O Ondas foi conhecer a Associação dos Amigos da Ria e do Barco Moliceiro, na Ribeira de Pardelhas – Murtosa, que tem como missão preservar as embarcações tradicionais da Ria de Aveiro, onde se destaca o barco moliceiro e ainda dar formação náutica e desportiva.

Neste artigo estivemos à conversa com o Professor Manuel Oliveira, simultaneamente Presidente da associação e formador, que nos contou a sua história, de algumas das suas relíquias históricas, o tipo de formação que dão aos sócios e estivemos a ver um Mestre a trabalhar na recuperação dum barco de recreio e fomos ver outro aparelhar um moliceiro e navegar com ele na ria.

Em outros tempos a Ria de Aveiro era sulcada por moliceiros, mercantéis, bateiras e outras embarcações em madeira que o tempo foi apagando, assim como os homens que lhes davam forma com a sua arte e engenho, munidos apenas com ferramentas rudimentares, onde o machado com arte devastava o pinho para fazer nascer moliceiros, sendo estes artífices conhecidos por "Mestres do Machado".

O Ondas da Serra visitou o Cais do Puxadouro, na Ria de Aveiro, em Válega, onde durante séculos, partiram embarcações carregadas de produtos agrícolas, pecuária, telha e caulino. O porto foi perdendo as suas funções originais e transformou-se num novo CENÁRIO. O Centro Náutico da Ria de Ovar surge com a missão de preservar a memória do Cais e de recuperar histórias que, de outra forma se perderiam.