em contacto com as emoções de quem as lê justificam a minha paixão pelo jornalismo. Natural de Santa Maria da Feira, acredito no potencial de um concelho em ensaios para escrever a sua autobiografia. Aos 24 anos, e enquanto colaborar do ‘Ondas da Serra’, procuro a beleza em escrever sobre uma terra tão especial.

Itens relacionados

São João de Fontoura na Rota dos Cerejais

Os vastos horizontes que se têm aberto ao Ondas da Serra levaram-nos para fora de Aveiro para ver outras maravilhas do nosso país, desta vez fomos até São João da Fontoura em Resende, para degustarmos a sua Rota dos Cerejais.

Caldas de São Jorge | Terra de mártir, poesia, rio e águas termais

Caldas de São Jorge é uma freguesia de Santa Maria da Feira, bastante conhecida pelas suas águas termais, mas que tem outras riquezas à espera de serem descobertas.

Pateira de Fermentelos | Uma idílica viagem à tranquilidade

Um destes domingos com sol radioso fomos explorar a Pateira de Fermentelos ou de Espinhel como é também conhecida, localizadas em Águeda. Partimos à aventura em Oís da Ribeira, tendo começado o percurso junto ao seu parque de lazer. Como guia para a nossa caminhada seguimos o PR1, que passa também junto aos rios Cértima e Águeda.