Das mãos feridas por cortes, nascem no templo do Mestre, à força da têmpera e bigorna, facas, espadas, catanas e navalhas, que só um cuteleiro sabe forjar. O Ondas foi conhecer em Ovar, um raro homem de sabedoria ancestral, de nome António Santiago, que do bruto metal, imbuído de crenças orientais, faz peças únicas que intimidam só pelo olhar.

As emoções são o princípio de um projeto a dois. Se para Filipa é impossível viver sem alma, para Pedro a vida é mais intensa através da fotografia. Conheceram-se, viajaram, casaram e lançaram a Alma de Alecrim. O blogue, a loja virtual e o espaço físico, no centro histórico de Aveiro, são histórias de amor simples, mas intensas.

A atividade artesanal é merecedora de destaque e deseja-se que o público reveja nela o seu passado, o seu presente e, preferencialmente, o seu futuro, uma vez que há a necessidade de perpetuar certas artes que se vêem cada vez mais esquecidas e que poderão estar condenadas.