segunda, 11 setembro 2017 21:57

Trilho da floresta Destaque

Classifique este item
(2 votos)

A rede de ciclovias e ecopistas do concelho de Ovar possui cerca de 30 km de extensão e oferece várias paisagens em ambiente urbano e natural. A maior parte dos seus percursos oferecem segurança às pessoas que por ali caminham ou se deslocam de bicicleta. Apesar disso, nos últimos tempos, a segurança tem decrescido pois começaram a ser usadas por alguns incautos condutores de bicicletas elétricas e mobiletes.

Ondas da Serra pedalou pelo trilho da floresta, sempre muito utilizado com especial incidência aos fins-de-semana. Com cerca de 15 km de extensão entre Cortegaça e Furadouro, a floresta é maioritariamente constituída por pinheiros e as suas sombras oferecem no verão um resguardo do sol. Este percurso passa perto das praias de Esmoriz, Cortegaça, São Pedro de Maceda e Furadouro.    

Esta ciclovia é separada da estrada e protegida por troncos de madeira o que oferece alguma proteção. Em muito locais, foram construídos passadiços que fazem trepidar as rodas dos velocípedes. Há ainda ciclistas que devido ao menor trânsito vão pela estrada, o que desaconselhamos, já que ali aconteceram acidentes graves.

O seu trajeto tem ainda algumas particularidades: uma é o facto da via contornar o Aeródromo de Manobra Nº1 da Força Aérea Portuguesa; a outra, é passar por uma antiga e pestilenta lixeira que foi encerrada, lixeira esta que passa despercebida a quem não conhece o local, já que até o seu portão desapareceu.

No final do trajeto, se tomar o sentido norte-sul, encontra uma antiga casa do guarda florestal que se encontra em decadência e deveria ter outro uso. Ali perto fica também situado o parque de campismo do Furadouro. Por ser uma via conhecida localmente pela “Estrada da Mata”, é ainda usada para práticas antigas que há muito deveriam ter sido enquadradas legalmente. A maior parte do percurso da meia-maratona de Cortegaça, que se realiza no mês de outubro, passa pela mesma.

Leia também: Percursos pedestres/bicicleta em Aveiro

 

Saber mais sobre a zona florestal e cicloria a).               

A sementeira ou plantação de várias espécies de vegetais, para suster as areias que, impelidas pelo vento, avançavam sobre as terras de cultivo do concelho de Ovar, remontam ao período medieval. Todavia, só a partir da primeira metade do século XVII começaram os esforços para cercar Ovar, a Norte e Poente, por uma grande mancha florestal cuja exploração ficou a cargo dos poderes públicos.

A atual mancha florestal é fruto de um trabalho iniciado em 1919, ano em que os terrenos arenosos, na posse da Câmara Municipal, foram sujeitos ao regime florestal.

A zona floresta é hoje um autêntico <<pulmão>> do concelho e uma área privilegiada para atividades de recreio e lazer.

 

Projeto CicloRia

O Projeto CicloRia, em Ovar, integra-se numa Rede de Ciclovias já existente, que representa uma aposta estratégica de criação de uma Rede de Mobilidade Ciclável e Pedonal do Concelho de Ovar, constituída pelas Avenidas das Praias de Esmoriz e Cortegaça, Zona Escolar, Avenida da Régua, o Trilho da Floresta, Ecopista do Atlântico que ligará as praias de Esmoriz, Cortegaça e Furadouro pela Estrada Florestal, os projetos no âmbito do Pólis da Ria de Aveiro, entre outros.

Recorde-se que o Projeto CicloRia resulta de uma parceria entre os Municípios de Ovar, Estarreja e Murtosa e a Universidade de Aveiro.
Trata-se de uma rede de percursos cicláveis associados a um programa de atividades de animação e promoção do uso da bicicleta e estilos de vida saudável.

a) Fonte: CM Ovar.

 

 

Lida 731 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

De Ovar a Aveiro: sobre a importância do tempo

O Ondas da Serra, ou melhor o Sílvio, o Rui e eu, percorreu Ovar a Aveiro em bicicleta. A aventura começou no primeiro dia em que se ponderou fazer o caminho desde a cidade vareira à cidade dos canais, sempre com a Ria como apoio. Foram mais de 10 horas de percurso e perto de 90 quilómetros de caminho. Mais do que pedalar, ficar espalmado ou mergulhar os pés na lama, ficou a importância do tempo.

Terras de Fuste, Função e Paço de Mato

Ondas da Serra partiu à descoberta um destes dias por terras de Vale de Cambra. Deixamos o carro em Rogê, perto do Centro Cívico e partimos para desbravar terrenos e procurar aventuras. Não fomos de caravela, nem navegamos numa nau, levamos a bicicleta, não levamos varapau. 

Paraduça e suas gentes

O Ondas viajou até Paraduça – Vale de Cambra, onde conhecemos alguma das suas gentes e moinhos de rodízio. Nesta aventura tivemos como guia o PR6 – Rota dos Moinhos, que está muito bem assinalado e aconselhamos vivamente. O tempo não esteve famoso, a chuva miudinha não parou de cair, o ambiente estava enevoado e esperamos em vão que o céu mostrasse o seu sorriso.

Faça Login para postar comentários
Pub