Ondas da Serra foi para Castelo de Paiva em “Busca do Amor” Rui Sousa a recitar o Canto IX dos Lusiadas

Ondas da Serra foi para Castelo de Paiva em “Busca do Amor” Destaque

Classifique este item
(3 votos)

Realizou-se no passado domingo, dia 22 de julho, mais um evento do Ondas da Serra. Sob o mote “Em busca do amor”, Castelo de Paiva acolheu esta nova iniciativa da nossa comunidade. Duas dezenas de pessoas, oriundas de Ovar, Espinho, Vila Nova de Gaia, Porto e Beja foram à aventura para a Ilha dos Amores. Este evento também foi especial porque a equipa do Ondas da Serra esteve toda presente.

Festa de São Pelágio - Fornos - Castelo de PaivaO dia apresentou-se radioso, um pouco quente, mas os ares junto ao lugar do Castelo são refrescados pela brisa do Rio Douro ali perto. O grupo partiu à descoberta com alegria e vontade de conhecer os principais pontos de interesse:

  • Ponte sobre o Rio Paiva que divide os distritos de Aveiro e Viseu;
  • Aglomerado histórico do lugar do Castelo;
  • Alminhas da Nossa Senhora da Boa Fortuna com data de 1825;
  • Capela de Santo António – Fornos;
  • Velho Cruzeiro de Fornos;
  • Igreja de São Pelágio de Fornos;
  • Várzea de Fornos;
  • Ilha dos Amores;

Tivemos um prémio extra porque na freguesia de Fornos comemorava-se a festa de São Pelágio e um batizado. O velho cruzeiro estava enfeitado a preceito, cumprindo a tradição secular. No momento em que chegamos, entrava a procissão na Igreja ao som da Banda Musical de Fornos. Na lateral descansavam os andores à espera de serem levados pelo povo. Algumas pessoas do grupo crentes no poder divino foram visitar a Igreja e depois de terem cumprido o seu ato de fê, seguimos viagem.

Andamos depois a ladear a várzea de Fornos, com as suas quintas do vinho verde da região e paramos em algumas fontes. As mesmas tinham avisos que a água não era controlada, mas deu para nos refrescar e alguns molharem-se numa batalha de água.

Por detrás duma porta aberta numa adega em Geão - Fornos, surgiu um velho homem, José Silva, 71 anos, antigo motorista, muito simpático, alto e de boas falas. Lá dentro não faltavam pipos, garrafões e todas as ferramentas para fazer vinho. O António Teixeira, de Vila Nova de Gaia, ofereceu-se logo para levar um garrafão de vinho verde da região, para o nosso almoço, que carregou durante alguns quilómetros. A pinga revelou-se boa, mas para ficar um pouco fresca mergulhou algum tempo nas águas do Douro.

O percurso continuou ora por terra batida, estradas ou viadutos até chegarmos ao destino final.

O nosso barqueiro de serviço, Sr. Falcão, atrasou-se um pouco o motor do barco encharcou as velas, em ambas as viagens de ida e volta, mas lá chegamos ao destino, todos em segurança e com os respetivos coletes.

Terminamos finalmente a nossa “Demanda pelo amor”, esse sentimento que tem múltiplos significados, interpretações e cada pessoa possui a sua definição. Antes do almoço ensinamos algumas técnicas de Yoga e de meditação.  

Fomos finalmente almoçar e não faltou nada, ninguém passou fome ou sede, o convívio foi alegre, todos partilharam das suas provisões. A conversa jorrou, alguns mais cansados da caminhada dormitaram. Outros foram tomar banho ou saltar dum penhasco como uns jovens que ali estavam. A sociedade é isto, poucas pessoas do grupo se conheciam, mas parecia que já eram todos amigos de longa data, é isto que o Ondas da Serra pretende.

No final o nosso Rui Sousa fazendo uso das suas qualidades oratórias recitou alguns sonetos do Canto IX de Camões, para deleite de todos, não estivéssemos nós na Ilha das Ninfas.

Não podemos contar todas as histórias e o ambiente especial que se viveu é difícil que recriar em palavras ou fotografias. No entanto, agradecemos as pessoas que participaram e se envolveram em todos os momentos.

Esperamos por vocês numa próxima oportunidade. 

Até já.

Leia também: A caminhada à Ilha dos Amores: da balbúrdia ao silêncio

 

 

Lida 188 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

De Ovar a Aveiro: sobre a importância do tempo

O Ondas da Serra, ou melhor o Sílvio, o Rui e eu, percorreu Ovar a Aveiro em bicicleta. A aventura começou no primeiro dia em que se ponderou fazer o caminho desde a cidade vareira à cidade dos canais, sempre com a Ria como apoio. Foram mais de 10 horas de percurso e perto de 90 quilómetros de caminho. Mais do que pedalar, ficar espalmado ou mergulhar os pés na lama, ficou a importância do tempo.

Região de Aveiro: 9 sítios a (re)descobrir em 2019

A precisar de ideias para os planos de fim-de-semana ou sem inspiração para o final de tarde? O Ondas da Serra compilou 9 sítios para visitar em 2019. Cada local proporciona uma relação diferente com a natureza e consigo. (Re)descubra-os.

Terras de Fuste, Função e Paço de Mato

Ondas da Serra partiu à descoberta um destes dias por terras de Vale de Cambra. Deixamos o carro em Rogê, perto do Centro Cívico e partimos para desbravar terrenos e procurar aventuras. Não fomos de caravela, nem navegamos numa nau, levamos a bicicleta, não levamos varapau. 

Faça Login para postar comentários
Pub