A nossa equipa foi conhecer a aldeia de Maceira de Alcôba, pertencente ao concelho de Águeda. Ficamos maravilhados com a sua riqueza a nível natural, arquitetónico, tradicional e religioso. São poucos os adjetivos que poderíamos empregar para descrever o que se pode fazer e visitar. Apesar destas dificuldades selecionamos algumas das suas potencialidades que encontramos quando fomos caminhar pela PR4 – Trilho das Terras de Granito.

Os nossos leitores mais assíduos devem lembrar-se do artigo que fizemos sobre a Rota do Ouro Negro, que começa em Fuste e termina em Rio de Frades. Pois bem regressamos a este último local para explorarmos desta vez a Rota do Carteiro.

Depois dos incêndios que devastaram Arouca em 2016, grande parte das demarcações dos percursos pedestres foram danificadas. Recebemos recentemente informações da Câmara Municipal de Arouca, que as marcações estão quase todas repostas, nomeadamente a do PR 8 – Rota do Ouro Negro, que pode ser feita de Fuste a Rio de Frades ou vice-versa. Foi este que fomos fazer no dia 13 de novembro e sobre a qual vamos falar um pouco.

Em Ovar existe um local que passa frequentemente despercebido, a Moita. Nós passeamos com regularidade pelos seus caminhos, apreciando os campos, aves, insetos, flores, águas, esteiros e ria. Os quadros variam com as estações, humores do tempo, pessoas, fauna e flora.

O nosso magnifico distrito possui dezenas de trilhos onde podemos observar a natureza, pássaros, insetos, flores, árvores e escutar um silêncio que dificilmente encontramos no meio urbano. Por vezes durante as caminhadas poderá cruzar-se com os habitantes desses locais, lembrem-se que um cumprimento e um sorriso não custam nada e fazem muito bem. Nós temos falado com pastores, pescadores, idosos e feirantes que sempre nós ensinam algo e nos relembram de outros tempos em que a sociedade estava mais unida.

Conforme foi prometido no artigo que descreve a primeira parte do PR2 de Albergaria-a-Velha, aqui fica uma alternativa para quem quiser fazer este percurso em duas etapas. Na primeira começamos em Vilarinho de São Roque e terminamos em Ribeira de Fráguas. Na segunda deixamos o nosso transporte em Ribeira de Fráguas em frente à capela e fizemos os 4,1 quilómetros até Vilarinho de São Roque e voltamos ao ponto inicial de forma linear. No total caminhamos cerca de 9 quilómetros.