terça, 16 maio 2017 02:23

IMAGINARIUS 2017 · 25 | 26 |27 MAIO

Classifique este item
(0 votos)

IMAGINARIUS 2017 · 25 | 26 |27 MAIO  | “think about a new world” 

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira chega à sua 17ª edição com foco na sociedade, na criação artística contemporânea e na capacitação criativa. Num ano único de afirmação internacional de Santa Maria da Feira como a Cidade das Artes de Rua e de Portugal como um país emergente no centro da dinâmica de circulação europeia no setor, o Imaginarius coorganiza e acolhe o FRESH STREET#2, o maior seminário internacional para profissionais das Artes de Rua.

Fotogaleria com as companhias do Imaginarius.

Fotogaleria das Companhias presentes no "IMAGINARIUS INFANTIL"

Fotogaleria das Companhias presentes no "MAIS IMAGINARIUS"

 

A afirmação do setor em Portugal cruza-se, assim, com a evolução e o posicionamento do festival Imaginarius à escala internacional, abrindo portas a uma edição única no que às oportunidades para profissionais do setor diz respeito e ao desenvolvimento de novas abordagens criativas e de exploração estética e sensorial do espaço público.

 De 25 a 27 de maio, o centro histórico de Santa Maria da Feira volta a transformar-se num palco único de experiências para todas as idades. Com um programa artístico que concetualmente coabita na antítese entre a cegueira e a luz, o Imaginarius apresenta, em 2017, um conjunto de propostas artísticas de todo o Mundo que nos farão refletir a sociedade e a nossa forma de ser e estar. Um percurso através da reflexão social e do modus vivendi da atualidade dá o mote a uma edição que explora o espaço urbano nas suas diversas camadas, oferecendo ao público experiências diferenciadas, através de múltiplas abordagens e reflexões artísticas.

A criação artística contemporânea continua a ser o eixo central de pensamento criativo do Imaginarius, oferecendo a artistas consagrados e emergentes a oportunidade de trabalhar e expressar a sua linguagem estética numa cidade aberta à experimentação e inovação de conceitos e técnicas artísticas.

Uma vez mais, o centro histórico de Santa Maria da Feira respira, durante 3 dias, um ambiente único e internacional, com a presença de mais de 400 artistas de 13 países, numa dinâmica profissional alargada que consagra mais de 30 nacionalidades já registadas no seminário FRESH STREET#2, que acontece em paralelo ao festival. A forte aposta no desenvolvimento de oportunidades de criação artística e de exploração da estética contemporânea para o espaço público refletem-se em 11 estreias absolutas e 23 estreias nacionais, dentro dos 41 espetáculos e intervenções que compõem o programa. O intenso alinhamento materializa 140 apresentações e 9 instalações efémeras.

A capacitação e o envolvimento são também eixos fundamentais, com destaque para o workshop de intervenção urbana dos brasileiros Desvio Coletivo, que termina com duas performances no festival, permitindo a participação dos formandos. Por outro lado, o festival sueco Lights in Alingsas promove um workshop de light design para o espaço público que culminará com a apresentação de instalações de luz que marcarão as noites do festival em diferentes locais da cidade. Em antecipação, estes projetos traçam o percurso antagónico dos elementos centrais desta edição, que vai ao interior de cada um de nós, explorando memórias, feridas e sentimentos, capazes de se transformarem em projetos artísticos contemporâneos para o espaço público.

A comunidade sénior de Santa Maria da Feira volta a juntar-se a Joana Vasconcelos na comemoração do 10º aniversário da “Donzela”, uma peça única e simbólica que uniu e volta a juntar a comunidade em torno de um projeto artístico, pensado para o ex-líbris da cidade: o Castelo. Também a comunidade escolar tem a oportunidade de se manifestar artisticamente, através de dois projetos distintos (MANIFESTO e REFLEXO), capazes de abraçar diferentes faixas etárias e conquistar um novo espaço para o Imaginarius Infantil, trilhando um caminho de aproximação do artista à escola e aos jovens, e simultaneamente promotor do pensamento crítico e difusor de novas linguagens artísticas.

A coprodução como o derradeiro eixo de desenvolvimento artístico e económico, colocando artistas locais em contacto direto com congéneres de outros países e desenvolvendo oportunidades de participação e difusão internacional, marcou os últimos anos, materializando-se em 2017 numa oportunidade única de experimentação. Fruto de uma parceria do Imaginarius com a FiraTàrrega (Catalunha, Espanha), um grupo de jovens criadores portugueses e catalães trabalhou sobre as feridas da sua memória, sob direção de Julieta Aurora Santos. Uma aventura artística e conceptual que marca os dois festivais e coloca Portugal em foco no maior festival de rua espanhol.

O Imaginarius dá, ainda, espaço a consagrados criadores e companhias à escala internacional, oferecendo ao público português a oportunidade de contactar com os vultos da criação artística para o espaço público e as suas mais recentes produções. Assim, numa viagem ao sonho metafórico da sociedade perfeita, Theater TOL apresenta no Imaginarius o espetáculo de grande formato Pedaleando Hacia el Cielo, num jogo de emoções e sensações que nos guiam por entre os obstáculos e elementos obscuros da sociedade de hoje, conquistando o céu como anjos que pedalam nas nuvens e nos guiam aos nossos objetivos.

Numa abordagem à ascensão social e ao bloco de betão como elemento central e estrutural das cidades de hoje, NoFit State Circus e Motionhouse trazem pela primeira vez a Portugal o espetáculo BLOCK. Uma aventura onde o circo e a dança competem pelo protagonismo, transportando-nos para uma viagem em torno de metas, obstáculos e conquistas. Mas afinal o que acontece depois de atingirmos um objetivo?

O Mais Imaginarius reforça a sua dimensão e importância internacional ao receber 190 candidaturas de 38 países para a edição 2017. Serão 20 as propostas em apresentação no concurso internacional de criações de artistas emergentes para o espaço público, que após avaliação do júri internacional terá um vencedor. À semelhança de Cia. Moveo, este regressará em 2018 com uma criação em residência para estreia no Imaginarius. Conseqüències é, então, fruto do regresso a Santa Maria da Feira dos catalães Moveo – vencedores do Mais Imaginarius 2016, partindo das consequências das novas ações quotidianas para o reflexo do estado social atual. Um espetáculo físico e intenso que nasce em Santa Maria da Feira fruto de consequências...

A luz como elemento de união e propagação de emoções sociais contrasta com o negro e a escuridão da competição e da ascensão ao poder, materializando um lado social mais aberto e criativo, apto a outras manifestações. Em 2017, o Imaginarius explora, ainda, a luz como elo de conexão social, com foco na instalação e na arte pública, como elementos de provocação e reflexão crítica das cidades de hoje.

A FAHR 021.3 pensou no centro histórico da cidade e na sua ligação patrimonial envolvente para o desenho de uma peça original que ocupará a cidade durante várias semanas. CANOPY é uma estrutura geométrica, leve e ténue, que marcará prismas e pontos de vista, ao mesmo tempo que altera a visão diurna e noturna e nos obrigará a observar de novos ângulos.

O Imaginarius é, ainda, um festival de experiências, tal como Architects of Air nos proporciona com a presença de uma escultura da coleção LUMINARIUM. Túneis de luz caleidoscópicos acomodam o público no seu interior para uma viagem intimista e introspetiva ao interior de nós mesmos.

Um festival aberto, acessível, introspetivo e provocador. Um espaço de oportunidade social e cultural. Um mundo de opções estéticas e artísticas. Uma metáfora dos princípios morais da sociedade contemporânea. O Imaginarius abre a porta a novos Mundos!

 

NÚMEROS DO FESTIVAL

 

400 artistas

13 países

49 companhias ou projetos artísticos

41 espetáculos/intervenções

2 Workshops

9 instalações de arte pública

5 residências artísticas

10 criações imaginarius

11 estreias absolutas

23 estreias nacionais

140 apresentações ou intervenções artísticas

3 dias

 

MUNDO IMAGINARIUS

 

Imaginarius OFF

O Imaginarius OFF é uma secção do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua que cede espaço aos artistas de rua interessados em divulgar o seu trabalho num ambiente de festival, sem integração na programação oficial. A direção do Imaginarius definirá um número limitado de locais de apresentação para artistas de rua autónomos no que às necessidades técnicas e logísticas diz respeito. A organização cederá apenas um ponto de corrente elétrica, em espaços selecionados do recinto do festival.

Para cada um destes espaços será definido um cronograma de possibilidades de utilização, em intervalos de 60 minutos [inclui tempo de montagem e desmontagem]. Os artistas interessados poderão pré-reservar até 2 apresentações por dia, através de e-mail. No caso de existir disponibilidade de espaço, poderão ser agendadas no próprio dia mais apresentações.

Locais e Horários disponíveis

 

Rua dos Descobrimentos

26 maio | 15h00, 16h00, 18h00, 19h00, 20h00

27 maio | 16h00, 18h00, 19h00, 20h00

 

Rua Dr. Vitorino de Sá

26 maio | 15h00, 17h30, 18h30, 19h30, 20h30, 21h30, 22h30

27 maio | 17h30, 18h30, 19h30, 20h30, 22h30, 23h30

 

Rua Dr. Roberto Alves

26 maio | 15h00, 16h00, 19h00, 20h00, 21h00, 22h00

27 maio | 15h00, 16h30, 18h00, 19h30, 21h30, 22h30

 

Rua António Castro Corte Real

26 maio | 15h30, 17h00, 19h00, 21h15

27 maio | 16h00, 17h00, 18h30, 19h30, 22h00

 

Condições de Participação na Secção Imaginarius OFF

 

  1. I) âmbito

O Imaginarius OFF é uma seção do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua que cede espaço aos artistas de rua interessados em divulgar o seu trabalho num ambiente de festival, sem integração na programação oficial.

A direção do Imaginarius definirá um número limitado de locais de apresentação para artistas de rua autónomos no que às necessidades técnicas e logísticas diz respeito.

Os espaços Imaginarius OFF funcionam durante o festival Imaginarius (26 e 27 maio 2017) entre as 15h00 e as 24h00, de acordo com calendarização específica para cada local de apresentação disponível.

 

  1. II) responsabilidades da organização

A organização do Imaginarius cederá aos participantes exclusivamente:

Um espaço no recinto do festival para apresentação do seu trabalho;

Um ponto de corrente elétrica, em espaços limitados do recinto;

Possibilidade de “colocação de chapéu” para donativos do público.

Não existirá qualquer apoio operacional ou logístico para a montagem das performances, que deverão ser totalmente autónomas.

 

III) responsabilidades do artista

O artista será o único responsável pela performance, assim como todos os requisitos técnicos e logísticos para a sua montagem, apresentação e desmontagem.

O artista deverá respeitar os horários definidos para cada espaço, num processo mediado através do representante da organização nomeado para o efeito.

O artista será o responsável pelos conteúdos da sua apresentação, que deverão ser destinados a um público familiar, adequando-se ao público-alvo do festival. O não cumprimento deste requisito será motivo de exclusão da secção e cancelamento de performances posteriormente agendadas.

 

  1. IV) horários de apresentação

A organização do festival definirá um mapa de possibilidades de utilização para cada um dos espaços OFF previstos para o recinto. Estes espaços poderão ser utilizados em intervalos de 60 minutos [inclui tempos de montagem e desmontagem].

O artista poderá pré-reservar até 2 horários para atuação em cada um dos dias do festival, através do endereço de correio eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou inscrever-se diretamente no Meeting Point do festival no dia do evento, sujeitando-se à disponibilidade de espaço livre para a performance.

Caso se verifique a disponibilidade de espaço, no dia do evento, 30 minutos antes do horário previsto, o artista poderá agendar apresentações adicionais às 2 pré-programadas.

 

  1. V) omissões

Qualquer assunto omisso nas normas de participação será decidido pela direção do festival, que poderá nomear um interlocutor para este efeito.

 

Imaginarius PRO

 

local

Espaço Imaginarius PRO, Praça da República

 

horário de abertura

25 maio | 21h30 – 01h00

26 maio | 17h00 – 02h00

27 maio | 11h00 – 02h00

 

O Imaginarius PRO é um espaço de contacto entre profissionais das Artes de Rua, integrado no festival. Com esta dinâmica, o Imaginarius pretende reforçar as parcerias entre artistas e programadores presentes nos dias do festival, facilitando o contacto entre diferentes realidades, num único espaço. Uma área reservada está disponível para os profissionais acreditados, dispondo de zonas com condições para pequenos meetings e divulgação de informação artística.

Em 2017, o novo espaço Imaginarius PRO será, ainda, o ponto de encontro “fora de horas” dos profissionais e artistas do festival, através da disponibilização de serviço de bar no espaço profissional, após as 17h00.

O acesso ao Imaginarius PRO é gratuito para todos os profissionais das Artes de Rua nacionais e internacionais. Para este efeito, os interessados deverão registar-se, preenchendo o formulário disponível em www.imaginarius.pt.

 

programa oficial

 

27 maio

11h30 | Imaginarius PRO Showcase

15h00 | Conhecer o Burning Man Festival – Dave X

16h00 | Conversa com os artistas de BLOCK – NoFit State Circus + Motionhouse

 

programa especial

Em 2017 o Imaginarius PRO apresenta, ainda, um programa especial de promoção da criação artística contemporânea para o espaço público em Portugal, com foco nos dias 24 e 25 de maio, através de programação complementar ao seminário FRESH STREET#2.

 

24 maio

22h00 – 01h00 | FRESH STREET#2 Welcome Night | Matadouro

25 maio

09h30 – 18h00 | Imaginarius PRO Marketplace | Europarque

Mercado IMAGINARIUS

 

26 maio | 15h00 – 24h00

27 maio | 15h00 – 24h00

Mercado Municipal

 

O emblemático Mercado Municipal de Santa Maria da Feira transforma-se durante o festival no Mercado Imaginarius. Um espaço único e integrador que possibilita um acolhimento mais próximo aos visitantes pela disponibilização de um mercado urbano, numa dinâmica vintage.

 
 

Imaginarius 365

 

O Imaginarius não se esgota nos dias do festival. Pretende-se que o espírito de ocupação do espaço público permaneça vivo ao longo de todo o ano, com ações e apontamentos artísticos. O Imaginarius 365 tem esta lógica de dinamização da criatividade, dando especial relevo à vertente formativa e à afirmação de Santa Maria da Feira como o palco da nova criação para o espaço público.

 

PROGRAMAÇÃO IMAGINARIUS

 

01) Ferida

 

02) Pedaleando Hacia el Cielo

 

03) BLOCK

 

04) pentalum – luminarium

 

05) CANOPY

 

06) CEGOS

 

07) AR-TI-FÍ-CIO

 

08) EZ SUB

 

09) Conseqüències

 

10) THE TAMARROS

 

11) Lights in Alingsas

 

12) [DE]FRAGMENTATION

 

13) De repente, ao entrares naquela porta, deparas-te com o encanto da beleza

 

14) BANDA SINFÓNICA DE JOVENS DE SANTA MARIA DA FEIRA + LAB IN DANÇA

 

15) Donzela

 

16) Objeto

 

Ferida

Alba Torres [ES]
Catarina Campos
[PT]
Quim Giron
[ES]
Pau Masaló Llorà
[ES]
Rui Paixão [PT]
Direção Artística | Julieta Aurora Santos
[PT]
Direção Musical | Tiago Inuit
[PT]
Participação | Grupo Coral da Casa da Gaia
[PT]

 

PERFORMANCE | MULTIDISCIPLINAR · M/6 | 45’ · Estreia Absoluta · Coprodução FiraTárrega [ES] · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

25 maio | 23h30 | Jardins da Biblioteca Municipal

26 maio | 22h30 | Jardins da Biblioteca Municipal

27 maio | 21h45 | Jardins da Biblioteca Municipal

 

A FERIDA é um lugar de sombra, oculto, latente, amordaçado. Um latejar contínuo sob a pele, cicatriz por sarar, um profundo poço no espelho. A memória, enquanto espaço fragmentado, contém feridas que o tempo parece não curar, recordações que nos perseguem como fantasmas, que pedem, gritando, que as deixemos emergir e as acolhamos como parte das nossas vidas, para podermos prosseguir. É preciso trazer à luz dos dias a nossa fragilidade, identificar o que nos consome e nos limita. Visar a cura como um ato de amor a si mesmo e aos outros. Curar a memória e libertar a sua carga destrutiva, enfrentar os medos que nos conduzem ao imobilismo, é voltar a encontrar a capacidade de existir de acordo com o próprio ser e a consciência mais profunda.

A partir de um conceito inicial de MEMÓRIA, como o eixo temático articulador de um projeto pensado como oportunidade de diálogo entre dois países vizinhos, cinco artistas, portugueses e catalães, um encenador, uma bailarina, uma performer, um acrobata e um clown, coordenados artisticamente por uma encenadora portuguesa, reuniram-se num laboratório de três dias em Tàrrega (Catalunha, Espanha) com o objetivo de se conhecerem, mas essencialmente de traçaren juntos as abordagens ao tema proposto pelos festivais, encontrar uma narrativa comum e desenhar a metodologia criativa, num processo realizado e coordenado à distância, consolidando-se depois em 3 semanas de residência para a sua primeira apresentação ao público e uma última residência em Tàrrega. Neste primeiro encontro, o diálogo surgiu de forma espontânea e sensível, criando um elo íntimo, emocional e raro entre todos os envolvidos. Surgiram “feridas” pessoais, íntimas, memórias invocadas perante o questionamento sobre onde cada um se encontra agora, enquanto indivíduo, e o seu caminho enquanto artista. As “feridas” apareceram como apropriação do conceito que foi estabelecido como ponto de partida. Emergiram depois como título, matéria sensível e espaço simbólico: casa, ilha, isolamento, poço, silêncio, círculo, lugar proibido, esquecimento, farsa, doença, peso, morte e libertação.

Os artistas desenvolveram narrativas individuais sobre o tema, debruçando-se num processo criativo baseado essencialmente nas suas próprias histórias pessoais, de profunda densidade emocional e grande generosidade. Estas narrativas cruzar-se-ão nas práticas finais, com o objetivo de criar um corpo único, em residência artística, com todo o grupo reunido. Mais do que nos aspetos formais, procurou-se que os artistas se focassem no processo criativo, desenvolvendo não só um trabalho de investigação e pesquisa, mas identificando a génese da dor, colocando literalmente o “dedo na ferida”.

Um caminho artístico que visa a cicatrização – marca indelével da sua existência – apoiado na crença de que no mais profundo do ser está algo indestrutível, que conserva uma imensa capacidade de regeneração e recomeço.

 

Alba Torres [ES] – Performer

Iniciou o seu percurso artístico na adolescência, criando um lagarto gigante que ocupava toda uma parede na casa dos seus pais. A sua formação levou-a à atividade de arte-terapia, investigando as raízes antropológicas da arte como fundamento da sua atividade profissional.

A base da sua investigação artística centra-se na viagem da uma dimensão inconsciente, onírica e mágica que questiona a posição da mulher na sociedade atual. Uma viagem por entre feridas das suas vivências e de todas as jovens que viveram enclausuradas na ditadura espanhola.

 

Catarina Campos [PT] – Bailarina

Arquiteta curiosa por natureza e por todas as atividades que envolvam movimento e música. Bailarina por encontrar na Dança o universo onde tudo é possível ser integrado, focando a sua energia no estilo e cultura Hip-Hop.

Um trabalho artístico, uma dualidade entre o interior e o exterior. E o silêncio entre ambos. As coisas que não falas. E as que falas, em silêncio. O silêncio, ensurdecedor, que incomoda, que magoa, que apetece gritar mas não sai, que pede para ser ouvido. O silêncio que é entendimento, que é cheio, que não precisa de palavras, onde tudo já está dito.

 

Quim Girón [ES] – Artista de Circo/Acrobata

Um jovem artista de circo contemporâneo que vive em Barcelona, na procura do equilíbrio entre a acrobacia, o som, a percussão, o clown e o movimento animal com influência na astronomia. Quim trabalha com uma abordagem artística arrojada e inovadora, sempre na procura do novo e da superação.

O trabalho artístico leva-o a imaginar um homem formado para ser guerreiro, em busca de sentimentos debaixo da terra. Qual será o papel de um homem nos dias de hoje? O homem em busca da semente e da origem e que se encontra com a morte. A dor que o converte num ser sensível e pleno de liberdade.

 

Pau Masaló Llorá [ES] – Encenador

Licenciado em comunicação audiovisual e doutorado em teoria, análise e documentação cinematográfica, tem um percurso artístico que vai muito além da imagem, tendo como encenador dirigido alguns dos mais interessantes projetos de intervenção contemporânea no espaço público dos últimos anos.

Partindo do objetivo de melhor conhecer uma cidade através da memória dos que já nos deixaram, procura vozes desaparecidas e conflitos políticos ou sociais para dar voz ao sentimento de coletividade e comunidade, como uma forma definitiva de recordar, encarnar e celebrar a resistência intima.

 

Rui Paixão [PT]Clown

Intérprete de linguagem clown, numa abordagem contemporânea e com uma dramaturgia própria, procura desafios de exploração estética e sensorial do espaço público. Jovem e irreverente, conquistou uma posição única à escala internacional, sendo atualmente uma referência na sua área.

Uma reflexão sobre o futuro de um palhaço abre portas a um grito materializado num ritual absoluto, onde o corpo mostra a sua insuficiência perante o espírito que o povoa. Um colchão é uma espécie de mãe adotiva, como um útero rasgado, um ventre público… num parto eminente.

 

Julieta Aurora Santos [PT] – Encenadora, Diretora Artística

Nasceu em Sines (Portugal), cidade que ainda hoje acolhe a sua reflexão e é sede do seu trabalho artístico. Desde cedo se dedicou à cultura e ao espaço público como local privilegiado de intervenção. Fundou o Teatro do Mar e a Associação Contra-Regra, desenvolvendo um trabalho multidisciplinar e de investigação numa dinâmica internacional e aberta à procura do novo. Possuidora de uma vasta experiência prática e formativa, frequentou recentemente um Mestrado em Criação Artística para o Espaço Público na Universidade de Lleida (Catalunha), em parceria com a FiraTàrrega. Como diretora artística, Julieta deposita a sua experiência e linguagem criativa na união e cruzamento do trabalho artístico para o desenvolvimento do projeto a apresentar publicamente nos festivais.

 

Tiago Inuit [PT] – Músico, Compositor

Licenciado em Música pela Universidade Concordia (Montreal, Canadá), trabalha como produtor, compositor e músico em diversos projetos internacionais de música, cinema, vídeo, teatro e performance. Trabalhou para a Gala Films, na música da série documental sobre o “Cirque du Soleil - Fire Within”. Colabora e é elemento de diversos projetos ligados à música, cinema, televisão e teatro.

 

Grupo Coral da Casa da Gaia [PT]

Fundada em 1971, com um número inicial de 30 sócios, a Casa da Gaia é hoje uma das mais importantes coletividades do concelho de Santa Maria da Feira e do distrito de Aveiro, contando atualmente com mais de 1000 associados. Desenvolveu, desde logo, a sua atividade com o Grupo Coral, seguindo-se o Grupo Folclórico e todas as atividades mais recentes, no âmbito da promoção da atividade cultural e desportiva.

 

 

Pedaleando Hacia el Cielo

Theater TOL [BE]

 

TEATRO AÉREO | MÚSICA | MULTIMEDIA | M/3 | 40’ | Estreia Nacional

 

26 maio | 23h00 | Casa do Moinho

27 maio | 23h30 | Casa do Moinho

 

Pedaleando Hacia el Cielo é uma história de amor que antagoniza emoções entre um dia de céu cinzento e os momentos em que anjos dos nossos sonhos voam entre o céu e a terra. Pedalar até ao céu é uma metáfora em torno da união das pessoas, uma declaração de amor traduzida em momentos, emoções, suspiros, palavras e música, numa performance aérea única. O espetáculo combina imagens cinematográficas com luz, música e dança nos céus, contextualizando um poético mundo de sonho.

 

BLOCK

NoFit State Circus + Motionhouse [UK]

 

CIRCO | DANÇA · M/3 | 40’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 17h10 e 22h00 | Praça Gaspar Moreira

27 maio | 18h45 e 23h40 | Praça Gaspar Moreira

 

BLOCK é uma aventura cénica que parte de 20 blocos que funcionam como instrumentos de constante construção e desconstrução, capazes de criar uma harmonia de formas, sombras e recantos… num espaço onde a dança e o circo se cruzam.

Uma metáfora centrada na transformação de espaço natural em centros urbanos e na mudança de perspetivas estéticas e arquitetónicas, através da criação de plataformas que simbolicamente se cruzam com corpos, representando barreiras e obstáculos para a nossa repetição do ciclo de sucessos e fracassos.

Uma performance multidisciplinar, que une disciplinas acrobáticas com a dança contemporânea numa apropriação única do espaço urbano, transformadora da nossa experiência visual.

 

 

PENTALUM – LUMINARIUM

Architects of Air [UK]

 

INSTALAÇÃO · M/3 · Estreia Nacional

 

25 maio | 19h00 às 23h00 | Piscinas Municipais

26 maio | 15h00 às 23h00 | Piscinas Municipais

27 maio | 16h00 às 24h00 | Piscinas Municipais

 

LUMINARIUM é uma coleção de esculturas, criadas por Alan Parkinson, aptas a receber o público no seu interior e capazes de inspirar pessoas através de sentimentos de magia a partir de efeitos de luz. Um conjunto de labirintos caleidoscópicos permite aos visitantes uma experiência sensorial única no interior de uma gigantesca instalação aberta a todos.

O Imaginarius acolhe PENTALUM, uma instalação desta coleção que celebra a beleza da geometria e das suas formas regulares. O pentágono é a forma central do desenho do labirinto escultórico, culminando com um único elemento hexagonal.

Uma visita a esta escultura/instalação transforma-se numa experiência sensorial característica e irrepetível, seja meramente contemplativa ou para um espaço de refúgio dentro da dinâmica acelerada de um festival de rua multidisciplinar.

 

 

CANOPY

FAHR 021.3 [PT]

 

INSTALAÇÃO · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

27 abril a 11 junho | Rua Dr. Roberto Alves

 

CANOPY é uma intervenção que define um momento inesperado numa das ruas mais movimentadas da cidade, convidando à aproximação através de um jogo de perspetivas entre o transeunte cidadão e os limites da cidade. CANOPY é uma estrutura geométrica a vários níveis, composta por 126 metros lineares de ripas de madeira suspensa sobre a rua, que deforma a nossa perspetiva, direcionando o olhar para a paisagem característica da cidade – o Castelo. Uma peça leve e transparente que se desconstrói na variação de luz do dia para a noite, conferindo à rua novas dinâmicas e formas de estar.

 

CEGOS

Desvio Coletivo [BR]

 

INTERVENÇÃO | PERFORMANCE · M/6 · Estreia Nacional

 

24 e 25 maio | 18h00 às 22h00 | Workshop de Intervenção Urbana

Acesso ao workshop mediante inscrição prévia, através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

 

26 maio | 16h00 | Biblioteca Municipal › Rua Dr. Elísio de Castro › Igreja da Misericórdia › Rua Jornal Correio da Feira › Rua Dr. Vitorino de Sá › Rua dos Descobrimentos › Rossio

 

27 maio | 15h00 | Castelo › Igreja Matriz › Rua Dr. Roberto Alves › Praça da República › Praça Gaspar Moreira › Rua Dr. Elísio de Castro › Igreja da Misericórdia › Rua Jornal Correio da Feira › Rua Dr. Vitorino de Sá › Rua dos Descobrimentos › Rossio

 

Homens e mulheres, em trajes sociais, cobertos de argila e de olhos vendados, caminham lentamente interferindo poeticamente no fluxo quotidiano da cidade. CEGOS propõe uma reflexão acerca do modo de vida da sociedade contemporânea, pautada pela busca incessante do poder que petrifica as relações humanas em prol do capitalismo.

A interação performativa com os espaços que representam os eixos dominantes da sociedade provoca desconfiança na paisagem urbana. CEGOS é uma performance urbana com caráter de obra aberta que remete para diferentes leituras: a redução da nossa existência à produção industrial e ao consumo, o excesso de trabalho, o aprisionamento e a petrificação da vida, a automatização do quotidiano, a degeneração ética que se alastra no atual estado da sociedade. A proposta visual centra-se na condição exaustiva característica do trabalho corporativo, materializada nos trajes sociais que homens e mulheres utilizam como armadura quotidiana nas cidades de hoje.

 

 

AR-TI-FÍ-CIO

Maria de Melo Falcão e Vítor Fontes [PT]

 

PERFORMANCE | INSTALAÇÃO · M/6 | 20’ · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

26 maio | 15h10 e 20h30 | Casa do Moinho

27 maio | 17h30 e 20h00 | Casa do Moinho

 

DANÇA · M/6 | 40’ · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

25 maio | 22h15 | Praça Gaspar Moreira

26 maio | 00h20 | Praça Gaspar Moreira

27 maio | 00h45 | Praça Gaspar Moreira

 

A palavra AR-TI-FÍ-CIO não se reduz ao seu significado, desmantelando-se em sílabas que se assumem como peças do jogo. Quatro corpos tentam enganar-se numa procura constante de diálogo através do fingimento, num espaço performativo detonável. Estes corpos evoluem à medida das suas necessidades, constroem-se com as memórias presentes do grupo e embalam numa trajetória de ações planeadas, premeditadas com ênfase no embuste.

O projeto apresenta-se em duas versões: uma diurna, materializada numa instalação per

 

EZ SUB

Projeto EZ [PT]

 

PERFORMANCE | INSTALAÇÃO · M/6 | 45’ · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

25 maio

23h00 | Praça Gaspar Moreira › Biblioteca Municipal

26 maio

16h45 | Igreja Matriz › Rua Dr. Roberto Alves › Praça da República

20h45 | Igreja Matriz › Rossio › Rua dos Descobrimentos › Rua Dr. Vitorino de Sá

23h15 | Praça da República › Rua Dr. Roberto Alves › Igreja Matriz

27 maio

14h45 | Praça da República › Praça Gaspar Moreira › Rua dos Descobrimentos

20h30 | Igreja Matriz › Rua Dr. Roberto Alves > Praça da República

22h50 | Casa do Moinho › Rossio › Igreja Matriz

 

Num cenário urbano, um estanho submarino navega desorientado. Uma máquina cénica de grande formato, capaz de transportar os transeuntes para uma nova realidade. O Projeto EZ põe a sua experiência cénica ao serviço da inovação e da experiência sensorial, desenvolvendo um novo projeto que transforma o público em ator e performer, no interior de um submarino urbano que dá vida a momentos únicos.

 

 

Conseqüències

Cia Moveo [ES]

 

DANÇA · M/6 | 25’ · Estreia Absoluta · Vencedor Mais Imaginarius 2016 · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

25 maio

21h15 | Casa do Moinho

26 maio

16h00 | Casa do Moinho

22h10 | Igreja Matriz

27 maio

15h30 | Casa do Moinho

21h00 | Igreja Matriz

 

CONSEQÜÈNCIES é um trabalho artístico físico e intenso sobre a verdade dos outros. Onde está visível e oculta a generosidade e a capacidade de sermos nós mesmos? A Cia. Moveo apresenta um motor individual de esperança, encarando o medo com expectativa no futuro, num espetáculo pleno de fisicalidade e momentos inexplicáveis.

Na sociedade de hoje, conhecemos pessoas, caminhamos e contactamos com elas, mas nunca voltamos a repetir caminhos. Afinal, para onde vamos? Sabes o que isto significa para mim? Consegues compreender as consequências do teu gesto inocente?

 

 

The Tamarros

Ambaradan [IT]

 

MÚSICA · M/6 | 45’ · Estreia Nacional

 

26 maio

18h00 | Praça Gaspar Moreira › Praça da República › Igreja Matriz › Casa do Moinho

01h10 | Praça Gaspar Moreira

27 maio

17h30 | Igreja Matriz › Rua Dr. Roberto Alves › Praça da República

01h30 | Praça Gaspar Moreira

 

O ritmo avassalador da tarola, o impulso do baixo e a melodia do saxofone são pontos de partida para uma aventura única pelo “Disco Fever”. De volta aos anos 70, The Tamarros saem à rua com uma energia única, óculos de sol espelhados, penteados característicos e calças com boca-de-sino. Um momento de celebração capaz de transformar a rua num espaço aberto a batidas clássicas, a coreografias e a situações embaraçosas.

 

 

Lights in Alingsas [SE]

 

INSTALAÇÃO · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

25 maio | 21h45 | Inauguração das Instalações de Luz

25 maio | 21h45 às 01h00 | Praça da República e Rua dos Descobrimentos

26 e 27 maio | 21h30 às 02h00 | Praça da República e Rua dos Descobrimentos

 

Lights in Alingsas é um festival sueco dedicado às instalações de luz para o espaço público, com foco na participação e no envolvimento de estudantes e designers para o desenvolvimento de instalações únicas em cada edição. Após um workshop de intercâmbio entre estudantes de design de luz portugueses e suecos, o centro histórico de Santa Maria da Feira acolhe “esculturas” de luz exclusivas, desenvolvidas especificamente para o festival.

 

 

[de]fragmentation

Frederico Dinis [PT]

 

MULTIMÉDIA | MÚSICA · M/6 | 30’ · Estreia Absoluta · [selo de apoio à criação Imaginarius]

 

26 maio | 22h20 | Claustro do Convento dos Lóios

27 maio | 22h45 | Claustro do Convento dos Lóios

 

[de]fragmentation é uma performance sonora e visual inspirada na história e nos valores naturais e culturais da Terra de Santa Maria e do Museu Convento dos Lóios, cuja importância histórica nos transporta para novas representações e significados deste local, com recurso à exploração de aspetos sonoros e visuais.

A performance centra-se num diálogo entre os meios sonoro e visual, mediado pelo performer que se enquadra como narrador, lembrando e imaginando outros lugares possíveis através da construção das narrativas sonora e visual em tempo real.

Em [de]fragmentation altera-se o tempo e o espaço, remetendo para tantos outros lugares (des)fragmentados, transformando momentaneamente o Museu Convento dos Lóios num espaço cheio de novas materialidades, procurando desencadear uma experiência figurativa e uma releitura do contexto do lugar e da sua identidade.

 

 

De repente, ao entrares naquela porta, deparas-te com o encanto da beleza

Poesia no Corpo, Corpo na Poesia [PT]

 

DANÇA | PERFORMANCE · M/6 | 45’ · Estreia Absoluta

 

26 maio | 21h40 | Casa do Moinho

27 maio | 22h00 | Casa do Moinho

 

O homem que engordou quando engoliu a arte mantinha a esperança de nunca mais emagrecer. Passou a existir evitando os movimentos excessivos, como se o corpo imobilizado aprisionasse toda a arte do mundo. E assim morreu, morto de arte em si, pois nunca mais ninguém o viu a comer, a beber ou mesmo a pensar. Consta que morreu com 104 anos.

 

A Casa dos Choupos – Cooperativa Multissectorial de Solidariedade Social, CRL foi fundada em 2008 e tem como objetivo apresentar respostas inovadoras e atípicas a necessidades e áreas de interesse da comunidade em que se insere e da sociedade civil, fomentando o progresso e a sustentabilidade social.

A criação do grupo intergeracional Poesia no Corpo. Corpo na Poesia, existente desde fevereiro de 2012, teve como objetivo central potenciar a participação e a cidadania da comunidade deste território e fomentar o desenvolvimento de competências sociais, psicológicas e culturais dos participantes, através da arte, com recurso ao movimento, à expressão corporal e a obras literárias, alinhados com a aposta que a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira faz na inclusão e desenvolvimento social, através de projetos que utilizam ferramentas artísticas e metodologias inovadoras.

Este projeto experimenta e desafia a (re)criação individual e coletiva, considerando o intérprete como um indivíduo total, cheio de vivências e de experiências. Procura também estimular a (re)ação, a opinião e a transformação relativamente àqueles que participam e ao contexto envolvente.

O grupo Poesia no Corpo. Corpo na Poesia, promovido pela Casa dos Choupos – Cooperativa Multissectorial de Solidariedade Social, CRL junta um grupo de cidadãos que encontraram no corpo a forma mais pura de participação e de expressão. Mostram que a dança pode ser tudo. E que todos dançamos. E que a dança tem um poder enorme de transformação individual e coletiva. São eles a Sabina, a Celeste, o Marcos, a Sónia, a Tatiana, a Lua, a Constança, o Totona, a Armanda, a Mariana, a Ana Maria, o Cristiano e o Carlos. Todos com raízes no concelho de Santa Maria da Feira. Todos cidadãos.

 

 

Dawn at Galamanta

Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira [PT] + LaB inDança [PT]

 

MÚSICA | DANÇA · M/6 | 80’ · Estreia Nacional · Bilhetes: 3€ · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

24 maio | 21h30 | Cineteatro António Lamoso

 

Dawn at Galamanta, escrita pelo compositor Christian Lindberg, é uma composição inclusiva que cruza a música com a dança, numa abordagem inusitada ao espaço cénico e ao movimento. É uma obra que une o amor, a traição, o ódio e a guerra num espetáculo intenso.

Direção Musical | Maestro Paulo Martins · Coreografia | Clara Andermatt

 

 

Donzela

Joana Vasconcelos [PT] + Comunidade Sénior de Santa Maria da Feira [PT]

 

INSTALAÇÃO

 

16 a 27 maio | Castelo de Santa Maria da Feira

 

A Donzela é uma célebre colcha de croché, produzida pela comunidade sénior de Santa Maria da Feira sob direção da artista plástica Joana Vasconcelos, desenvolvida em 2007. Na comemoração do 10º aniversário da peça, que é já parte integrante do património de Santa Maria da Feira, os participantes voltam a reunir-se, intervindo com vista à conservação da obra e reavivando memórias de um envolvimento ímpar.

 

 

OBJETO

Bianca Ferreira [PT]

 

INSTALAÇÃO · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

19 a 27 maio | Rua das Fogaceiras

 

Objeto propõe uma reflexão sobre algumas das dicotomias estruturantes do modelo de sociedade ocidental: coletivo/individual; ocultação/revelação; banal/sagrado; público/privado; estrutura/módulo. A instalação propõe, também, uma reflexão sobre o valor do objeto, manipulando a leitura do espectador através da sua descontextualização. Neste dispositivo, a individualidade é simultaneamente anulada e sacralizada pela estrutura do coletivo.
IMAGINARIUS INFANTIL

 

 

17) steli

 

18) MANIFESTO

 

19) REFLEXO

 

20) Workshop de Novo Circo

 

21) Workshop de Construção de Instrumentos Reciclados

 

22) ROLHAS E FLORESTAS

 

 


STELI

Stalker Teatro [IT]

 

PERFORMANCE | INSTALAÇÃO · M/3 | 40’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 14h15, 16h30 e 18h45 | Rossio

27 maio | 14h15, 16h30 e 19h00 | Rossio

 

STELI questiona as vivências, a ocupação e a arquitetura das cidades pós-industriais. Stalker Teatro une as artes visuais ao teatro de rua, promovendo um projeto educativo que envolve pais e filhos numa ambiciosa e despropositada construção efémera. Varas de madeira, diferentes cores, mãos colaborativas, música e espírito de grupo... uma performance que se materializa numa instalação de todos.

 

 

MANIFESTO

Guilherme Henriques [PT]

Estudantes Ensino Secundário [PT]

 

INSTALAÇÃO | INTERVENÇÃO · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

26 e 27 maio | Centro Histórico

 

O Manifesto surge como um conjunto de identidades individuais, introspetivas e reflexivas sobre os nossos dias. O que cada um apreende da realidade que o rodeia, o que cada um constrói sobre essa realidade, o que cada um absorve ou rejeita reflete-se num conjunto de fotografias autobiográficas e com fortes referências antropomórficas, que conduzem o espectador a pequenas histórias contadas na primeira pessoa.

Este projeto conta com o envolvimento direto dos alunos do curso de Artes Visuais da Escola Secundária de Santa Maria da Feira e da Escola Secundária Coelho e Castro (Fiães).

 

 

REFLEXO

Comunidade Escolar do 1º Ciclo do Ensino Básico de Santa Maria da Feira [PT]

 

INSTALAÇÃO · Estreia Absoluta · [selo apoio à criação Imaginarius]

 

26 e 27 maio | Rossio

 

A compreensão do nosso “eu” implica uma introspeção do reflexo de nós mesmos. Um desafio artístico e social que pretende ser o espelho do que somos, enquanto seres capazes de imaginar o que queremos para o nosso futuro. Um trabalho artístico com alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, com forte pendor refletivo.

 

 

Workshop de Novo Circo

INAC – Instituto Nacional das Artes do Circo [PT]

 

WORKSHOP · M/3 | 300’

 

26 e 27 maio | 14h00 às 19h00 | Rossio

 

O circo contemporâneo revela-se na atualidade uma das mais desafiantes formas de arte, em plena ligação com outras disciplinas, apta ao desenvolvimento de projetos transdisciplinares únicos. O INAC desafia os jovens visitantes do Imaginarius a contactarem com algumas técnicas circenses, promovendo uma primeira abordagem e contacto com equipamentos próprios de artistas e acrobatas.

 

 

Workshop de Construção de Instrumentos Reciclados

Nuno Sarafa [PT]

 

WORKSHOP · M/3 | 300’

 

26 e 27 maio | 14h00 às 19h00 | Rossio

 

Um estímulo ativo à criatividade dos mais jovens através do desafio da construção de instrumentos musicais a partir de materiais reciclados. Este workshop integra diversas componentes educativas, desde a Música às Artes Plásticas, com foco na consciencialização ambiental.

 

ROLHAS E FLORESTAS

Gabinete do Ambiente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira [PT]

 

EXPOSIÇÃO · M/3

 

26 e 27 maio | 14h00 às 00h00 | Casa do Moinho

 

No âmbito do programa de sensibilização ambiental Green Cork, alunos dos jardins de infância do concelho de Santa Maria da Feira usaram a sua criatividade para a produção de peças a partir da reutilização de rolhas de cortiça, como objeto de educação não formal com cariz social e ambiental.

 

MAIS IMAGINARIUS

 

 

23) LUDO Circus SHOW

 

24) SU A FEU

 

25) LICIUM

 

26) THE WAVE

 

27) L’ENVERS

 

28) DONDE MUEREN LAS OLAS

 

29) HAUTE CUISINE

 

30) THE BROSTREETS

 

31) MANDALA

 

32) OPERATIVI

 

33) LOS 4 TIEMPOS

 

34) PROYECCIÓN INTERVENCIÓN

 

35) IRAKURRIZ

 

36) TECIDO SOCIAL, 2016”

 

37) VOCÊS TAMBÉM FAZEM PARTE

 

38) HANGING BY A THREAD

 

39) A SMILE CHANGE YOUR LIFE

 

40) KUKURYKU

 

41) STOP AND DANCE WITH ME


LUDO Circus Show

LUDO Circus [ES]

 

CIRCO | PERFORMANCE · M/3 | 60’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 19h30 e 22h45 | Igreja Matriz

27 maio | 17h50 e 21h50 | Igreja Matriz

 

LUDO Circus Show é um espetáculo alegre que brinca através de números circenses, numa atmosfera ritmada, num estado lúdico. Quando sete personagens decidem ocupar o espaço cénico com vontade de jogar, assumir-se como vencedores e vencidos, numa dicotomia entre gestos voluntários e involuntários, numa sintonia entre o desencanto e a diversão. Um espetáculo para assistir em família, pelos de números de circo, e uma dramaturgia que nos faz recuar às atividades do nosso quotidiano.

 

 

SU a FEU

Deabru Beltzak [ES]

 

PERFORMANCE | MÚSICA · M/6 | 30’ · Estreia Nacional

 

26 maio

21h20 | Casa do Moinho › Rossio › Igreja Matriz

23h45 | Casa do Moinho › Rua dos Descobrimentos › Praça Gaspar Moreira › Praça da República

27 maio

21h45 | Casa do Moinho › Rua dos Descobrimentos › Rua Dr. Vitorino de Sá

00h15 | Casa do Moinho › Rossio › Igreja Matriz › Rua Dr. Roberto Alves › Praça da República

 

SU A FEU é um espetáculo que explora o espaço urbano de novos e fantásticos ângulos, com base na dança, no fogo e no ritmo. Peculiares personagens reminiscentes de um futuro desconhecido invadem a rua, transformando o espaço à sua volta através de ritmos de percussão e rituais, envolvendo o movimento e a pirotecnia de inspiração no fogo primitivo. Um percurso exaustante que se transforma num momento mágico, magnético e de uma luz única, capaz de transportar a audiência para um mundo paralelo.

 

 

LICIUM

Joa [PT]

 

CIRCO · M/3 | 40’

 

26 maio | 19h40 e 23h20 | Rossio

27 maio | 15h45 e 22h50 | Rossio

 

LICIUM conta histórias fragmentadas sobre o percurso autobiográfico do artista, tendo como ponto de partida uma investigação sobre o tear. Mais do que um cabo liso usado na tecelagem para separar o fio da cadeia, LICIUM é um paradoxo, uma parábola entre a vida do artista e a sua vida artística, com ligações de fios finos, que quebram e se enrolam na sua própria linha, recriando o próprio tear da sua vida. O fio aguarda a sua função, cria a matriz que vai dar vida…

 

The Wave

elparo [FR]

 

INSTALAÇÃO · Estreia Nacional

 

25 a 27 maio | Praça Gaspar Moreira

 

Um artista francês chega a Santa Maria da Feira na semana do festival e, observando o espaço e os materiais locais, desenha uma escultura de grande formato a partir de pequenos elementos que se unem e constroem um elemento sólido e dinâmico, como uma onda que persegue todos os que se aproximam.

A instalação será desenvolvida ao vivo no centro histórico de Santa Maria da Feira, de 22 a 24 de maio, dando as boas-vindas aos participantes internacionais no seminário FRESH STREET#2.

 

 

L’envers

Ici’bas [CH]

 

DANÇA · M/6 | 40’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 18h45 e 22h50 | Praça Gaspar Moreira

27 maio | 17h40 e 21h00 | Praça Gaspar Moreira

 

A loucura que se vislumbra numa qualquer esquina das nossas cidades. Um círculo de relva artificial onde acrobata e bailarino tomam o espaço e o tempo, convidando quem passa a parar e a respirar profundamente ar fresco. Um espaço aconchegante que recorda a serenidade da natureza e em que podemos livremente entrar no rebanho… um espaço neutro e indefinido entre o cão e o lobo, entre a infância e a idade adulta, entre o circo e a dança.

 

 

Donde Mueren Las Olas

Colectivo La Balsa [ES]

 

TEATRO | DANÇA | CIRCO · M/6 | 60’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 21h15 e 00h00 | Rossio

27 maio | 21h30 e 00h30 | Rossio

 

No meio do oceano deriva uma pequena jangada, onde um tecido esconde uma infinidade de objetos usados empilhados – presentes trazidos por correntes e memórias de um mundo perdido. O tempo fez quatro náufragos perder gradualmente os seus medos, as certezas, o olhar, a esperança e até o seu passado. Um padre, uma menina, um professor de música e um lenhador completam a tripulação mais absurda da história. Até que descobrem um ermita estranho e curioso que habita o desconhecido e lhes prova que enquanto uma tempestade dança as outras lutam.

 

 

Haute Cuisine

Cia. Il Cataldo [IT]

 

CIRCO | CLOWN · M/3 | 40’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 14h30, 18h10 e 20h30 | Rossio

27 maio | 14h30, 18h20 e 20h40 | Rossio

 

Um chef de cozinha, uma sopa e uma missão. Jacques Couteau é um excêntrico chef francês que acabou de abrir o seu exclusivo restaurante. A sua culinária é uma combinação única dos ingredientes mais frescos: habilidades circenses bem temperadas, momentos teatrais apimentados e um ingrediente especial escolhido a dedo: a plateia! Tudo que ele precisa agora é de um cliente... e um pouco de comida. Quem será o sortudo? O que vão eles jantar? Será que sairão satisfeitos?

The Brostreets

Les Foutoukours [CAN]

 

CIRCO · M/3 | 35’ · Estreia Nacional

 

26 maio

15h45 | Igreja Matriz

21h10 | Praça Gaspar Moreira

27 maio

16h50 | Igreja Matriz

22h00 | Praça Gaspar Moreira

 

Do Canadá para o Mundo, uma dupla de palhaços ocupa o espaço público com as suas ações e comportamento explosivos, tendo por base uma perícia e loucura contagiantes. Uma comédia pura e irreverente, num espetáculo próximo e aberto ao público, onde todos podem ser felizes.

 

 

Mandala

David Somló [HU]

           

PERFORMANCE | INSTALAÇÃO · M/6 | 30’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 16h30, 18h15 e 20h15 | Eira do Orfeão da Feira

27 maio | 15h00, 18h00 e 20h30 | Eira do Orfeão da Feira

 

Mandala é uma performance participativa, num jogo único entre a música e a instalação corporal, através do desempenho do público com dispositivos de som portáteis e combinações de formas marcadas no piso. Em parte, uma composição de som imersiva, uma coreografia íntima, uma meditação de grupo… Mandala questiona como podemos existir e interagir uns com os outros quando não há nada mais a fazer senão caminhar.

 

 

Operativi

Cia. Eccentrici Dadaró [IT]

 

TEATRO · M/6 | 55’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 18h30 e 22h50 | Mercado Municipal

27 maio | 17h45 e 22h30 | Mercado Municipal

 

Há um alemão, um americano e um italiano. Pode parecer o arranque de uma piada, mas é uma história real, uma história intemporal… intemporal como os três principais personagens, como o que os move, do que eles estão fugindo.

Três soldados… sobreviventes de todas as guerras da nossa história, condutores de veículos nas nossas praças, nos estádios, nos teatros… em qualquer lugar há alguém à espera deles, para levantar um memorial de guerra. Três soldados, que afinal são ingénuos palhaços, riem da estupidez humana e das clássicas e surpreendentes traições. Rir do Homem e do nosso caminho para pensar no nosso futuro.

 

Los 4 Tiempos

La GLO Zirko Dantza [ES]

 

DANÇA VERTICAL · M/6 | 30’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 20h00 e 23h30 | Praça Gaspar Moreira

27 maio | 17h00 e 23h10 | Praça Gaspar Moreira

 

Quatro peças com quatro elementos da natureza, materializadas em corpos suspensos ao ritmo dos quatro tempos dos batimentos cardíacos. Renasceu o coração da terra e está em constante transformação, levando o fluxo de água através da loucura do ar com o seu toque de brisa, para nos transportar para lá da energia do fogo, que aproveita a nossa loucura e o nosso lado mais selvagem.

 

 

Proyección Intervención

Belen Robeda [AR]

 

INSTALAÇÃO | MULTIMÉDIA · M/3 | 210’ · Estreia Nacional

 

26 e 27 maio | 21h30 | Rua Dr. Elísio de Castro

 

Espaços genéricos e monótonos que nos acompanham e se desenvolvem. A imagem transforma-se no protagonista dos nossos dias. O corpo volumétrico contrasta esteticamente com os planos, com a poética, com as políticas de género. Uma investigação estética centrada entre o feminino e o masculino e as suas consequências na sociedade atual. Materializam-se num corpo inerte, sólido e robusto, capaz de se transformar por ação da imagem numa instalação visual.

 

 

Irakurriz

Shakti Olaizola [ES]

 

PERFORMANCE | CIRCO · M/3 | 30’ · Estreia Nacional

 

26 maio | 16h20 e 22h15 | Rossio

27 maio | 15h15 e 19h45 | Rossio

 

Ficamos imersos num mundo de mulheres bastante peculiar. Ela traz os seus livros, como que os diferentes capítulos de uma história cheia de memórias, descobertas, reações, sonhos… Brinca com situações e objetos do seu percurso, descobrindo as suas memórias e partilhando com o público. Ações diárias e objetos transformam-se em espetáculo, desafiando o movimento, a voz, o equilíbrio, a dança e a contorção. Como vai terminar esta viagem?

 

 

Tecido Social, 2016''

Jacqueline Belotti [BR]

 

INSTALAÇÃO

 

26 e 27 maio | Rua Dr. Roberto Alves

 

Jacqueline foi seduzida pelas cores e formas das roupas e adereços pessoais nos beirais e estendais das ruas mais tradicionais da íntima Lisboa. Num trabalho que dialoga com o lugar, tendo por base a antítese entre público e privado, a artista explora a sua condição de contemporaneidade e viaja sem ateliê fixo, com tecidos e alfinetes, capazes de gerar ambientes geométricos sobrepostos e adaptar-se às ruas de qualquer cidade.

 

 

 

 

Vocês Também Fazem Parte

NB Academia de Atores [PT]

 

TEATRO · M/3 | 25’ · Estreia Absoluta

 

26 maio | 20h50 e 22h20 | Jardim da Academia de Música

27 maio | 21h15 e 23h00 | Jardim da Academia de Música

 

Um grupo de pessoa saturadas pela ineficiência de um sistema que explode em caos... Atordoadas, procuram criar uma nova realidade... O que será preciso?... A nova “ordem” surgirá imposta ou de forma natural?... Isto tem a ver “consigo”!... Vocês também fazem parte!

 

 

Hanging by a Thread

Di Filippo Marionette [IT]

 

TEATRO | MARIONETAS · M/3 | 35’ · Estreia Nacional

 

26 maio

16h10 | Praça da República

19h10 | Casa do Moinho

21h30 | Mercado Municipal

27 maio

15h10 | Praça da República

18h50 | Casa do Moinho

20h45 | Mercado Municipal

 

Criado no outono de 2012, Hanging by a Thread é o primeiro espetáculo da companhia Di Filippo Marionette. Resultado de dois anos de construção e investigação no universo das marionetas, o espetáculo inclui uma variedade de bonecos manipulados pelo ator-marioneta Remo Di Filippo e Rhoda Lopez. Eles dão vida com cada marioneta, com base em diferentes histórias e situações numa poesia surreal.

 

 

A Smile Change your Life

Mimo Huenchulaf [IT]

 

CLOWN · M/3 | 40’ · Estreia Nacional

 

26 maio

15h15 e 00h30 | Praça da República

19h45 | Mercado Municipal

27 maio

15h50 | Mercado Municipal

20h10 e 23h15 | Praça da República

 

Huenchulaf faz-nos passar o tempo de uma forma diferente, brinca com o público, veículos e outros elementos do espaço público, numa viagem a um mundo sem medos nem limites, onde tudo pode acontecer. Mímica clássica e contemporânea misturam-se com acrobacias num espetáculo de improviso, fresco e diferenciador.

 

Kukuryku

Ola Muchin [PL]

 

TEATRO | MARIONETAS · M/3 | 30’ · Estreia Nacional

 

26 maio

14h45 | Igreja Matriz

17h45 | Mercado Municipal

22h30 | Praça da República

27 maio

14h45 | Igreja Matriz

19h10 | Mercado Municipal

22h15 | Praça da República

 

O mágico mundano Osvaldo Drevno surpreende o público com suas estranhas e incríveis ilusões. Este artista é um assistente pouco comum e desenvolve os seus truques com a ajuda de um frango e outros personagens que surgem em surpreendentes circunstâncias. A sua magia é tão imprevisível que, por vezes, o próprio Osvaldo não sabe como tudo vai acabar. Magia e marionetas num espetáculo para toda a família.

 

 

Stop and Dance With Me

IF Human [BE]

 

PERFORMANCE · M/6 | 60’ · Estreia Nacional

 

26 maio

17h00 e 22h00 | Casa do Moinho

19h50 | Praça da República

27 maio

16h15 e 20h40 | Casa do Moinho

18h30 | Praça da República

 

Stop and Dance With Me é uma performance do coletivo IF Human cuja ideia é bastante simples: propor a um transeunte uma dança ao som de uma canção. Os performers urbanos interagem com a audiência, deixando o convite para uma dança silenciosa para a comunidade, introspetiva e divertida. Unem-se duas pessoas numa bolha social, num ponto de encontro informal e efémero numa qualquer rua atual.

 

EQUIPA IMAGINARIUS

 

 

Direção Executiva
Gil Ferreira

 

Direção Criativa & Gestão de Projeto
Bruno Costa
Daniel Vilar

 

Direção Financeira
Paulo Ferreira

 

Direção de Comunicação
Gilda Sá

 

Assessoria à Direção Financeira e Gestão de Projeto
Elsa Sousa

 

Direção de Recursos e Logística
Martins Correia

 

Produção
Andrea Valente

 

Técnica
Humberto Teixeira

 

Trânsito e Segurança
Adriana Teixeira
Pedro Oliveira

 

Relações Públicas
Suzete Monteiro

 

Imprensa
Isabel Ferreira

 

Gestão de Conteúdos e Publicidade
Sofia Tavares

 

Design Gráfico
José Vinhas
Sérgio Dias

 

Ilustração
André da Loba

 

Vídeo
Pedro Alves

 

Redes Sociais e Website
Rui Silva

 

Secretariado
Elisabete Cardoso

 

Imaginarius Infantil
Ana Carvalhinho
Carla Palhares

 

Residências Artísticas
José Cardoso

 

Mais Imaginarius
Marco Santos

 

Imaginarius OFF
Marco Santos

 

Acolhimento e Informações
Paula Magalhães
Pedro Marques
Isaura Santos
Sara Andrade

 

Relações Internacionais
Rosário Meneses

 

Eletricidade
Maximino Ferreira

 

Imaginarius PRO
Adriana Brandão
João Matos

 

FRESH STREET#2
Marta Bernardes
Adriana Brandão
João Matos
Márcio Laranjeira

 

Projetos Comunitários
Lisete Costa

 

Projetos Financiados

Sílvia Pinto

 

Higiene e Segurança Alimentar
Carla Alves

 

Imaginarius Participa
Teresa Ferreira
João Silva

 

Acessibilidade
António Sá Pereira
Catarina Bento

 

Traduções
Vítor Magalhães

 

NOTAS

 

O programa poderá ser sujeito a alterações inesperadas e sem aviso prévio devido às condições meteorológicas.

No recinto do festival ocorrerão cortes temporários de iluminação pública, de forma a possibilitar a realização de alguns dos espetáculos.

A lotação de alguns espetáculos é limitada ao espaço disponível para o acolhimento do público, pelo que aconselhamos a deslocação antecipada para o local da sua realização.

Lida 454 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

39 Aniversário do Rancho "Os Camponeses da Beira-Ria" - Bunheiro

O rancho folclórico “Os Camponeses da Beira-Ria”, do Bunheiro Murtosa, comemorou no passado domingo o seu trigésimo nono aniversário. A festa era para ser realizada na Casa-Museu Custódio Prato, mas a chuva levou os responsáveis a mudar o local para a sede da Junta de Freguesia.

Invasões Francesas em Arrifana | Santa Maria da Feira

As Invasões Francesas em 1809 deixaram uma marca vincada na história do povo de Arrifana, concelho de Santa Maria da Feira. Há quem diga que tal sofrimento provocou um síndrome de bairrismo invulgar na população.

Alunos do secundário mergulham no Imaginarius

Projeto “Fractions of Whole” é uma criação em estreia absoluta

Para os alunos do 10.º ano do Curso de Animação Sociocutural da Escola Secundária Coelho e Castro, de Fiães, a criação de um espetáculo para o festival Imaginarius é um grande desafio e uma oportunidade única que – acreditam os jovens – vai marcar o seu percurso escolar e ajudar a definir o seu rumo profissional. O performer e acrobata Daniel Seabra assume a coordenação artística de um amplo projeto de capacitação para o circo contemporâneo e criação artística, que arrancou em fevereiro, intitulado “Fractions of a Whole”, cujo resultado será apresentado em estreia absoluta no Imaginarius, nos dias 25 e 26 de maio.