Pág. 4 de 7

Ondas da Serra pontualmente efetua alguns eventos onde pretendemos envolver a nossa comunidade. Nós achamos ser nosso dever partilhar os nossos conhecimentos, sobre yoga, meditação, amor que temos pela humanidade, património natural e arquitetónico, animais e tradições. Defendemos um mundo melhor, onde as pessoas vivam em harmonia consigo próprias e com o universo, sem semearem a discórdia. Já fomos andar de bicicleta, de bateira na Ria de Aveiro, de barco no Rio Douro, subimos serras, mergulhamos em lagoas, fizemos yoga e meditação e partilhamos almoços em locais fantásticos. Aqui ficam alguns dos nossos momentos, não perca a oportunidade de viajar connosco.

Ontem conseguimos finalmente realizar o nosso evento “Meditação nas Ondas da Serra”, depois de sucessivos adiamentos devido ao mau tempo, mas a espera valeu a pena. Mais de duas dezenas de pessoas participaram na nossa caminhada, num grupo constituído por pessoas de todas as idades e géneros, do Porto, Arouca e Ovar. Em conjunto partilhamos momentos especiais num dia que pensamos perdurará nas suas memórias.

Antes de se ter abatido o dilúvio durante o mês de março, a nossa equipa teve ainda tempo de ir fazer a Macieira de Alcôba – Águeda, o PR4 - Trilho das “Terra de Granito”.

O trilho da ponte de ferro começa e acaba em Travassô – Águeda, devendo o seu nome à ponte ferroviária sobre os Rio Velho e Águeda, por onde ainda passa o “Vouguinha”, na linha que liga Aveiro a Sernada do Vouga. Este percurso pode ser feito a caminhar ou de bicicleta.

Depois de nós últimos tempos termos feitos algumas caminhadas exploratórias, Ondas da Serra resolveu mudar de ares e ir pedalar para Águeda e Server do Vouga. Com base neste objetivo fomos conhecer a Ecopista do Vale do Vouga e vamos relatar aqui a nossa experiência e algumas sugestões que poderão ser úteis.

Os nossos leitores mais assíduos devem lembrar-se do artigo que fizemos sobre a Rota do Ouro Negro, que começa em Fuste e termina em Rio de Frades. Pois bem regressamos a este último local para explorarmos desta vez a Rota do Carteiro.

Pág. 4 de 7