Sistelo aldeia rural uma das sete maravilhas de Portugal Sistelo aldeia de Portugal - Arcos de Valdevez, socalcos e veiga agrícola Ondas da Serra

Sistelo aldeia rural uma das sete maravilhas de Portugal Destaque

Classifique este item
(3 votos)

Sistelo é uma aldeia de montanha, situada no interior nortenho, do concelho de Arcos de Valdevez, enclausurada no alto da Serra da Peneda em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês. Ao longo da história os seus habitantes moldaram a paisagem montanhosa agreste, profundamente rural, em socalcos para amanharem o sustento e criarem bovinos da raça cachena. Os forasteiros apaixonaram-se pela sua beleza e começaram a chamar-lhe de Tibete Português. O rio Vez atravessa o seu vale e o povo chama-lhe seu e canta-lhe canções de amor. A sua eloquência é realçada por quem percorrer a sua ecovia ou passadiços. No entanto, a desertificação do interior também atingiu esta terra e os seus habitantes permanentes contam-se pelos dedos das mãos. Isto levou ao abandono agrícola que tem apagado a sua marca distintiva, com o crescimento de vegetação e derrocadas nos socalcos abandonados outrora totalmente cultivados.

Sistelo a aldeia dos socalcos por excelência 

Sistelo Aldeia de Portugal

Créditos da foto: aldeiadesistelo.pt

Conhecemos a aldeia de Sistelo, depois de termos percorrido as três etapas da Ecovia do Vez. Foi um final épico para uma jornada naquela que é em nossa opinião a melhor ecopista do norte e uma das melhores de Portugal. Na parte final já percorremos os passadiços do Sistelo e vimos abrir-se à nossa frente, uma paisagem que rivaliza com o Monte Olimpo, onde os deuses passeiam pelos socalcos erigidos pela força humana.

Nesse fim-de-semana pernoitamos na aldeia e retemperamos força num jantar, na Casa do Castelo do Visconde de Sistelo, agora convertida em restaurante. Neste espaço degustamos o prato regional de carne Cachena, acompanhado pelo com arroz de feijão tarrestre. No dia seguinte regressamos pela mesma ecopista para o início do percurso onde tínhamos deixado o nosso automóvel.

Posteriormente passamos umas férias no Mezio, acampados no Parque de Campismo de Travanca e aproveitamos a proximidade para regressar ao Sistelo para percorrer o PR24 - Trilho dos Socalcos de Sistelo.

Havemos de regressar no Verão para fazer os restantes percursos pedestres e banharmo-nos numa das suas lagoas do rio Vez. Esta terra tem uma beleza rural fantástica que nos atraia e inebria de tal maneira que é muito difícil abandonar as suas terras. 

Pode ler esta reportagem na totalidade ou clicar no título abaixo inserido para um assunto específico:

  1. Caracterização de Sistelo
    1. Descrição de Sistelo
    2. Localização e geografia de Sistelo - Onde fica Sistelo
    3. Mapa de Sistelo
    4. Como chegar ao Sistelo
    5. Ficha Técnica de Sistelo
  2. História de Sistelo
    1. História da comunidade rural de Sistelo
    2. Sistelo pequeno Tibete Português
    3. Aldeias de Montanha
    4. Importância das Aldeias de Montanha
    5. Problemas das Aldeias de Montanha
  3. Ecossistema de Sistelo
    1. Serviços de ecossistema
    2. Biodiversidade de Sistelo
    3. Reserva Mundial da Biosfera
    4. Rio Vez
  4. Património cultural e paisagístico de Sistelo
    1. Paisagem Cultural de Sistelo
    2. Veiga Agrícola de Sistelo
    3. Paisagem cultural do milho em Sistelo
    4. Valor estético e herança cultural da paisagem
    5. Turismo em Sistelo
    6. Caça e Pesca em Sistelo
    7. Gado bovino da raça cachena
    8. Aldeia de Portugal de Sistelo
    9. Sistelo é uma das 7 Maravilhas de Portugal - 2017 Aldeias Rurais
  5. O que visitar no Sistelo
    1. O que ver no Sistelo
    2. Pontos de Interesse em destaque no Sistelo
    3. Pontes de Sistelo
    4. Praias fluviais do Sistelo
  6. Passadiços do Sistelo
    1. Descrição dos Passadiços do Sistelo
    2. Localização dos Passadiços do Sistelo
    3. Ficha técnica dos Passadiços do Sistelo
    4. Novos Passadiços do Sistelo
    5. Galeria de fotos dos Passadiços do Sistelo
  7. Percursos pedestres que começam ou passam por Sistelo
  8. Ecovia do Vez
    1. Descrição da Ecovia do Vez
    2. Ficha técnica dos Passadiços do Sistelo
  9. Comer e dormir no Sistelo
    1. Gastronomia de Arcos de Valdevez
    2. Restaurantes no Sistelo
    3. Alojamento no Sistelo
  10. Avaliação do Sistelo
  11. Galeria de fotos de Sistelo

Caracterização de Sistelo

Sistelo Aldeia de Portugal

Descrição de Sistelo

"A aldeia de Sistelo, intitulada como “pequeno Tibete português”, tem nos socalcos uma marca identitária única em todo o país. Os socalcos, moldados durante centenas de anos pela força do homem com o propósito de transformar um terreno montanhoso e hostil em terreno cultivável para produção de cereais e pastagem para raças de vacas autóctones, conduzem as águas por um sistema específico de regadio, transformando um território montanhoso inóspito num local eco sustentável para a agricultura e pecuária.

Vista do alto da serra, a aldeia parece um puzzle, onde as casas se encaixam sobre o terreno hostil. As casas tradicionais de granito, os moinhos e os espigueiros perdem dimensão face à grandiosidade daquele vale inclinado e encaixado, que se faz acompanhar pelo rio Vez."9

Localização e geografia de Sistelo - Onde fica Sistelo

"Sistelo é uma freguesia rural de montanha localizada na serra da Peneda, Concelho de Arcos de Valdevez, no noroeste de Portugal (41º 58’ N; 8º 22’ W). Com uma área de 26,2 km2 (2623,35 ha), Sistelo apresenta um relevo acidentado, com altitudes que variam entre 180 m e 1360 m. O clima desta região é mediterrâneo marítimo, com uma temperatura média anual de 13 ºC e a precipitação média anual é de 2093 mm (SNIRG, 2004 – dados de 1960 a 2000).

A área é percorrida por uma densa rede hidrográfica dos vários rios e ribeiros que atravessam a freguesia, destaca-se o rio Vez, principal afluente do rio Lima."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).  

Mapa de Sistelo

Mapa de Sistelo

Créditos da foto:20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Como chegar ao Sistelo 

"Porto: Siga pela A3 em direção a Valença. Saia ao Km 78 em direção aos Arcos de Valdevez, após pagar a portagem siga no IC28 em direção a Arcos de Valdevez. Cerca de 15km depois deixe o IC28 e siga as indicações de Arcos de Valdevez. À entrada da vila de Arcos de Valdevez, siga as indicações para “Sistelo”/”PNPG”/”Mezio”. Siga pela N202-2, seguindo as indicações de Sistelo e cerca de 22 km depois chegará à aldeia.

Monção: A partir de Monção acesso pela EN 304, e quem vai dos Arcos de Valdevez pela EN 101 (direção Monção) apanhar a EN 202-2."7

Ficha Técnica de Sistelo 

  1. Caracterização Administrativa: Sistelo é sede de freguesia, concelho de Arcos de Valdevez, localizada na sub-região do Alto Minho, pertencendo à região do Norte e ao distrito de Viana do Castelo;
  2. Caracterização geográfica:
    • Sistelo é uma aldeia de montanha, situada na Serra da Peneda, com relevo acidentado;
    • "Sistelo fica situado a norte do concelho de Arcos de Valdevez, a estender-se por cerca de 2683 ha, em plena serra da Peneda, tendo o rio vez a iniciar aí o seu percurso de águas límpidas e cristalinas, esta freguesia serrana está a cerca de 20 km da sede do concelho arcoense. Os seus limites estão assim estabelecidos: a norte, a freguesia de Merufe do concelho de monção. A sul e a nascente, a freguesia de Cabreiro. A poente a freguesia de Loureda."17
  3. Área: 26,2 km2 (2623,35 ha);
  4. Coordenadas GPS: 41°58'24.08"N - 8°22'27.85"O;
  5. Altitude: 180 m e 1360 m;
  6. Clima: O clima de Sistelo é mediterrâneo marítimo, com uma temperatura média anual de 13º e a precipitação média anual é de 2093 mm; 
  7. Serra: Serra da Peneda;
  8. Rio principal: Rio Vez, afluente do Rio Lima, que atravessa apenas o concelho de Arcos de Valdevez e tem cerca de 40 km de extensão e 1300 metros de altitude;
  9. Pontes sobre o Rio Vez:
    • Ponte da Beige;
    • Ponte do Visconde;
    • Ponte Medieval da Portela;
  10. Parque Nacional: A aldeia de Sistelo está inserida na área do Parque Nacional da Peneda-Gerês;
  11. Distâncias:
    • Distância de Sistelo a Arcos de Valdevez: 19,5 km;
    • Distância de Sistelo a Jolda de São Paio: 32,7 km; 
    • Distância de Sistelo a Ponte da Vilela: 10,5 km;
  12. Elementos arquitetónicos da paisagem em destaque:
        • Socalcos de Sistelo: "Estas estruturas construídas permitiram contrariar os acentuados declives, aumentar a superfície agrícola e conservar um solo profundo e fértil (ARDAL, 2002; Ribeiro, 1998)".20
        • Veiga agrícola: "Apesar da fertilidade dos terrenos de Sistelo, a elevada humidade da zona não a torna adequada para todos os tipos de cultivo, como o milho e outros cereais. Nascem assim os socalcos tão característicos de Sistelo que surgiram da necessidade de criar terrenos mais adequados a outros tipos de cultivo, resultando numa veiga agrícola multifacetada onde os habitantes conseguiam uma agricultura de subsistência variada."2
        • Regadios do Sistelo: "Estes regadios tradicionais de montanha são estruturas colectivas que servem a população de uma aldeia ou parte desta, com complexos sistema de atribuição de direitos sobre a utilização da água (transmissíveis por herança, casamento ou compra) que regulam o acesso à mesma e cuja distribuição e controle no Verão é minuciosamente regulada (Graça, 1996)"20
        • Baldios de Sistelo: "Historicamente, a origem dos baldios está associada a doações dos reis: «a fim de permitir aos cultivadores subsistir, os reis dotavam os habitantes de cada vila ou termo com terra comuns, mas de propriedade insusceptível de individualização, para pastagens e obtenção de lenhas, procurando impedir que os poderosos as coutassem» (Castro, 1992: pp. 279). O baldio correspondia assim a uma área de terra, propriedade comum dos residentes numa determinada localização, gerida pela comunidade de acordo com regras por si estabelecidas. Uma grande parte da área da freguesia de Sistelo era no início do século, e ainda permanece, área de baldio; actualmente corresponde a 84% da área total da freguesia (ARDAL, 2002)."20

    Brandas de gado em Sistelo

    • Brandas de gado: "Às brandas de gado estão associadas umas estruturas muito características – os cortelhos – que serviam precisamente para abrigar os pastores e o gado."20 Créditos da foto: visitarcos.pt
    • Vezeiras: "Estas vezeiras eram a base do sistema de pastoreio: os criadores/pastores acompanhavam à vez o grupo de animais de diferentes proprietários do lugar, pernoitando nos cortelhos ou brandas de gado no período estival, em que as vezeiras se deslocavam para as zonas mais altas (Medeiros, 1984); estas vezeiras eram reguladas com grande detalhe por um órgão colectivo (Graça, 1996)"20 
    • Habitações de granito: "Além de importante valor estético, esta paisagem tem um valor cultural incalculável. Sistelo é ainda uma herança e testemunha viva de um passado onde o engenho, o conhecimento acumulado ao longo de gerações e as práticas fortemente comunitárias permitiram uma adaptação diversificada bem sucedida, e substancialmente em harmonia com a natureza, a um território de montanha agreste e adverso à fixação das populações. Os socalcos, os regadios tradicionais, os moinhos e os espigueiros ligados à cultura do milho, os caminhos e as calçadas do monte, as brandas de gado e de cultivo, os cortelhos e as próprias habitações de granito fazem parte do rico património edificado em Sistelo."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).
  13. Património etnográfico: "Além deste património edificado com indiscutível valor histórico, cultural e estético, a população de Sistelo é guardiã de conhecimentos, de práticas comunitárias, de histórias e de tradições com grande valor etnográfico.";20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).
  14. Prémios e distinções:
    • Monumento nacional;
    • Aldeia de Portugal;
    • Sistelo é uma das 7 Maravilhas de Portugal - 2017 Aldeias Rurais;
  15. Centro Interpretativo: Centro Interpretativo de Paisagem Cultural de Sistelo;
  16. Percursos pedestres:
  17. Gastronomia:
    • Pratos: Carne da Cachena com o Arroz de Feijão Tarrestre, Cabrito à moda do Soajo e Cozido à Soajeira;
    • Doces sobremesas tradicionais: Charutos d’Ovos, acompanhados com a Laranja de Ermelo, o Bolo de Mel e os conhecidos Rebuçados dos Arcos;
  18. Padroeiro: S. João Baptista;
  19. Habitantes: 273 habitantes (I.N.E.2011) e 336 eleitores em 01-03-2019;
  20. Actividades económicas: Agricultura;
  21. Feiras: Feira de Gado da Portela do Alvite (12 e 28 de cada mês);
  22. Festas e romarias: Martir S. Sebastião (20 de Janeiro), S. João Baptista (24 de Junho), Feira de Santiago (Julho), Senhor dos Aflitos (15 de Agosto), Santo António (Setembro), Senhora de Fátima (12 de Outubro);
  23. Património cultural e edificado: Igreja paroquial, Casa do Visconde de Sistelo, Ponte romana, Capelas da Senhora dos Aflitos, de Santo António, de S. João Evangelista, da Senhora dos Remédios e da Senhora do Carmo;
  24. Outros locais de interesse turístico: Castelo de Sistelo;
  25. Artesanato: Meia redonda de lã e avental de lã;
  26. Colectividades:
    1. Associação Sócio-Cultural e Recreativa de Sistelo;
    2. Grupo de Jogos e Danças Tradicionais de Sistelo;

História de Sistelo

Sistelo Aldeia de Portugal

História da comunidade rural de Sistelo

Referências histórias de Sistelo remontam a 1258

"As inquirições de 1258 ao referirem-se à freguesia de cabreiro, dizem que Sistelo era uma recente e pequena póvoa, que a família do fundador havia doado à ordem do hospital. As propriedades do termo da referida póvoa encontravam-se isentas de fossadeira, por pertencerem àquela ordem. Parece, porém, deduzir-se que os seus habitantes estavam sujeitos à anúduva, bem como à cobertura da fronteira, guardando o “porto de couso”.

O “porto de couso” deve situar-se perto do marco geodésico do Couço (752 m. De altitude), isto é, junto da confluência do rio Sistelo e ribeira de cabreiro. A primeira referência conhecida a esta igreja encontra-se no registo da avaliação do rendimento dos benefícios eclesiásticos da comarca de Valença, ao tempo da sua incorporação na diocese de braga (1514-1532). Rendia então 25 alqueires de pão.

Na cópia de 1580 do censual de d. Frei Baltasar limpo, Sistelo figura como sendo anexa à igreja de são salvador de cabreiro. Américo costa refere-se a Sistelo como sendo vigairaria erecta filial de cabreiro, pertencendo a esta última o direito de apresentação do vigário colado de Sistelo."17

Comunidade rural original de Sistelo desapareceu

"No início do século XX, Sistelo era uma comunidade rural perfeitamente adaptada ao território de montanha. Na base da economia local estava a actividade agro-pastoril com um aproveitamento diversificado do território, no que pode ser considerada uma estratégia de «adaptação à heterogeneidade espacial dominante na montanha» (Rey, 2000: pp. 35).

Antiga agricultura era realizada em terraços que originaram os socalcos

A agricultura de subsistência era realizada em terraços construídos a alturas sucessivas na vertente da montanha, sobrepostos em escadaria e suportados por muros de pedra (ARDAL, 2002) – os socalcos (Figura 17.2).1 A rega era assegurada por um sistema de levadas e ramificações construídas na encosta, que transportavam a água das partes mais altas da montanha para os campos (GTAA, 2002) – os regadios. 2 A fertilização dos campos era assegurada pelo estrume (Rey, 2000).

Gado como uma das fontes principais de rendimento

O gado tinha um importante papel na alimentação e constituía uma das principais fontes de rendimento (Medeiros, 1984). A actividade pastoril era principalmente suportada pelo uso do baldio – uma área de propriedade comum, detida e gerida pela comunidade local, que em Sistelo abrangia uma grande parte da área da freguesia – e pelo uso de estratégias de mobilidade (Medeiros, 1984).

Sistelo Aldeia de Portugal

O baldio, dominante na área serrana, fornecia pasto para alimentação do gado e material lenhoso, utilizado para o fabrico de carvão, para a produção de estrume (através da roça dos matos utilizados nas camas dos animais) e como combustível, para consumo doméstico das populações (Carvalho, 2003; GTAA, 2002; Medeiros, 1984).

A organização da vida pastoril assentava em complexos sistemas de deslocação das pessoas e do gado entre as inverneiras, aldeias nas terras baixas onde os sistemas de campo-prado asseguravam a pastagem durante Inverno, e as brandas ou verandas, em zonas mais altas da montanha (Medeiros, 1984; Ribeiro, 1998).

Brandas eram utilizadas na época estival como pequenos povoados de altitude

As brandas, a que correspondiam pequenas áreas apropriadas no monte, eram utilizadas na época estival, quer como «pequenos núcleos de povoamento em altitude» (brandas de habitação), para onde a população se deslocava com o gado, quer para realizar o cultivo em leiras de reduzida dimensão em zonas mais ou menos planas (brandas de cultivo), quer apenas como abrigo para os pastores e animais (brandas de gado) (Medeiros, 1984).

No século XX começou o processo de despovoamento e de envelhecimento da população

Ao longo de todo o ano, organizavam-se vezeiras de lugares. A partir da segunda metade do século XX a acção combinada de várias forças motrizes desencadeou um processo gradual de despovoamento e de envelhecimento da população. Com uma população reduzida e envelhecida, as práticas tradicionais de mobilidade associadas à pastorícia foram praticamente abandonadas, e a manutenção e o cultivo dos campos tornaram-se cada vez mais difíceis de assegurar."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Sistelo pequeno Tibete Português

Sistelo Aldeia de Portugal, Monumento Nacional, Sílvio Dias do Ondas da Serra

"Os socalcos verdes da região, junto ao rio Vez, deram-lhe a alcunha de Tibete português. Os socalcos são feitos pelo homem, trabalhados pela população, e representativos da sua relação com a natureza. De origem medieval, Sistelo viu logo o seu território organizado pela acção humana, com o homem a guardar as zonas com melhor insolação para os núcleos de espigueiros, a usar a margem do rio para a implantação de moinhos, e a aproveitar as altitudes de montanha para os estreitos socalcos e levadas onde se cultiva o milho desde o século XVI."9

Aldeias de Montanha

Importância das Aldeias de Montanha

"A importância das áreas de montanha, em termos ecológicos, económicos, sociais, culturais e agrícolas, e as dificuldades que enfrentam têm vindo a ser crescentemente reconhecidas e consagradas ao nível da União Europeia (Ferreira et al., 1999). Milhões de pessoas que vivem fora das zonas de montanha beneciam dos serviços de ecossistema por elas fornecidos, nomeadamente:

  1. metade da população mundial depende das montanhas para o aprovisionamento de água doce,
  2. as montanhas são centros de diversidade biológica e cultural,
  3. são um reservatório de diversidade genética agrícola que é activamente mantida pelas populações que aí praticam uma agricultura de subsistência,
  4. são o refúgio de algumas espécies ameaçadas de animais e plantas,
  5. oferecem paisagens únicas e imponentes a que se associam oportunidades de turismo e recreação (Nordregio, 2004; WRI, 2002)."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Problemas das Aldeias de Montanha

"Apesar da sua importância, e à semelhança do que acontece noutras áreas do mundo (WRI, 2002), em Portugal as zonas de montanha estiveram sempre entre as áreas menos desenvolvidas do país (Ferreira et al., 1999). Este menor desenvolvimento é em parte explicado pelos condicionalismos físicos impostos pela geografia de montanha.

De facto, o rigor climatérico, a altitude, o declive, o relevo acidentado e outros factores naturais desvantajosos tornam-na uma «terra escrava» para os residentes que aí desenvolvem actividades agro-pastoris, impõem limites às actividades de produção e contribuem para as difíceis acessibilidades e para o isolamento dos seus residentes.

Estas condições desfavoráveis foram agravadas por um desenvolvimento territorial desequilibrado, que contribuiu para a marginalização das zonas de montanha, assim como de outras áreas desfavorecidas."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Ecossistema de Sistelo

Flor Crocus Serotinus - Sistelo

Serviços de ecossistema

"A grande diversidade de habitats presentes na freguesia de Sistelo providencia uma considerável variedade de serviços de ecossistema. Os principais serviços de ecossistema providenciados pela paisagem agrícola de Sistelo são: serviços de produção de alimento e pasto, serviços de regulação do ciclo hidrológico e abastecimento de aquíferos, serviços de suporte que incluem a formação dos solos e produção primária, e serviços culturais relacionados com a identidade local e valores estéticos.

As zonas de matos, na sua maioria situadas em áreas baldias, oferecem serviços tais como o aprovisionamento de lenha e matos usados na confecção do estrume, aprovisionamento de pasto e serviços recreativos dos quais se destaca a caça. As áreas de floresta asseguram uma grande variedade de outros serviços como o aprovisionamento de madeira e fibra, serviço de regulação do ciclo hidrológico, serviço de regulação de sequestro de carbono e serviço de suporte de formação do solo.

Também o aprovisionamento de animais de caça é em grande parte assegurado pela floresta em conjunto com as zonas baldias de matos. Pela sua importância crucial na generalidade dos processos ecológicos, pode afirmar-se que a biodiversidade se encontra na base dos serviços providenciados por estes três ecossistemas."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Biodiversidade de Sistelo

"A avaliação da condição actual da biodiversidade em Sistelo teve em conta a diversidade de espécies e habitats existentes na região, e os impactos que os diferentes promotores de alteração têm sobre a condição dos mesmos, bem como as principais ameaças à conservação das espécies locais.

Abandono agrícola beneficia e prejudica diferentes espécies 

A oposição destes estudos indica que o processo de abandono agrícola e a consequente sucessão natural da vegetação beneficia e prejudica diferentes espécies consoante o tipo de habitat de que estas se encontrem dependentes. Sistelo encontra-se numa fase de transição em que muitas áreas anteriormente agrícolas estão agora num processo de regeneração natural de floresta nativa. Isto beneficia várias espécies (como os mamíferos de grande porte) dependentes do carvalhal nativo, fortemente impactado e fragmentado pela agricultura no passado e, ao mesmo tempo, leva ao declínio de espécies dependentes do ecossistema agrícola, como é o caso de várias espécies de aves, uma tendência já identificada no PNPG (GTAA, 2003).

O abandono levará ainda ao desaparecimento local de variedades de cultivo e das raças autóctones tradicionais (GTAA, 2003). A conversão das áreas de cultivo em floresta leva, a uma escala superior e de uma forma geral, a uma maior homogeneização da paisagem e à redução do número total de espécies presentes na região.

Sardão em Sistelo

Nas zonas de matos, a diminuição do pastoreio e o abandono das práticas de corte de mato permitem um maior crescimento do estrato arbustivo, o que pode beneficiar algumas espécies de répteis que preferencialmente utilizam este tipo de habitats. Alguns exemplos são a lagartixa-ibérica (Podarcis hispanica), a lagartixa-do-mato (Psammodromus algirus), lagartixa-do-mato-ibérica (Psammodromus hispanicus), e o sardão (Lacerta lepida).

Também são afectadas positivamente algumas espécies de interesse cinegético como o javali (Sus Scrofa) ou o coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus) que usam as áreas arbustivas como refúgios (Martin e Lopez, 2002).

Crescimento arbustivo aumento da probabilidade de fogos  

Os impactos negativos do crescimento arbustivo sobre a biodiversidade local estão relacionados com o aumento da probabilidade de ocorrência e extensão dos fogos e as perdas associadas por mortalidade directa. Os Carvalhais Galaico-Portugueses de carvalho-alvarinho (Quercus robur) e/ou carvalho- -negral (Quercus Pyrenaica) típicos da região são constituídos por uma enorme diversidade específica e estrutural, albergando um número considerável de endemismos e espécies de distribuição restrita como a anémona-dos-bosques (Anemone trifolia subsp albida) e o martagão (Lilium martagon) (ICN, 2006b).

São ainda habitat essencial a um grande número de espécies de briófitas epifíticas que só ocorrem neste tipo de floresta (Marques et al., 2005) e a várias espécies de líquenes descritas em Sistelo (Jones, 2002).

Plantação de pinheiro-bravo em detrimento da floresta nativa

Em 1990, 45% da área total de floresta em Sistelo eram carvalhais, 33% pinhais e 9% floresta mista (IGP, 1990). A plantação de pinheiro-bravo (Pinus pinaster), geralmente destinada à exploração de madeira, em detrimento das espécies de carvalho (Quercus sp.) e outras folhosas que constituem a vegetação nativa desta região, tem impactos sobre a biodiversidade nestas áreas.

Pinhal com reduzida biodiversidade

Para além do pinhal apresentar uma reduzida biodiversidade, quando comparado com os carvalhais, as florestas de pinheiro (Pinus sp. pl.) são mais susceptíveis a incêndios de intensidade elevada que consomem por completo a vegetação (Núñez-Regueira et al., 2000), levando à destruição de habitat e à mortalidade directa de indivíduos. No entanto, a regeneração natural de carvalhal, a que neste momento se assiste nas áreas abandonadas, tem contribuído para a recuperação do carvalhal e aponta para uma melhoria da condição da floresta de conservação.

Rio Vez com diversidade significativa e qualidade da água

Considerando a fauna piscícola, o rio Vez apresenta uma diversidade significativa (Santos et al., 2004) e a boa qualidade da água contribui para a conservação de algumas espécies ameaçadas como é o caso da toupeira-de-água (Galemys pyrenaicus) e outras espécies emblemáticas como a lontra (Lutra lutra) ou a cobra-de-água-viperina (Natrix maura) (DRAOT – NORTE, 2000).

Desde os primórdios da actividade agrícola nesta zona, a presença humana associada tem afectado negativamente a condição de algumas espécies em particular. Em primeiro lugar, a conversão de habitat florestal nativo para a agricultura e práticas de pastoreio levou a uma enorme redução do habitat disponível.

Competição pelo espaço levou a conflitos

Em segundo lugar, a competição pelo espaço e pelos mesmos recursos levou à existência de conflitos directos entre determinadas espécies e as populações locais. São exemplos destas espécies vários répteis frequentemente considerados como perigosos e associados a simbologias negativas, como o sardão (Lacerta lepida) e diferentes espécies de serpentes (Barbadillo, 1999).

Carnívoros que atacam gado geram animosidade na população

Também os carnívoros que ocasionalmente atacam o gado como é o caso do lobo (Canis lupus), e outros como o gato-bravo (Felis silvestris) e algumas aves de rapina como a águia-real (Aquila chrysaetos), que por vezes atacam animais domésticos, geram sentimentos de animosidade na população.

O estatuto de protecção conferido a algumas espécies de valor emblemático e as várias campanhas de sensibilização com vista à desmistificação e ao reconhecimento do papel destas espécies no equilíbrio dos ecossistemas têm vindo a minimizar os impactos negativos sobre estas espécies.

Pagamentos de indemnizações pelos ataques dos lobos

Outra medida importante a nível local é o pagamento de indemnizações para ressarcir os criadores de gado pelos prejuízos causados pelo lobo, que contribuiu para o atenuar dos conflitos entre a população local e esta espécie.
Ainda assim, no período de 1994-2002, foram registradas duas ocorrências de morte de lobo por envenenamento na área da freguesia de Sistelo (Álvares, 2003), o que é exemplificativo da dificuldade inerente à gestão destes conflitos.

Desaparecimento da paisagem levará à redução da diversidade de habitats e espécies

Uma apreciação global da tendência da condição da biodiversidade em Sistelo, consciente dos vários trade-offs existentes entre diferentes usos do solo e diferentes espécies, aponta, por um lado, para uma redução global do número de espécies existentes, uma vez que o desaparecimento do mosaico da paisagem (mantido por práticas associadas à actividade humana) levará à redução da diversidade de habitats e consequentemente das espécies que destes dependem.

No entanto, e numa perspectiva de wilderness, o declínio da actividade agrícola representa uma oportunidade única para a regeneração de habitat nativo e será positivo para muitas das já referidas espécies emblemáticas ameaçadas, que têm nas florestas nativas de carvalhos o seu habitat preferencial."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Reserva Mundial da Biosfera

"O concelho de Arcos de Valdevez e a Ecovia do Vez, onde se insere o Passadiço do Sistelo, fazem parte da Reserva Mundial da Biosfera. Estas reservas são definidas pela UNESCO como laboratórios vivos da conservação de paisagens, ecossistemas e espécies e plataformas de investigação, monitorização, educação e sensibilização. O Rio Vez e o Rio Lima também estão integrados na lista de Sítios de Importância Comunitária da Rede Natura 2000 (Rede Ecológica da União Europeia), pela importância e raridade da sua fauna e flora."9

Rio Vez

Rio Vez em  Sistelo Aldeia de Portugal

Rio Vez atravessa Arcos de Valdevez

"O Rio Vez nasce na Serra do Peneda/Soajo, mais concretamente em Seida ou Lamas do Vez, e deságua na freguesia de Souto no lugar de Milhundos, com cerca de 40 quilómetros de extensão, e 1300 mts de altitude, percorrendo de lés a lés o concelho de Arcos de Valdevez. É o mais importante afluente do Rio Lima.

O Rio Vez é um rio enigmático, e cheio de segredos para quem o tenta conhecer da nascente até à foz. A partir da freguesia de Sistelo, a montante, torna-se difícil de percorrer as suas margens, bastante acidentadas e perigosas, porque tem alguns lugares intransponíveis, mas a natureza recompensa com muita beleza quem o visita.

Conhecer o Rio Vez pelo PR14 - Trilho das Brandas de Sistelo

Uma das formas de conhecer o rio a partir de Sistelo, é fazer o trilho PR (cerca de 10 quilómetros) das brandas, que começa junto ao castelo, e nos leva a ver os impressionantes socalcos das aldeias de Padrão e Porta Cova até às Brandas de Lapinheira, Gemia, e Crastibô, podendo com muita frequência ter companhia das gentes locais, que percorrem o trilho na sua labuta diária.

Rio Vez rico em trutas

As águas deste rio são ricas em truta, facto que atrai numerosos entusiastas na época da pesca. Pertencente à bacia hidrográfica do Rio Lima e à região hidrográfica do Minho e Lima. Serve também de limite territorial com os concelhos de Melgaço e Monção.

Este rio atravessa Arcos de Valdevez, tendo como afluentes: Rio de Cabreiro, Ribeiro de Frades Ribeiro de São Mamede, Rio Ázere, Ribeira de Porto Avelar, Rio Frio.

Rio Vez inspirou poetas

Rio Vez fonte inspiradora de poetas, nomeadamente Tomaz de Figueiredo, do qual alguém justamente afirmou: «não cantou Bernardes o Lima com mais lirismo e paixão do que Tomaz de Figueiredo o fez do Vez."6

Canção do Rio Vez

Grupo de Jogos e Danças Tradicionais de Sistelo

"A água do rio Vez
Nasce no alto da serra
A água do nosso rio
Vai regar a nossa terra.

Freguesia de Sistelo
Terra mãe do rio Vez
Não há terra mais bonita
Nos Arcos de Valdevez

A água do rio Vez
Sai do alto do calcado
Descendo de serra em serra
Por vezes muito zangado

Este rio é tão lindo
Passa ao lado do Pedrinho
Batendo de pedra em pedra
Vai seguindo o seu caminho.

A água do rio Vez
É pura e cristalina
Deixando a terra mãe
Vai desaguar ao Lima."

"Fonte: Transmissão oral pelo Grupo de Jogos e Danças Tradicionais de Sistelo. Canção do «Rio Vez», cantada pelo Grupo de Jogos e Danças Tradicionais de Sistelo que enaltece o rio Vez e a freguesia de Sistelo como sua terra mãe."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Património cultural e paisagístico de Sistelo

Paisagem Cultural de Sistelo 

Paisagem cultural da Aldeia de Sistelo está classificada como monumento nacional

"A paisagem cultural da Aldeia de Sistelo está classificada como monumento nacional. Foi o primeiro reconhecimento do género a ser atribuído em Portugal, justificado no decreto por a Paisagem Cultural de Sistelo ser “composta por um espaço natural de superior qualidade paisagística, natural e ambiental, ao qual se soma um notável património etnográfico e histórico cuja preservação e autenticidade é fundamental garantir.”9

"Rodeadas por terrenos férteis as margens do Rio Vez cativaram as antigas populações que aqui se instalaram. De fácil maneio e providas de água em abundância, facilitaram a produção de forragem, fundamental para a manutenção do gado durante o inverno, quando as pastagens de altitude se mostram menos adequadas para esse efeito.

Apesar dessa fertilidade, a elevada humidade da zona não a torna adequada para todos os tipos de cultivo, como o milho e outros cereais. Nascem assim os socalcos tão característicos de Sistelo que surgiram da necessidade de criar terrenos mais adequados a outros tipos de cultivo, resultando numa veiga agrícola multifacetada onde os habitantes conseguiam uma agricultura de subsistência variada."2

Veiga Agrícola de Sistelo

Sistelo Aldeia de Portugal

 "A veiga baixa em Sistelo foi assim sendo relegada para a função de suporte à criação de gado, em que os terrenos mais húmidos são usados como pastagens permanentes e em que é permitida a intrusão da floresta nesse espaço. Essa intrusão surge na forma de sebes vivas onde espécies arbustivas e arbóreas são usadas na divisão da propriedade. Surge assim um sistema heterogéneo de elevada diversidade biológica e de importância fundamental para os insetos polinizadores e outros organismos que frequentam os prados."2 

Paisagem cultural do milho em Sistelo

"A cultura do milho teve uma importância sócio-económica relevante na história das povoações de montanha minhotas. A arquitectura popular a partir da introdução do milho é disso testemunha, quer nas construções usadas directamente na sua produção, no armazenamento do grão ou no processamento do mesmo. Socalcos, eiras, espigueiros, medas de palha, levadas e moinhos de água são os exemplos mais marcantes de uma época em que o milho era o motor económico dos povoados de montanha, a par da actividade pecuária extensiva que complementava o cultivo do milho.

O gado bovino, sem o qual a paisagem agrícola actual não existiria, é uma presença constante nos campos após a colheita e o corte do feno. A sua presença ajuda a manter o terreno livre de ervas indesejadas e contribui para a adubação do terreno, fundamental para a manutenção da sua fertilidade. As vacas da raça cachena são um exemplo da capacidade do homem em moldar o gado às características do terreno. Vaca pequena e robusta, a cachena consegue viver com o pasto que naturalmente se desenvolve nas encostas inclinadas da serra da Peneda, apenas regressando aos campos envolventes às povoações durante o inverno, quando as condições climatéricas se tornam demasiado inóspitas."3  

Valor estético e herança cultural da paisagem

"Além de importante valor estético, esta paisagem tem um valor cultural incalculável. Sistelo é ainda uma herança e testemunha viva de um passado onde o engenho, o conhecimento acumulado ao longo de gerações e as práticas fortemente comunitárias permitiram uma adaptação diversificada bem sucedida, e substancialmente em harmonia com a natureza, a um território de montanha agreste e adverso à fixação das populações.

Sistelo Aldeia de Portugal

Os socalcos, os regadios tradicionais, os moinhos e os espigueiros ligados à cultura do milho, os caminhos e as calçadas do monte, as brandas de gado e de cultivo, os cortelhos e as próprias habitações de granito fazem parte do rico património edificado em Sistelo. Além deste património edificado com indiscutível valor histórico, cultural e estético, a população de Sistelo é guardiã de conhecimentos, de práticas comunitárias, de histórias e de tradições com grande valor etnográfico.

A paisagem e a herança cultural a esta associada, encontram-se ameaçadas. Apesar da realização e programação recente de intervenções pontuais – reabilitação de regadios em Padrão, arranjo urbanístico do lugar de Igreja com reabilitação dos espigueiros, do chafariz público, do tanque comunitário, do pelourinho e de um moinho de água junto ao rio Vez – o estado de degradação e abandono de algumas construções, juntamente com a perspectiva de continuidade de diminuição da população e contínuo abandono dos socalcos são sinais evidentes da fragilidade da condição deste serviço.

O rio Vez, de indiscutível valor para a identidade da população local, que a este faz referência como «o nosso rio», é fonte de inspiração de canções tradicionais locais e marca de grande beleza na paisagem."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Turismo em Sistelo

"Pelas características mencionadas, Sistelo apresenta um potencial interessante para a promoção de serviços recreativos ligados ao turismo no espaço rural, turismo da natureza e turismo activo. Embora não existam dados para o nível de Sistelo, a população refere a existência frequente de excursões, passeios e visitas individuais à freguesia, principalmente de portugueses e espanhóis.

Tendo em conta as características particulares da paisagem de Sistelo, é de salientar que, num inquérito promovido pela Região de Turismo do Alto Minho (RTAM, 2004), a paisagem é o que mais encanta os turistas no Alto Minho."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Caça e pesca em Sistelo

"O elevado número de praticantes na região e a procura do rio Vez para a prática da pesca foram dois factores que motivaram o estabelecimento da Zona de Pesca Reservada do Rio Vez (Portaria n.º 104/2001 de 29 de Janeiro).

Este diploma visa a manutenção da sustentabilidade dos recursos aquícolas através do estabelecimento de regras: espécies que podem ser capturadas, períodos de pesca e dimensões mínimas; número máximo de exemplares de cada espécie por dia e por pescador ou lote, métodos de pesca e iscos autorizados, número máximo de licenças e preços, número de lotes e zonas abrigo.

A regulamentação da pesca no rio e o estabelecimento de restrições significam que a condição do serviço (que é também de aprovisionamento) está a ser acautelada. No entanto, alguns dos participantes neste estudo referiram que a falta de fiscalização tem permitido a transgressão das regras estipuladas.

Relativamente à prática da caça, grande parte da freguesia estava abrangida por uma Zona de Caça Associativa que em 2005 passou a Zona de Caça Municipal (Portaria n.º 110/2005 de 27 de Janeiro), sujeita à regulamentação aplicável nestas áreas. Refira-se, no entanto, que, segundo alguns participantes, as várias restrições e regras impostas para assegurar a sustentabilidade destes recursos não são sempre respeitadas.

Algumas das espécies cinegéticas da região encontram-se em acentuado declínio, como por exemplo a lebre, a perdiz-vermelha e a galinhola (GTAA, 2002), o que ameaça a sustentabilidade futura deste serviço. 20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Gado bovino da raça Cachena

Gado bovino da raça Cachena - Sistelo Aldeia de Portugal

"De rusticidade ímpar, maior do que qualquer outro bovino autóctone da península ibérica, a raça Cachena é aquela que encontramos na alta montanha, em cotas elevadas, acima dos 800 metros e que, pela sua dimensão e resistência às condições mais adversas, define o seu próprio solar.

Vacas aleitantes por vocação, apresentam-se de muito pequeno porte, com altura ao garrote que não chega a ultrapassar os 1,15 metros. Pastoreando livremente em grupo, em áreas amplas e comuns, vive ao ar livre durante praticamente todo o ano.

Raça explorada em regime extensivo, por vezes quase semi-selvagem, tem persistido ao longo dos tempos e é atualmente, parte integrante do património genético do nosso país."8

Aldeia de Portugal de Sistelo

Sistelo escadarias até ao céu

Socalcos de Sistelo

Créditos da Foto: visitarcos.pt

"Situada no Parque Nacional da Peneda Gerês, no concelho de Arcos de Valdevez, junto à nascente do rio Vez. Deslumbra a paisagem em socalcos, aproveitados para a produção de milho e a pastorícia, e os canais de água para o regadio.

O miradouro do Chã de Armada e o castelo são a cereja no topo de uma aldeia cheia de outros tesouros endógenos, edifícios religiosos e construções em granito."14

Sistelo é uma das 7 Maravilhas de Portugal - 2017 Aldeias Rurais

Sistelo é uma das 7 Maravilhas Aldeias Rurais

"A iniciativa 7 maravilhas Aldeias Rurais, foi um concurso nacional que decorreu em 2017. A aldeia de Sistelo, há muito apelidada de ‘pequeno Tibete português’, foi considerada uma das Sete Maravilhas de Portugal no que diz respeito a aldeias portuguesas. É uma das aldeias que nasceu em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, bem junto à nascente do rio Vez.

Inicialmente foi escolhida, entre das 43 aldeias portuguesas finalistas pelo júri do concurso ‘7 Maravilhas de Portugal - Aldeias’ e concorrente numa das sete categorias, a de Aldeia Rural. Foi a única a representar o Minho e o Norte de Portugal. A aldeia de Sistelo tem inúmeros argumentos para merecer uma visita."4

Sistelo Aldeia de Portugal

O Castelo é o ex-líbris da aldeia; um palácio do século XIX onde viveu o Visconde de Sistelo. Por entre as pequenas e estreitas ruas há muito para ver: igreja paroquial, ponte romana, o moinho, a Ermida de Nossa Senhora dos Aflitos, as capelas de Santo António, São João Evangelista, Senhora dos Remédios, Senhora do Carmo, para além da própria Casa do Visconde de Sistelo. No entanto, são os seus socalcos naturais aquilo que mais deslumbra os visitantes. Aproveite os passadiços de Sistelo, para usufruir desta paisagem e sentir-se como um dos seus habitantes."4

O que visitar no Sistelo 

O que ver no Sistelo

  1. Património paisagístico:
    • Centro Interpretativo de Paisagem Cultural de Sistelo;
    • Paisagem de Socalcos do Sistelo;
    • Miradouro da Estrica;
    • Aglomerado Rural da Estrica;
    • Miradouro dos Socalcos de Padrão;
  2. Património animal:
    • Gado bovino da raça cachenas;
    • Brandas de gado e de cultivo;
  3. Património arquitetónico:
    • Casa do Castelo do Visconde de Sistelo;
    • Jazigo do visconde de Sistelo;
    • Chafariz de Sistelo;
    • Cruzeiro e alminhas de Sistelo;
    • Ponte oitocentista;
    • Habitações de granito;
    • Caminhos e as calçadas do monte;
  4. Património religioso:
    • Igreja de São João Batista de Sistelo;
    • Capela de Santo António;
    • Capela de São João Evangelista;
    • Capela da Senhora dos Remédios;
    • Capela da Senhora dos Aflitos - Sistelo;
    • Capela da Senhora do Carmo;
    • Ermida de Nossa Senhora dos Aflitos;
  5. Património natural:
    • Rio Vez;
    • Passadiços do Sistelo;
    • Percursos pedestres;
  6. Património edificado:
    • Socalcos;
    • Cortelhos;
    • Veiga agrícola;
    • Branda do Alhal;
    • Corgas;
  7. Património edificado ligado à cultura do milhos:
    • Socalcos;
    • Regadios tradicionais;
    • Espigueiros;
    • Moinhos nos cursos de água;
  8. Pontes:
    • Ponte da Beige;
    • Ponte do Visconde;
    • Ponte Medieval da Portela;
  9. Zonas fluviais de lazer:
    • Zona Fluvial de Lazer do Sistelo;
    • Zona Fluvial de Lazer de Poço das Caldeiras;  

Pontos de Interesse em destaque no Sistelo

Socalcos de Sistelo

Socalcos de Sistelo

Créditos da Foto: visitarcos.pt

"Os socalcos são feitos pelo homem, trabalhados pela população, e representativos da sua relação com a natureza. De origem medieval, Sistelo viu logo o seu território organizado pela acção humana, com o homem a guardar as zonas com melhor insolação para os núcleos de espigueiros, a usar a margem do rio para a implantação de moinhos, e a aproveitar as altitudes de montanha para os estreitos socalcos e levadas onde se cultiva o milho desde o século XVI."9

Casa do Castelo do Visconde de Sistelo

Casa do Castelo do Visconde de Sistelo

"Sistelo foi primitivamente uma Póvoa medieval, de cujo período parecem sobreviver traços em elementos como a implantação do cruzeiro, do fontanário ou na organização do casario. O elemento de arquitectura mais destacado é, contudo, bastante mais recente. Trata – se da denominada “Casa do Castelo”, um palácio revivalista de planta rectangular, com duas torres com ameias a ladear o frontispício e um jazigo Neogótico. O conjunto, que domina uma paisagem natural de inegável beleza, foi edificado na segunda metade do século XIX por um natural da freguesia regressado do Brasil, e primeiro Visconde de Sistelo, Manuel A. Gonçalves Roque."10

Igreja Paroquial de Sistelo

Igreja Paroquial de Sistelo

"Da sua construção pouco se sabe, a primeira referência surge com a passagem da sua tutela da Comarca de Valença para a Diocese de Braga, entre 1514 e 1532. É uma Igreja de pequenas dimensões, dada a pouca densidade profissional, que se funde com o espaço envolvente. Na parte de trás, ao lado do cemitério, o jazigo neoclássico em pedra onde está sepultado Manuel Gonçalves Roque, primeiro Visconde de Sistelo."11 

Espigueiros de Sistelo

Espigueiros em Sistelo Aldeia de Portugal

"Os socalcos, os regadios tradicionais, os moinhos e os espigueiros ligados à cultura do milho, os caminhos e as calçadas do monte, as brandas de gado e de cultivo, os cortelhos e as próprias habitações de granito fazem parte do rico património edificado em Sistelo."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009). 

Pontes em Sistelo 

Ponte Medieval de Sistelo

Ponte Medieval de Sistelo

A Ponte Medieval do Sistelo é muito bonita, nós aconselhamos se passar no local e descer por um caminho lateral e ver a mesma na totalidade junto ao leito do rio, onde pode apreciar toda a sua beleza. "Trata-se de uma ponte em granito, dois arcos desiguais de volta perfeita, que só pode ser atravessada a pé."13

Ponte Visconde de Sistelo

Ponte Visconde de Sistelo

"A Ponte do Visconde, fica também sob o Rio Vez. Tendo já o principal arco colapsado, é agora munida de uma estrutura moderna. O acesso é feito unicamente a pé por escadaria com desnível, e deve ser feito com cuidado."17

Praias fluviais do Sistelo

Zona Fluvial de Lazer e Praia Fluvial de Sistelo

Zona Fluvial de Lazer e Praia Fluvial de Sistelo

A Zona Fluvial de Lazer e Praia Fluvial de Sistelo fica localizada no Rio Vez, perto de Sistelo, parque de merendas e Capela de Nossa Senhora dos Aflitos. "Água fria, coração quente, amor para sempre. A comunhão perfeita com a natureza à distância de um mergulho, anos de vida."16

Zona Fluvial de Lazer e Praia Fluvial de Poço das Caldeiras

Zona Fluvial de Lazer e Praia Fluvial de Poço das Caldeiras - Sistelo

A Zona Fluvial de Lazer e Praia Fluvial de Poço das Caldeiras, fica localizada junto aos passadiços de Sistelo, na Ecovia do Vez, em Arcos de Valdevez. O Poço das Caldeiras fica situado entre Loureda e Cabreiro, em Arcos de Valdevez, sendo no verão uma paragem obrigatória para dar uns mergulhos ou nadar, antes da chegada à etapa final até ao Sistelo, onde acaba o percurso da Ecovia. 

Passadiços do Sistelo

Passadiços do Sistelo

Descrição dos Passadiços do Sistelo

"A calçada inicial deste trilho conduz-nos às margens do rio Vez. Depois de atravessar a ponte sobre o rio e percorrermos o passadiço da ecovia do Vez a caminho da capela do Srº dos Aflitos regressamos a Sistelo por caminhos de pedras moldados pelos tradicionais carros de bois."5

"O percurso dos Passadiços do Sistelo, e o trilho antes e depois do passadiço propriamente dito, permite ver o Castelo do Visconde de Sistelo, os socalcos do “Tibete”, o lavadouro, a Ponte Oitocentista, alguns moinhos abandonados, abrigos naturais antigos, antigas casas de guardas florestais.

Ao longo do trilho pode ainda ver alguns dos pontos mais icónicos da região, como a Ermida de Nossa Senhora dos Aflitos e as Capelas de Santo António, São João Evangelista, Senhora dos Remédios e Senhora do Carmo e subir ao miradouro do Chã da Armada e admirar a vista panorâmica. No final do passadiço há o Parque de Merendas de Sistelo."9

Localização dos Passadiços do Sistelo

"Nos limites do Parque Nacional Peneda-Gerês, em Arcos de Valdevez, Viana do Castelo, fica um passadiço perfeito para percorrer entre lagos de água e socalcos verdes, entre floresta densa e marcos históricos."9

Ficha técnica dos Passadiços do Sistelo

  • Início/fim dos Passadiços do Sistelo: "Inserido na ecovia do Vez, são 11km, a começar na ponte Medieval de Vilela e a terminar em Sistelo. No caminho, uma mão cheia de tudo. A paisagem em socalcos, contrariando o declive e aumentando a superfície agrícola, o barulho das cascatas a convidar ao banho, a simpatia de quem passa."12
  • Tipo de percurso: Pequena Rota;
  • Ponto de partida: Sistelo;
  • Distância percorrida: 2,3 km ou 11 km;
  • Grau de dificuldade: Fácil;
  • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
  • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22'27.41"W;
  • Duração do percurso: 45 minutos;
  • Cota máxima atingida: 226 metros;

Novos passadiços do Sistelo

Em 13 de abril 2023 abriu, abriram os novos passadiços "Veigas de Sistelo e Novo troço da Ecovia do Vez". " Já abriu o novo troço da Ecovia do Vez, “Veigas de Sistelo”. Com cerca de 500 metros, este é o último troço até chegar à ponte da Portela, na aldeia de Sistelo, e a continuação da valorização do território a partir da paisagem e do trabalho do Homem.

A obra contou com um investimento global de cerca de 70 mil euros e visou melhorar e consolidar a rede de mais de 300 km de percursos de Arcos de Valdevez, através da ligação, por passadiço, de um troço alternativo da Ecovia do Vez. O percurso contribui para valorizar o património natural existente, bem como dar a conhecer aos transeuntes as paisagens circundantes da aldeia de Sistelo."

Galeria de fotos dos Passadiços do Sistelo

Percursos pedestres que começam ou passam por Sistelo

  1. PR6 - TRILHO DO GLACIAR E DO ALTO VEZ:
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Porto Cova - Sistelo;
    • Distância percorrida: 12,8 km;
    • Grau de dificuldade: Moderado;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico;
    • GPS: 41°58'55.67 N; 8°20'40.53"W;
    • Duração do percurso: 5 horas;
    • Cota máxima atingida: 1100 metros;
  2. PR10 - ROTA DE MONTANHA ENTRE BRANDAS:
    • APENAS COM ORIENTAÇÃO MARIOLAS
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Padrão-Sistelo;
    • Distância percorrida: 22 km;
    • Grau de dificuldade: Difícil;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'49.17"N; 8°21'17.07"W;
    • Duração do percurso: 8 horas;
    • Cota máxima atingida: 1187 metros;
  3. PR14 - TRILHO DAS BRANDAS DE SISTELO:
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Sistelo;
    • Distância percorrida: 6,5 km;
    • Grau de dificuldade: Moderado;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22'27.41"W;
    • Duração do percurso: 3 horas;
    • Cota máxima atingida: 795 metros;
  4. PR19 - TRILHO DAS PONTES DE SISTELO:
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Sistelo;
    • Distância percorrida: 0,8 km;
    • Grau de dificuldade: Fácil;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22′27.41"W;
    • Duração do percurso: 30 minutos;
    • Cota máxima atingida: 271 metros;
  5. PR24 TRILHO SOCALCOS DE SISTELO
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Sistelo;
    • Distância percorrida: 5,8 km;
    • Grau de dificuldade: Moderado;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22'27.41"W;
    • Duração do percurso: 2 horas;
    • Cota máxima atingida: 449 metros;
  6. PR25 - TRILHO DOS PASSADIÇOS:
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Sistelo;
    • Distância percorrida: 2,3 km;
    • Grau de dificuldade: Fácil;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22'27.41"W;
    • Duração do percurso: 45 minutos;
    • Cota máxima atingida: 226 metros
  7. PR27 - TRILHO MIRADOURO DA ESTRICA:
    • Tipo de percurso: Pequena Rota;
    • Ponto de partida: Sistelo;
    • Distância percorrida: 4,5 km;
    • Grau de dificuldade: Moderado;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22'27.41"W;
    • Duração do percurso: 1 hora e 30 minutos;
    • Cota máxima atingida: 494 metros;
  8. GR1 - TRAVESSIA DAS SERRAS DA PENEDA E SOAJO:
    • Tipo de percurso: Grande Rota;
    • Percurso: Rio Frio/Soajo;
    • Distância total: 77 km;
    • Grau de dificuldade: Moderado;
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Cultural;
    • GPS: 41°58'24.94"N; 8°22′27.41"W;
    • Duração do percurso: 4 dias;
    • Cota máxima atingida: 1240 metros;
  9. GR2 - GRANDE ROTA INTERMUNICIPAL DO ALTO MINHO:
    • TROÇO DE ARCOS DE VALDEVEZ;
    • Tipo de percurso: Grande Rota;
    • Ponto de partida: Sistelo;
    • Distância percorrida: 77 km;
    • Grau de dificuldade: Moderado
    • Âmbito do percurso: Paisagístico e Natural;
    • GPS: 41°58'31.90"N; 8°22'18.46"W;
    • Duração do percurso: 3 dias;
    • Cota máxima atingida: 1240 metros;
  10. Caminho Minhoto Ribeiro:
    • TROÇO VILELA - SISTELO;
    • Descrição: O Caminho Minhoto Ribeiro é um dos caminhos mais antigos, que liga o norte de Portugal à cidade do apóstolo Santiago;
    • Tipo de Percurso: Pequena Rota Linear;
    • Distância: 14 km;
    • Duração: 3.5 h;
    • Dificuldade: Moderado;
    • Estado do Percurso: Circulável;

Ecovia do Vez

Ecovia do Vez - Arcos de Valdevez

Descrição da Ecovia do Vez

A Ecovia do Vez é um daqueles percursos que os amantes das caminhadas e bicicleta devem conhecer pela sua riqueza paisagística, história, fauna e flora. Os seus 32 quilômetros têm sempre por companhia os Rios Lima e Vez e terminam duma forma espetacular no Sistelo, que ganhou honradamente o título de Tibete Português.

Ficha técnica da Ecovia do Vez

  • Distância total das três etapas: 32 km;
  • Etapa 1:
    • Jolda de São Paio - Arco de Valdevez;
    • Distância: 12.586 metros;
    • Rios: Rio Lima, Rio Vez e Foz do Rio Vez;
  • Etapa 2:
    • Arcos de Valdevez - Vilela;
    • Distância: 9.859 metros;
    • Rios: Rio Vez, Foz do Rio Ázere;
  • Etapa 3:
    • Vilela - Sistelo;
    • Distância: 10,266 metros;
    • Rios: Rio Vez, Foz do Rio Cabreiro;

Comer e dormir no Sistelo

Gastronomia de Arcos de Valdevez

"A Gastronomia de Arcos de Valdevez, apresenta iguarias e sabores únicos. A “Carne da Cachena com o Arroz de Feijão Tarrestre”, é o prato de eleição.

A raça cachena é a mais pequena raça bovina portuguesa e uma das mais pequenas do mundo. A Carne da Cachena, criada sobretudo na Serra da Peneda/Soajo, está certificada por Denominação de Origem Protegida. O tipo de carne obtida resulta de um equilíbrio absoluto entre o sistema de produção utilizado e as características da própria raça; distingue-se pela sua tenrura e sabor únicos, apresentando cor rósea, clara ou pálida, vermelho claro ou escuro, de acordo com a idade do animal, bem como pouca gordura intramuscular, sendo profundamente suculenta. 

O Feijão Tarrestre, é do tipo rasteiro, semeado em conjunto com o milho. Mas os Arcos são também o Cabrito à moda do Soajo, tenro dos retouços do Mezio, com Ervas Aromáticas dessas paisagens, o “Cozido à Soajeira“, com os enchidos e fumados caseiros, acompanhado dos frescos e capitosos vinhos verdes.

As doces sobremesas tradicionais, para os amantes da doçaria tradicional portuguesa os “Charutos d’Ovos” acompanhados com a Laranja de Ermelo, ambos de origem conventual. Destacamos, o Bolo de Mel e os não menos conhecidos “Rebuçados dos Arcos“, ao contrário dos charutos, estes são de origem popular. São todos estes sabores que esperam por si em Sistelo, Arcos de Valdevez."9 

Restaurantes no Sistelo 

Cantinho do Abade

Nº de Lugares: 32
Ar condicionado: Sim
Modo de pagamento aceite: Numerário e multibanco
Tipo de Gastronomia: Cozinha nacional
Especialidade: Carne da Cachena | Bacalhau das Lavradas
Coordenadas: Latitude, 41.97412433940112, Longitude, -8.373679518699646
Telemóvel: 964 567 685 | Telefone: 258 563 201
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Morada: Igreja, Sistelo 4970 – 645 Arcos de Valdevez
Horário: Seg. a Dom. das 10h00 -22h00
Dia de Descanso e férias: Não tem

Restaurante Solar do Visconde

Tipo de Gastronomia: cozinha regional
Especialidades: Cachena c/ arroz tarrestre
Coordenadas: Latitude, 41.974421392528924, Longitude, -8.374001231316413
Telemóvel: 926 005 080
Morada: Rua do Visconde de Sistelo, 4970-645 Arcos de Valdevez
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Avaliação Ondas da Serra: Quando visitamos Sistelo jantamos neste restaurante, onde comemos a "Carne da Cachena com o Arroz de Feijão Tarrestre". Gostamos muito do ambiente proporcionado por esta antiga "Casa do Castelo do Visconde de Sistelo", do atendimento simpático dos funcionários e prato confecionado. 

Tasquinha Ti Mélia

Especialidades da Casa: Petiscos: moelas, rojões, chouriça assada, caldo de Sistelo, sandes variadas, panados, pastéis de bacalhau, rissóis, bifanas e pregos no pão. Pratos: Posta Cachena com Arroz de Feijão Tarrestre. Pratos por encomenda: Bacalhau á "Ti Mélia", Cabrito, Cozido, Pica no Chão, entre outros.
Dia de Descanso: Segunda-feira
Modo de pagamento aceite: Numerário e multibanco
Coordenadas: Latitude, 41.973888, Longitude, -8.373679
Telemóvel: 967 516 796
Morada: Rua Visconde de Sistelo - Sistelo, 4970 - 645 Arcos de Valdevez

Alojamento no Sistelo

Casa do Avô

Características: Arquitetura Tradicional | Lareira | Cozinha e Utensílios | TV e DVD
Estadia mínima: Duas noites
Tipologia: Empreendimento de TER
Modalidade: Casa de campo
Período de Abertura: Todo ano
N.º de Quartos: 2, com capacidade para 6 pessoas;
Internet Gratuita: Sim
Ar condicionado: Sim
Serviços não disponíveis: Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, jacuzzi, parque privativo, piscina, animais: Não
Coordenadas: Latitude, 41.974538, Longitude, -8.373640
Morada: Igreja – Sistelo 4970 – 645 Arcos de Valdevez
Telemóvel: 966 047 299
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Casa da Ferreirinha

Quartos/Apartam: 2
Capacidade: 4 pessoas
Coordenadas: Latitude, 41.971991, Longitude, -8.373610
Morada: Igreja de Sistelo, 4970-645 Arcos de Valdevez
Telemóvel: 914 606 681
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Casa da Avó

Tipologia: Empreendimento de TER
Modalidade: Casa de campo
Período de Abertura: Todo ano
N.º de Quartos: 1, com capacidade para 6 pessoas;
Internet Gratuita: Sim
Ar condicionado: Sim
Serviços não disponíveis: Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, jacuzzi, parque privativo, piscina, animais: Não
Coordenadas: Latitude, 41.97450321349001, Longitude, -8.373620510101318
Morada: Igreja – Sistelo 4970 – 645 Arcos de Valdevez
Telemóvel: 966 047 299
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Casa da Teresina

Entre o Castelo de Sistelo e a antiga escola primária desta mesma freguesia, encontra-se a Casa da Terezina, uma antiga casa rural recuperada com bom gosto e conforto, para receber seus hóspedes, convidando-os a uma estadia repleta de conforto e tranquilidade.

A Casa da Teresina desfruta de uma paisagem natural de inegável beleza sob a freguesia de Sistelo. Sistelo é famoso pelos seus socalcos, que surgiram pela necessidade de aumentar a superfície agrícola e de contrariar os declives. São plataformas mais ou menos planas de solo profundo e fértil, construídas nas vertentes das montanhas, sobrepostas umas às outras em escadaria e suportadas por grandiosos muros de pedra. Todo este conjunto que denomina uma paisagem natural de inegável natureza, convida-o a passar umas pequenas férias em tranquilidade total.

Coordenadas: Latitude, 41.974520, Longitude, -8.373619
Morada: Igreja - Sistelo, 4970 Arcos de Valdevez
Telemóvel: 963 741 652
Email:Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Endereço Web: https://aldeiadesistelo.pt/casa-da-teresina/

Casa de Sistelo

A Casa de Sistelo está localizada na aldeia de Sistelo, a 20 km de Arcos de Valdevez. Esta casa rústica está situada na encosta da montanha e oferece vistas panorâmicas sobre o vale do Rio Vez.

O alojamento está equipado com uma lareira, uma televisão de ecrã plano por satélite e uma área de estar. Inclui um quarto duplo e uma casa de banho privativa com um chuveiro e um secador de cabelo. Os hóspedes podem preparar as suas próprias refeições na cozinha totalmente equipada.

Nos dias quentes, os hóspedes podem nadar no Rio Vez, que é o lugar ideal para desfrutar de momentos de lazer únicos. Os hóspedes podem também explorar as ruas estreitas e descobrir capelas e igrejas de surpreendente beleza.

Uma diversidade de atividades, incluindo caminhadas, está à disposição no local ou nas imediações. Esta casa de férias encontra-se a 119 km do Aeroporto do Porto.

Tipologia: Alojamento Local
Características: Turismo Rural Gerês
Morada: Rua Igreja de Cima, Sistelo, 4970-645 Sistelo
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Casa do Cacho

Tipologia: Alojamento Local
Capacidade: 4 pessoas
Morada: Padrão 4970-645 Sistelo Arcos de Valdevez
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

Suite das Fraguinhas

Morada: Rua Visconde de Sistelo, 4970-645 Sistelo, Portugal
Telemóvel: 969 629 909
Coordenadas: N 041° 58.365, W 08° 22.435
Avaliação Ondas da Serra: Foi nesta pequena suite que ficamos alojados quando fomos visitar Sistelo. A mesma apesar de pequena está bem equipada, limpa e de noite foi necessário ligar o aquecimento em virtude do frio desta região montanhosa. Como não tem garagem, as bicicletas tiveram que ficar amarradas na rua. 

Avaliação do Sistelo

Avaliação positiva do Sistelo

Cruzeiro de Sistelo Aldeia de Portugal

  • A beleza da aldeia de Sistelo assenta na sua ruralidade que tem nos socalcos o seu maior exemplo;
  • O enquadramento paisagístico é perfeito e nenhum amante da fotografia pode reclamar pela falta de motivos de interesse;
  • A fauna e flora é rica e variada, que são suportadas pelo Rio Vez e Serra da Peneda. O rio Vez possui uma das mais ricas galerias ripícolas que visitamos e excelentes lagoas e áreas de lazer.
  • A riqueza arquitetónica está presente nas suas igrejas, capelas, espigueiros, regadios, veigas, brandas de gado, cortelhos e habitações em granito;
  • A gastronomia que tem na carne Caxena o seu melhor exemplo;
  • Os ricos percursos pedestres e miradouros;

Avaliação problemática do Sistelo

  • O facto de Sistelo ser uma terra longínqua protegeu as suas riquezas, por esta razão a estrada que lhe dá acesso é muito sinuosa obrigando a uma condução lenta e ponderada.
  • No local só encontramos um minimercado que nem sempre está aberto;
  • Há poucos restaurantes, embora a nível do alojamento exista uma oferta equilibrada;

Sistelo sofre também com a falta de investimento no interior

"A economia portuguesa prosperou com utilização pouco cuidada dos recursos naturais importantes. As tendências de litoralização e urbanização do território mantiveram-se. A nível nacional a extinção dos subsídios agrícolas levou à diminuição da área agrícola e apenas as áreas onde a agricultura é mais competitiva foram rentabilizadas e alvo de investimento.

Abandono dos campos e das práticas agro-pastoris 

Em Sistelo, a tendência de abandono dos campos e das práticas agro-pastoris permaneceu e reforçou-se com o contínuo êxodo e envelhecimento populacional. O abandono dos campos, conjugado com a ausência de intervenção, levou à cessação das actividades de manutenção dos socalcos, e ao crescimento de arbustos e matos pirófitos, por sucessão natural.

Aumento de fogos, erosão dos solos e derrocadas

Estas tendências tiveram como consequência o aumento do número de fogos, a erosão dos solos e o desencadeamento de derrocadas causadas pelo progressivo colapso dos socalcos. A biodiversidade local diminuiu devido ao impacto negativo do fogo e à consequente homogeneização da paisagem.

Desaparecimento de espécies

Algumas espécies associadas aos espaços humanizados desapareceram, tendo sido substituídas por outras melhor adaptadas ao novo equilíbrio. A produção de alimento e madeira diminuiu. A qualidade da água foi beneficiada pelo desaparecimento das fontes de poluição associadas às práticas agrícolas e à ocupação humana, mas a elevada frequência de fogos teve impactos negativos sobre o serviço de regulação do ciclo hídrico.

Abandono dos socalcos

Também o abandono dos socalcos, que evitavam o run-offda água das chuvas e mantinham a fertilidade do solo, levou ao aumento da erosão e ao «descarnamento» permanente das encostas, com consequências negativas sobre o serviço de suporte do solo e de regulação do ciclo hídrico.

Desaparecimento da caça miúda

Os serviços recreativos e culturais inicialmente providenciados foram negativamente afectados: muitas das espécies cinegéticas dependentes da área agrícola (principalmente a «caça miúda») desapareceram e o serviço cultural da paisagem humanizada, que inclui o conhecimento, os valores e a identidade a ela associados, deixou de existir.

Diminuição da segurança

O turismo cultural associado à paisagem humanizada e ao seu valor estético diminuiu mas foi substituído pelo turismo da natureza e desportivo. O desenrolar deste cenário teve consequências muito negativas para o bem-estar da população local com a diminuição da segurança, por causa da ocorrência dos desastres ambientais e naturais referidos, e com a progressiva deterioração dos serviços de produção e do serviço cultural da paisagem.

População em risco de desaparecer

A deterioração do bem-estar social manteve-se. Dos 341 habitantes que aqui residiam no início do século, apenas quatro habitantes idosos permanecem no lugar da Igreja, e em poucos anos a população irá desaparecer por completo."20 (Pereira, E., & Queiroz, 2009).

Galeria de fotos de Sistelo 

Créditos e Fontes pesquisadas 

Texto: Ondas da Serra, com exceção do que está em itálico e devidamente referenciado.

Fotos: Ondas da Serra, com exceção das que estão referenciadas  

1 - trilhos.arcosdevaldevez.pt/activities/trilho-dos-socalcos-de-sistelo
2 - Quadro informativo H2, colocado em Sistelo pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez
3 - Quadro informativo H5, colocado em Sistelo pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez
4 - visitarcos.pt/o-melhor/maravilhas/7-maravilhas-aldeias-rurais
5 - trilhos.arcosdevaldevez.pt/activities/trilho-dos-passadicos/
6 - visitarcos.pt/experiencias/galeria
7 - aciab.pt/sistelo/index.php/como-chegar
8 - cachena.pt
9 - aldeiadesistelo.pt/aldeia-de-sistelo/
10 - cmav.pt
11 - aldeiasdeportugal.pt/servicos/igreja-paroquial-de-sistelo/ 
12 - aldeiasdeportugal.pt/servicos/passadicos-de-sistelo/
13 - aldeiasdeportugal.pt/servicos/ponte-medieval-de-sistelo/
14 - aldeiasdeportugal.pt/aldeia/sistelo/
15 - aldeiasdeportugal.pt/servicos/praia-fluvial-de-sistelo/
16 - Notícia completa: cmav.pt/pages/2208?news_id=5268
17 - jf-sistelo.com

Pesquisas bibliográficas

20 - Pereira, E., & Queiroz, C. F. Mensagens chave A paisagem de Sistelo, moldada pela intervenção humana, reflecte a adaptação de uma comunidade rural ao território de montanha. A dependência dos serviços de ecos.

Lida 1255 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é uma marca registada e um Órgão de Comunicação Social periódico inscrito na ERC - Entidade Reguladora para a Comunicação Social, com um jornal online. O nosso projeto visa através da publicação das nossas reportagens exclusivas e originais promover a divulgação e defesa do património natural, arquitetónico, pessoas, animais e tradições do distrito de Aveiro e de outras regiões de Portugal. Recorreremos à justiça para defendermos os nossos direitos de autor se detetarmos a utilização do nosso material, texto e fotos sem consentimento e de forma ilegal.     

Itens relacionados

Trilho dos Socalcos do Sistelo revela paisagens incríveis

O percurso pedestres PR24 – Trilho dos Socalcos do Sistelo, desenvolve-se nesta freguesia do concelho de Arcos de Valdevez. Esta caminhada é caracterizada pelos socalcos que contribuíram para ter ganho o título de ser uma das “7 Maravilhas de Portugal”, na categoria de Aldeia Rural. Esta forma que os seus antepassados arranjaram para moldar a paisagem e conseguirem cultivar as terras para o seu sustento, mudam de tonalidade e beleza conforme as estações do ano. Pelo caminho poderão ser encontrados traços da sua ancestralidade e práticas agrícolas. Por vezes nos lugares mais inusitados descansam ou pastam bovinos da raça Cachena, alheios ao tempo e curiosidade dos forasteiros. Os socalcos, muros, espigueiros e casas em granito, das aldeias de Sistelo e Padrão conferem um caráter respeitoso e austero, da sua velha longevidade, mas que lentamente estão a morrer degradados pelo abandono. Subir estas encostas e ver Sistelo ao longe, rodeado de socalcos é uma das melhores formas de abarcar a sua beleza paisagística e de o celebrar.

Ecovia do Vez um dos melhores trilhos naturais de Portugal

A Ecovia do Vez, fica localizada em Arcos de Valdevez, estando dividida em três etapas, com um total de 32 quilómetros. O seu percurso caracteriza-se por ser feito sempre com o acompanhamento de rios Lima e Vez e uma exuberante galeria ripícola. A sua beleza é realçada pela riqueza paisagística, antigos moinhos, pesqueiros, história, fauna e flora. O percurso é em terra batida, passadiços, modernas pontes metálicas ou antigas passagens medievais. Esta é uma das melhores de Portugal e atinge a sua plenitude quando se alcança o final situado na aldeia de Sistelo, com os seus socalcos, que lhe granjeou o título de aldeia rural maravilha de Portugal que ganhou honradamente o título de Tibete Português.