domingo, 12 novembro 2017 22:41

E a Moita aqui tão perto… Destaque

Classifique este item
(1 Vote)

Em Ovar existe um local que passa frequentemente despercebido, a Moita. Nós passeamos com regularidade pelos seus caminhos, apreciando os campos, aves, insetos, flores, águas, esteiros e ria. Os quadros variam com as estações, humores do tempo, pessoas, fauna e flora.

Conheça a Moita em Ovar

O cheiro a ria é inconfundível e em cima da pequena ponte da Moita a vista alcança e abrange toda a linha do horizonte. Este é o ponto de encontro dos pescadores desportivos ou observadores de aves.

Pelos seus caminhos em terra batida encontramos pescadores, agricultores, turistas ou caminhantes ocasionais. No final da estrada em terra batida resiste ainda e sempre um casebre familiar, os seus moradores já se cruzaram connosco e nós parecemos não lhes inspirar confiança, lá terão as suas razões, nem todos sabem respeitar o “dono” da terra.

Carlos Gomes com a sua bicicleta "Rosita"

Neste dia encontramos a passear com a sua bicicleta "Rosita", Carlos Gomes, natural da Ribeira e residente em São Miguel de Ovar, casado, com 67 anos de idade, trabalhou 47 anos na empresa Batista e Irmãos em Ovar. De olhar sereno e temperamento calmo, contou-nos que antigamente aqueles campos junto à ponte eram mais verdes e as águas mais doces, agora entra água mais salgada que mata tudo e a vegetação fica queimada.

Os problemas da ria

Segundo o mesmo este problema teve inicio há cerca 20 anos quando fizeram as obras na barra que permitiram às águas entrar e sair com mais pressão e velocidade. As preias-mar também são maiores e atingindo a água maior altura. Indicou-nos com o braço o local junto à ponte onde já se está a formar uma lagoa. A própria força da corrente trás consigo lodo e areia branca. Foi a área que o levou naquele dia à Moita, porque essa areia chama robalos e há uns dias um amigo seu pescou ali muitos destes peixes. Há muitas décadas os pais do seu amigo cultivavam um térreo ali perto, ele ainda criança com o amigo andavam por ali a cortar mato até junto do braço de ria, mas agora está tudo queimado sem vegetação. Frisou que antigamente naquele local existiam muitas terras de cultivo e indicou-nos duas terras que se vê da ponte da Moita para norte conhecidas pela Ilha e Boca do Rio.

Mas lá o deixamos ir embora a pedalar para fazer aquilo que disse gostar mais, ver a paisagem.

Já no nosso regresso fomos surpreendidos por uma família de etnia cigana que permitiu que tirássemos umas fotos para alegria das suas crianças.

Na ida e no regresso podemos ouvir e ver um bando de corvos que parecem ser os arruaceiros do local. De todas as vezes que ali vamos, vemos sempre estas aves a esvoaçar e pousar nos campos. Fazem de tal maneira barulho que até parecem que se estão a divertir com a algazarra que criam.  

Leia também: Percursos pedestres/bicicleta em Aveiro 

Galeria de fotos

Lida 1058 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Felisberto Amador | Mestre do machado na Ria de Aveiro

Em outros tempos a Ria de Aveiro era sulcada por moliceiros, mercantéis, bateiras e outras embarcações em madeira que o tempo foi apagando, assim como os homens que lhes davam forma com a sua arte e engenho, munidos apenas com ferramentas rudimentares.

Manhouce terra do canto da natureza e tradições

Num dia que ameaçava chuva, imbuídos desta necessidade de mergulhar no interior profundo de Portugal, fomos conhecer Manhouce, do concelho de São Pedro do Sul e distrito de Viseu. Pelos seus caminhos percorremos o PR1 - Rota de Manhouce, conhecemos algumas das suas aldeias e tivemos um vislumbre das riquezas naturais do Maciço da Gralheira.

ADUM - Associação Dona Urraca Moreira | Defesa e valorização do património Oliveirense

O Ondas da Serra foi conhecer a ADUM - Associação Dona Urraca Moreira, localizada em Madail – Oliveira de Azeméis, que se dedica à defesa e conservação da natureza e património histórico do concelho. Neste artigo vamos conhecer o seu presidente, a sede da associação e sua história, que atividades têm desenvolvido e quais são os maiores problemas que têm enfrentado nestas áreas.