Troupe de Reis Joc-Loc - 2018 Troupe de Reis Joc-Loc - 2018
quarta, 10 janeiro 2018 01:51

Troupe de Reis Joc-Loc - 2018

Classifique este item
(0 votos)

Ondas da Serra esteve no dia de Reis, 6 de janeiro, no café Ideal, com muitas décadas e tradições em Ovar para escutar as troupes convidadas. A sexta Troupe a cantar foi a Joc-Loc.

Músicas: António Covas;

Letras: Manuel Pires de Bastos e Júlio Dinis (em “A Morgadinha dos Canaviais”);

Violões: Victor Santos, António Castro, Carlos Santos, Hélder Ventura, Filipe Castro, Daniel Andrade, Pedro Pais, Ricardo;

Bandolins: Manuel Duarte, André Fonseca;

Violinos: Alcino Andrade, Manuel Pires de Bastos, Ricardo Pires;

Flauta: Ricardo Moreira;

1ª voz: Manuel Luís Tavares, José Carvalho, José Carlos Gomes, Humberto Pereira, João Cardoso, António Duarte, Emanuel Oliveira, Dinocrato Crujeira e Ricardo Nunes;

2ª voz: João Costa, Adelino Serdoura, Paulo Costa, Álvaro Duque, Domingos Cunha, José Ferreira Silva, Carlos Sá, André Ventura, Pinto Pereira, Josefino Correia, João Carlos Sequeira, David Moço, Torcato Rocha e João Moço;

3ª voz: Jaime Graça, António Cardoso, José Polónia, António Covas, Fernando Oliveira, Alexandre Silva, António Costa, João Fernando Costa, Bernardino Fonseca e Vítor Lopes.

Ver todos os vídeos.

Vídeo

 

Lida 212 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social com distribuição da informação pela Internet, que visa promover a identidade regional e o turismo através da promoção da cultura, património, monumentos, museus, desporto, economia, gastronomia, ecologia e coletividades dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca e dos restantes municípios desta região.

Itens relacionados

Bruno Monteiro: “O violino é a minha paixão”

O equilíbrio entre a emoção e o intelectual define Bruno Monteiro enquanto um dos melhores violinistas portugueses da atualidade. Nasceu no Porto, vive em Santa Maria de Lamas, e falou com o Ondas da Serra sobre as experiências emocionais que cria sempre que toca violino. “Tocar para as pessoas é comunicar emoções e raciocínio. É tudo.” A trabalhar no 12.º álbum, o artista promete mais um trabalho fora do comum, “apaixonado e obscuro”.

Minha terra, meu Museu

Após visita ao Vale Mágico em busca da arte expressa nas ruas através do seu ‘Walking Tour de Arte Contemporânea’ voltamos ao ambiente  “… cercado de montanhas de formas extravagantes...” de Ferreira de Castro para saber mais da sua história, pois assim o teria de ser... e fomos ao museu.

O Museu Municipal de Vale de Cambra situa-se na freguesia de Macieira de Cambra nos antigos Paços do Município, que foi a sede do concelho até 1926. Dista 3Km do centro de Vale de Cambra e é o primeiro andar de um edifíco do séc. XIX onde funciona no rés-do-chão a Junta de Freguesia.

As Giestas da Maria Alice

Os nossos leitores devem estar recordados de termos contado a nossa aventura de bicicleta entre Castelo de Paiva e Alvarenga. A dada altura em Vila Viçosa – Espiunca - Arouca, no final duma subida, surgiu na curva uma pequena casa, com um bonito e colorido jardim à beira rua plantado. A pequena casa e terreno estavam totalmente submersos por todo o tipo de plantas, flores, vasos e onde as giestas eram rainhas. Como gostamos de fotografia e dos aromas que o ar adornava, paramos um pouco para contemplar a maravilha.

Faça Login para postar comentários
Pub