O Reiki na vida de três mulheres Sara Valente, Ana Silva (terapeuta de reiki) e Carla Ferreira
sábado, 21 dezembro 2019 09:55

O Reiki na vida de três mulheres

Classifique este item
(1 Vote)

O Ondas da Serra foi até São João da Madeira e falou com três mulheres que nos contaram como reencontraram o equilíbrio com a energia universal. Quais foram essas encruzilhadas que levaram estas mulheres para o mesmo trilho, que começa a ser percorrido por um número crescente de pessoas, mas que ainda é alvo de reservas por ser uma terapia alternativa, o Reiki.

Ana Silva é terapeuta de Reiki em São João da Madeira e reparte a sua vida entre esta cidade e Almada, onde trabalha no Hospital Garcia da Orta. Durante a nossa conversa pudemos testemunhar o amor e carinho que sente pelo seu trabalho e pacientes - “Por vezes pedem que eu segure a mão deles sem me conhecerem de lado nenhum.

A dada altura da sua vida teve que enfrentar uma separação…  e isto permitiu-lhe concretizar um sonho antigo que era o fazer voluntariado.  Fê-lo na cruz vermelha, onde frequentou o curso de socorrista e uma das suas especificidades era dar apoio aos peregrinos. Um dia, em Coimbra, a sua coordenadora, talvez suspeitando do seu dom, encaminhou-a para as massagens e para o Reiki.  Apesar da apreensão inicial a experiência correu tão bem que, no final, os peregrinos abraçavam-na!

A Ana fez os dois primeiros níveis do Reiki e esta terapia veio ainda mais reforçar a sua pessoa apaziguadora, bem como a abnegação com que gosta de ajudar - “A definição de Reiki é o amor incondicional e uma energia universal que passamos através das mãos às pessoas.

Esta terapia, segundo Ana, pode ajudar as pessoas que têm doenças oncológicas - “Muitas vezes nas doenças, principalmente no cancro, ajuda bastante as pessoas a perceberem e amarem a sua doença, o que é fundamental.

A comunidade médica já não está tão fechada como no passado e esta terapia encontra-se implementada em alguns hospitais no tratamento de doenças oncológicas. A Ana está a trabalhar para que o próximo hospital a implementar esta terapia para ajudar os doentes seja o seu.

Como em tudo na vida, Ana refere que no Reiki também há bons e maus profissionais, mas ninguém o consegue fazer sem um dom, sem a dádiva aos outros e amor no coração.

 Em Portugal existem algumas associações para certificaram esta terapia, mas para ela o passa a palavra ainda é a melhor salvaguarda para as pessoas terem o mínimo de segurança.

A Ana reconhece a posição pouco favorável que por vezes a comunidade médica e científica têm em relação às terapias alternativas. No entanto, ela acha que as duas podem ser complementares até porque o Reiki não cura tudo - “Os médicos devem começar a abrir a mente nesse sentido porque há coisas a que eles não dão explicação. Por vezes os doentes têm dores e pedem-me a mão sem saberem que eu pratico Reiki”.

Uma terapia de Reiki não tem nada de bruxaria! confidenciou-nos Ana a rir - o paciente durante uma terapia não tira a roupa, só os sapatos, pulseiras e relógio. Ela aplica as técnicas que aprendeu, com as mãos ao longo do corpo sem o tocar, com exceção da cabeça e barriga das grávidas, numa sessão de horário variável consoante a necessidade e que pode ser repetida até a pessoa estar estabilizada.

Carla Ferreira, de Arrifana, é administrativa numa empresa e uma das pacientes da Ana. Veio praticar Reiki por indicação da sua médica, depois de ter tido cancro da mama e necessitar de ajuda para estabilizar o seu corpo a vários níveis.

Pratica há cerca de um ano e agora sente-se menos stressada e nervosa. “O Reiki faz maravilhas, mas a pessoa como disse a Ana, também tem que estar predisposta a mudar. “Estou super satisfeita com o trabalho da Ana, acho que ela é uma excelente terapeuta e além de terapeuta é uma amiga”.

Sara Valente, de Santa Maria da Feira, uma mulher de sete ofícios, reparte a sua vida pela psicologia, formação e administração numa empresa. Já conhece a Ana Paula há alguns anos porque sempre foi próxima da família. O Reiki apareceu durante a sua adolescência quando passava por algumas dificuldades emocionais que estiveram associadas à separação dos pais, conflitos familiares e ingresso na Universidade. Foram, na altura, demasiadas mudanças que a fragilizaram.

O Reiki veio dar-lhe espaço e um refúgio para si - “Eu acho que o Reiki ligou-me muito com a minha parte espiritual, como apareceu na minha adolescência pode também ter moldado a minha personalidade com base nesses valores, que são importantes e por vezes nos esquecemos. Eu como psicóloga vejo muita gente das mais variadas idades que estão tão preocupados com tudo à volta delas, mas não olham para dentro…  e depois adoecem”.

Numa época em que mais se sofre com depressões nesta era global das ligações à velocidade da luz com a subsequente projeção das máscaras de cada um de nós, as pessoas que queiram trilhar novos caminhos não devem perder a esperança, mas têm que procurar o seu ser espiritual - Reiki, Yoga, Meditação ou Religião, estão ao seu dispor.

Se ainda tiver dúvidas ou se sentir desesperado envie-nos um e-mail, pois talvez já tenhamos passado por isso e estamos aqui para o ajudar e lhe indicar caminhos - viver em sociedade implica não estarmos desligados dos outros. Connosco e com o exemplo de vida destas três mulheres você nunca estará sozinho!

Telefone Ana Paula: 914 536 883 | Centro de Terapias Holisticas e Ocidentais

  

 

Lida 851 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.