sexta, 30 dezembro 2016 11:13

Rota da Água e da Pedra

Classifique este item
(0 votos)

A Rota da Água e da Pedra (RAP) foi inaugurada em Vale de Cambra no dia 19 de março'16. A Rota da Água e da Pedra é um projeto das Montanhas Mágicas e o Município integra três dessas linhas, são elas: a linha do Arestal (T); Caima (C) e Freita (F).

Descobrir as Montanha Mágicas

A descoberta das Montanhas Mágicas® é feita através de uma espécie de linha de metro, com paragens constituídas por locais a visitar, na imensidão das serranias compreendidas entre o Douro e o Vouga. Essa linha condutora é A Rota da Água e da Pedra® (RAP), em que, de sul para norte, as linhas do Vouga (V), Arestal (T), Arada (A), Freita (F), Caima (C), Paiva (P), Montemuro (M), Bestança (B) e Douro (D) sucedem-se, constituindo na totalidade 114 pontos de visitação obrigatória.

Os percursos de Vale de Cambra

Vale de Cambra integra três dessas linhas, são elas: a linha do Arestal (T); Caima (C) e Freita (F). Valorizando elementos do património natural e cultural ligados à água e à pedra, pode-se descobrir cascatas, rios, gravuras pré-históricas, turfeiras, antigas minas, dolmens, fragas, fósseis, fenómenos geológicos, vales ou livrarias quartzíticas.

Recomendações e informações sobre os percursos: Para realizar a actividade, recomenda-se o uso de roupa e calçado confortável para caminhadas na natureza. Os percursos serão realizados por caminhos rurais e florestais, sendo o mais técnico, o percurso realizado na Levada de Santa Cruz (não recomendado a menores de 16 anos, a menos que venham acompanhados pelo pais e estes se responsabilizem pela sua segurança), o percurso mais longo e difícil, será o acesso ao Outeiro dos Riscos, que terá algum declive acentuado.

Fonte: Câmara Municipal de Vale de Cambra

Lida 625 vezes Modificado em segunda, 30 novembro 2020 00:45

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Manhouce terra do canto da natureza e tradições

Num dia que ameaçava chuva, imbuídos desta necessidade de mergulhar no interior profundo de Portugal, fomos conhecer Manhouce, do concelho de São Pedro do Sul e distrito de Viseu. Pelos seus caminhos percorremos o PR1 - Rota de Manhouce, conhecemos algumas das suas aldeias e tivemos um vislumbre das riquezas naturais do Maciço da Gralheira.

A força do caminho e a fraqueza do mundo

Os Caminhos de Santiago exercem em nós uma força que nos impele a visitar regularmente o apóstolo, que reza a lenda descansa na catedral de Compostela. Este ano fizemos a jornada partindo do Porto, seguindo pela costa, saboreando a brisa marítima, o azul infinito do mar e as encostas rochosas à espera de serem por ele reclamadas.

O Cais da Ribeira em Ovar

O Cais da Ribeira de Ovar, filho da ria de Aveiro, em tempos antigos foi um fidalgo abastado, ultrapassado pela importância do vapor que ali perto fez nascer uma estação. A sua construção remonta a 1754 e durante muito tempo teve grande importância no transporte de passageiros e trocas comerciais entre Aveiro, Porto, Régua e outras terras do interior.