Pág. 4 de 4

Ver (24)

Ver

Ondas da Serra possui na sua equipa pessoas apaixonadas pela fotografia e vídeo, por esta razão sempre que for possível iremos contar as nossas “histórias” através destas ferramentas porque acreditamos que as narrativas ganham valor e contribuímos para criar um repositório cultural recorrendo a imaginário coletivo das nossas gentes.

Convidamos os nossos leitores a ajudarem-nos nesta tarefa enviando-nos as suas fotos e imagens das suas tradições e cultura. Para esta recolha poderão utilizar as novas ferramentas de comunicação, telemóveis, tablets ou as vulgares máquinas fotográficas para mostrarem ao mundo a beleza das suas terras e tradições. Lembre-se que é impossível estarmos em todo lado e basta um pequeno vídeo ou uma fotografia realizadas com emoção para despertarem a curiosidade alheia e contribuir para divulgar e fazer perdurar a cultura tradicional. Não se preocupe com a qualidade mas com o conteúdo.

O vareiro José Fonseca foi o primeiro a partilhar os seus os seus vídeos com "Ondas da Serra". Neste seu trabalho estão algumas das suas gravações da noite de Reis do passado dia 06-01-2017 - Café Avenida - Ovar.

A equipa Ondas da Serra possui em Ovar o grande amigo Fernando Pinto que acumula com as excelentes qualidades jornalísticas o dom da poesia e que brinca com as palavras duma forma singela e leve que utiliza para espelhar o seu amor pelo nosso MAR, RIA e OVAR. Neste vídeo efetuado por Ondas da Serra são retratados algumas cenas quotidianas da cidade vareira, as suas ruas históricas vestidas de azulejos, os seus jardins banhados pelo Rio Cáster e sol radioso no meio do chilrear dos pássaros, mas poeta é ele não somos nós que diz que “Ovar é um poema entre a Ria e o Mar”.

As fotografias deste moral representam uma parte importante da identidade vareira e a forma como os azulejos conferem à cidade de Ovar uma atmosfera especial, típica e bairrista, em contraste com os edifícios modernos, que podem ser muito funcionais e ter a sua beleza mas que não representam a alma de um povo.

O Pão-de-ló de Ovar é um doce regional tradicional deste concelho, caraterizado por ser confecionado com a gema do ovo e o seu aspeto molhado e aparentemente “mal cozido”, que acabam por lhe conferir o seu carácter único representativo da identidade vareira. Este doce leva farinha, açúcar, ovos, é batido, leva ou não sal, sendo cozido em fornos e vasilhas de barro próprias a uma temperatura oscilante entre 180 e 220 graus, sendo retirados quase crus e acabando por cozer na forma.

No centro da cidade de Ovar pode passear e apreciar a tranquilidade do seu novo parque urbano, visitar a casa museu Júlio Diniz, saborear o seu pão-de-ló, estar atento às casas centenárias cobertas por azulejo que transformou a cidade num museu para esta arte. Não deixe de visitar o museu de arte sacra ou trajes regionais. No Centro de Artes são realizados espetáculos de qualidade durante todo o ano.

O Pão de Ló de Ovar é um doce regional tradicional deste concelho, caraterizado por ser confecionado com a gema do ovo e o seu aspeto molhado e aparentemente “mal cozido”, que acabam por lhe conferir o seu carácter único representativo da identidade vareira.

Pág. 4 de 4