Santa Maria da Feira (61)

Santa Maria da Feira

Situado a sul da AMP, na confluência de um importante conjunto de vias de comunicação, que lhe garantem proximidade aos grandes centros urbanos do Porto, Aveiro e Coimbra, o concelho de Santa Maria da Feira caracteriza-se por uma indústria dinâmica e diversificada, sediando o maior centro mundial de transformação de cortiça e a maior concentração de indústria do calçado, destacando-se também as indústrias de metalomecânica, metalurgia, papel, cerâmica, lacticínios, brinquedos, puericultura e equipamentos para crianças.

Santa Maria da Feira possui importantes motivos turísticos de natureza monumental e paisagística, com destaque para o Castelo, notável exemplar da arquitetura militar medieval, as Termas S. Jorge, considerada uma das melhores estâncias termais do país, o Museu Convento dos Lóios, o Museu de Papel Terras de Santa Maria e o Castro de Romariz. Destaca-se também o complexo do Europarque e Visionarium, o Museu de Santa Maria de Lamas e o Parque Ornitológico Municipal - Zoo de Lourosa, que reúne fauna proveniente dos cinco continentes, devidamente integrada no seu habitat natural, e muitas espécies raras em vias de extinção.

A dinâmica deste concelho passa também pela forte aposta em atividades de interesse cultural e turístico: a Festa das Fogaceiras, o Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua, e com especial destaque a Viagem Medieval em Terra de Santa Maria, evento de grande relevo que, durante dez dias, recria espaços e episódios históricos da época medieval.

Fonte: portal.amp.pt

Espaço dedicado à História e ao Património, tem o propósito de salvaguarda, valorização e divulgação dos testemunhos e memórias da herança histórica e cultural do concelho e da região, promovendo diversas atividades de manifesto interesse ao entendimento da diversidade cultural e regional e também nacional. Apresenta na exposição permanente núcleos de Arqueologia, História e Etnografia, onde explica a origem do Homem, a evolução e o desenvolvimento de um vasto território administrativo que outrora se designava por Terra de Santa Maria.

O Castelo de Santa Maria da Feira é um dos mais notáveis monumentos militares portugueses. A diversidade dos seus recursos defensivos utilizados entre os séculos XI e XVI faz dele uma peça única da nossa arquitetura militar.

Velvet N’ Goldmine convida o público a habitar o espaço, a assistir de pé à “ascensão e queda do corpo”. Flavio Leihan estreia-se em Santa Maria da Feira enquanto autor, embora pise o palco do cineteatro António Lamoso desde os 11 anos. Natural do concelho que agora é incentivado a despir-se de preconceitos, o artista falou em entrevista exclusiva ao Ondas da Serra sobre um espetáculo com data marcada para 4 de Março, às 22h00.

A história moderna do homem principalmente nos países ocidentais é pautada por um considerável progresso em todas as áreas desde a saúde, tecnologia, à ciência. Mas nem sempre foi assim, esta era de abundância é recente e pode não ser duradoura. Em meados do século passado em Portugal o povo subsistia como podia, sendo conhecida nas aldeias a história duma “sardinha para três”. O povo vivia da agricultura e a indústria escasseava, vivia-se o “orgulhosamente sós” do Estado Novo.

Manuel Faria Plácido Resende. Nasceu em 1930, no Lugar dos Moinhos, freguesia de Sanfins, Santa Maria da Feira. Feirense há 86 anos, o “Senhor Plácido” assim como é conhecido na terra, apresenta uma lucidez indescritível no seu discurso. As suas memórias e vivências, quando contadas na primeira pessoa, são como uma fotografia real de todo o seu percurso. Ouvir as histórias é sinónimo de mergulhar no passado desta personalidade que se mistura inexplicavelmente com a realidade da ancestral e saudosa “Vila da Feira”. Fotografia, pintura e música são as suas principais paixões e traduzem a eloquência das suas palavras quando atrás de si já ultrapassou toda uma vida.

A 20 de Janeiro de 1949, Filomena Reis recitava 9 quadras da autoria de um feirense cujo mérito era já reconhecido, Domingo Trincão. Uma homenagem prestada pela sua sobrinha e que o Ondas da Serra recupera 68 anos depois.