Trilho da Ponte de Ferro Destaque

Classifique este item
(1 Vote)

O trilho da ponte de ferro começa e acaba em Travassô – Águeda, devendo o seu nome à ponte ferroviária sobre os Rio Velho e Águeda, por onde ainda passa o “Vouguinha”, na linha que liga Aveiro a Sernada do Vouga. Este percurso pode ser feito a caminhar ou de bicicleta.

Cegonhas junto ao apeadeiro de TravassôOndas da Serra foi fazer este trilho num dia soalheiro, ficando aqui o testemunho do que nos despertou mais interesse. O trilho está razoavelmente bem assinalado e o único ponto onde nos enganamos, foi ao passar por baixo da ponte de ferro, seguimos em frente pela direita. Aqui é necessário virar em sentido contrário, passar novamente por debaixo da mesma, acompanhar o Rio Águeda pela sua direita. No nosso caso o engano não teve grandes repercussões, porque fomos ver outras paisagens e campos alagadiços que nos impediram a passagem.

Leia também: Macieira de Alcôba - Parta à descoberta dos seus encantos e tradições

Este percurso é muito interessante de fazer, começa junto à Igreja de Travassô, onde pode apreciar ao fundo o litoral e visitar um antigo lavadouro com interessantes painéis de azulejos que retratam cenas populares.

É interessante notar que os habitantes de Travassô parecem ser muito religiosos, pelos nomes das ruas e travessas, em honra por exemplo dos padres “Camelo e José Tavares”.

Junto ao apeadeiro desta localidade pode apreciar o bailado de dezenas de cegonhas, habitantes em postes metálicos que lá foram colocados pelo homem.

Ao seguirmos em direção à capela da Nossa Senhora do Amparo, vimos uma vivenda cheia de azulejos dum emigrante que diz num painel que lá esteve cinquenta anos.

Leia também: Trilho das “Terra de Granito”

O parque de lazer junto à capela merecia uma requalificação, manutenção e melhorias. O percurso segue pelo caminho junto duma estrutura da SIMRIA. O ponto alto deste trilho é a ponte de ferro acima referida, entre os apeadeiros de Travassô e Taipa. Nós almoços junto dele, em local seguro e observando os rios. Somos de Ovar onde temos a Ria de Aveiro e muitos locais para observação de aves, mas estes trajetos pareceu-nos ter uma fauna mais rica, tal era a quantidade de aves que se assustavam à nossa passagem e cruzavam os céus. Ficamos com pena de não ter trazido os binóculos, não voltaremos a cometer o erro.

Apesar de não ser permitido, a nossa paixão pela fotografia levou-nos a passar a ponte, sempre com muito cuidado. Mas você não o faça porque lá ainda passam comboios como foi o caso. Um de nós ficou de vigia enquanto o outro explorava e vice-versa, as pontes de ferro têm em uma alma e presença diferentes das de betão. No apeadeiro da Taipa um jovem esperava a chegada do comboio, que aconteceu passado algum tempo e permite um género de viagens que parecem já não ser deste século.

Constatamos o que se tem vindo a divulgar pelos jornais no Rio Águeda, a invasão dos Jacintos de água. Fruto das chuvadas recentes, o caudal das águas tinha destruído muitos, mas é um problema grave que este rio enfrenta.

Os barquinhos em madeira lembrar ao caminhante que o rio é navegável e um tinha-nos dado jeito um, para passar para o outro lado e visitar Requeixo, como não deu contentamo-nos em observar a sua bonita ponto da margem oposto. Para os amantes da bicicleta e também das caminhadas, uma opção interessante é visitarem esta aldeia e explorarem os seus caminhos já que da margem oposto, víamos junto ao Rio Águeda um bom estradão em terra batida, por onde passou alguns pessoas e veículos. 

A dada altura num local mais aberto para o rio, algo nos remeteu para a nossa infância e ficamos alguns momentos a observar. Ali pregados numa árvore jazia os restos duma escadaria em madeira, com uma plataforma na parte superior, para nos dias de mais calor crianças e jovens subiram aos altos e darem saltos para água, no chão uma prancha servia para os mais vertiginosos.

Será interessante notar que este trilho é bonito, mas que deve aumentar a sua beleza na primavera e verão, já que nesta estação os campos de cultivo estavam todos a descansar. O trilho a dada altura deixa de seguir o rio e começamos a regressar a Travassô. Encontramos como indica a informação turística a casa da EDP, com a inscrição “UEP”, em ruinas. Não seria interessante fazerem algo com ela e aproveitarem a sua boa localização?

Aqui calcorreamos os, “caminhos das vinhas”, onde foram plantadas como o nome diz muitas vinhas. Era altura da poda, onde se cortam os excessos das plantas, para a fortalecer e se amarram com vimes. Foi assim que encontramos um empreendedor nesta área com os seus dois trabalhadores que se prontificaram a contar ao Ondas da Serra o que andavam a fazer.

Leia também: As vinhas Casa D’Almear

Ao fundo o Rio Vouga, os campos abertos com gado bovino a pastar e mugir, davam-nos uma sensação extasiante. Em todo o percurso encontramos postes com cegonhas que não se importavam muito com a nossa presença, ainda bem.

Chegamos novamente a Travassô, já escurecia a tarde, aqui existe uma grande concentração de laranjeiras e, como não podia deixar de ser, tivemos que provar algumas, é um hábito que temos.

Bem chegamos ao ponto de partida, junto à Igreja existe uma mercearia onde se pode comer e beber alguma coisa. Como a luz estava boa, fomos repetir algumas fotos e tivemos sorte porque conseguimos assistir ao por-de-sol.

Ainda tivemos tempo de ir conhecer o Café Arsénio, onde Carlos Marques nos contou que gosta de atletismo e aquela zona tem alguns campos abertos onde é possível correr e andar de bicicleta por muitos quilómetros, por paisagens espetaculares.

  1. Almarge – São João de Loure;
  2. Óis da Ribeira – Águeda;
  3. Campo de Espinhel – perto da Pateira de Fermentelos;
  4. Travassô

Os trilhos 1 e 2, tem ligação e juntos têm segundo ele cerca de 30 quilómetros.

E assim terminou a nossa viagem e já temos outra em agenda também para este concelho.

 

Galeria

 

Lida 199 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social com distribuição da informação pela Internet, que visa promover a identidade regional e o turismo através da promoção da cultura, património, monumentos, museus, desporto, economia, gastronomia, ecologia e coletividades dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca e dos restantes municípios desta região.

Itens relacionados

Pessoas empreendedoras

Há pessoas que nasceram com uma ambição, força e coragem que lhes permitem criar e desenvolver ideias que se traduzem muitas vezes em negócios de sucesso. Esta caraterística de empreendedorismo não é exclusiva de nenhum género, raça ou instrução, é uma maneira de ser. Ondas da Serra selecionou alguns exemplos de negócios que podem ser apontados como exemplo e dar força a quem pensa criar um negócio, ou já começou e enfrenta problemas e desafios que só podem ser vencidos com perseverança e resiliência. “O sucesso não é definitivo, a falha não é fatal. O que importa é a coragem de continuar.” Winston Churchill

A caminhada à Ilha dos Amores: da balbúrdia ao silêncio

Falcão deu a última ordem de partida para a Ilha dos Amores faltavam 5 minutos para as 14 horas. Num instante, a balbúrdia do cais cedeu ao silêncio. A equipa do Ondas da Serra foi a última a zarpar rumo ao ponto alto da caminhada ‘Em busca do amor’. À nossa espera estava o almoço partilhada entre as 21 pessoas que se aventuraram por Castelo de Paiva este Domingo, 22 de Julho.

Eventos Ondas da Serra

Ondas da Serra pontualmente efetua alguns eventos onde pretendemos envolver a nossa comunidade. Nós achamos ser nosso dever partilhar os nossos conhecimentos, sobre yoga, meditação, amor que temos pela humanidade, património natural e arquitetónico, animais e tradições. Defendemos um mundo melhor, onde as pessoas vivam em harmonia consigo próprias e com o universo, sem semearem a discórdia. Já fomos andar de bicicleta, de bateira na Ria de Aveiro, de barco no Rio Douro, subimos serras, mergulhamos em lagoas, fizemos yoga e meditação e partilhamos almoços em locais fantásticos. Aqui ficam alguns dos nossos momentos, não perca a oportunidade de viajar connosco.

Faça Login para postar comentários
Pub