sexta, 20 outubro 2017 12:50

O domínio da Natureza nos Passadiços do Paiva Destaque

Classifique este item
(2 votos)

Os 8 km dos Passadiços do Paiva levaram a equipa do Ondas da Serra por paisagens de beleza intocável e deixaram uma certeza: a aventura começa no primeiro degrau e é diferente para todos os exploradores. Localizados na margem esquerda de um dos rios mais cristalinos de Portugal, o rio Paiva, os caminhos de madeira serpenteiam por encostas, águas bravas e praias fluviais.

O percurso pode ter início no Areinho ou em EspiuncaArouca, no distrito de Aveiro, é o santuário dos Passadiços do Paiva, um projeto para amantes da natureza e que tem arrecado distinções internacionais desde a sua inauguração, em 2015. Entre cristais de quartzo, espécies em extinção na Europa e cinco geossítios do Arouca Geopark (Garganta do Paiva (G36); Cascata das Aguieiras (G35); Praia Fluvial do Vau (G30); Gola do Salto (G31); Falha de Espiunca (G32)), o percurso pedonal estende-se entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca, num total de 16 km (ida e volta).

Desenhados pelo arquiteto Nuno Martins Melo, os Passadiços venceram em 2016 o “Óscar do Turismo” (World Travel Awards) como projeto mais inovador da Europa e os projetos de expansão, revelados pela Câmara Municipal de Arouca, incluem o aumento do percurso em 12 km, um bar suspenso e dois museus.

Leia também: Praia Fluvial do Areinho

O percurso pode ter início no Areinho ou em Espiunca, em extremidades diferentes do Rio Paiva. Com duração média de duas horas e trinta minutos, o tempo dependerá que pessoa necessita para observar e absorver a beleza desta rota desportiva, cultural, ambiental e paisagística. Disponível ao público ao longo de todo o ano, existem desníveis acentuados, sendo que o Verão acaba por ser a época mais requisitada.

Não abandonar lixo na natureza, observar a fauna à distância e evitar barulhos e atitudes que perturbem a paz local são algumas das recomendações para preservar este santuário natural no centro do país. O percurso no sentido Areinho é o menos exigente a nível físico e permite olhar o silêncio das montanhas a partir de miradouros naturais. Caso a sorte bata à porta, pode ainda contar com a companhia de cabras.

Leia também: Parque do Buçaquinho - O Amante da Natureza

Os Passadiços do Paiva permitem que o público conheça um paraíso até há pouco tempo acessível a um número restrito de pessoas, nomeadamente apaixonados por desportos radicais. Um percurso com reconhecimento mundial, que alia aventura, inovação e recursos naturais.

 

Lida 952 vezes

Autor

Ricardo Grilo

Histórias capazes de entrar em contacto com as emoções de quem as lê justificam a minha paixão pelo jornalismo. Natural de Santa Maria da Feira, acredito no potencial de um concelho em ensaios para escrever a sua autobiografia. Aos 24 anos, e enquanto colaborar do ‘Ondas da Serra’, procuro a beleza em escrever sobre uma terra tão especial.

Itens relacionados

A força do caminho e a fraqueza do mundo

Os Caminhos de Santiago exercem em nós uma força que nos impele a visitar regularmente o apóstolo, que reza a lenda descansa na catedral de Compostela. Este ano fizemos a jornada partindo do Porto, seguindo pela costa, saboreando a brisa marítima, o azul infinito do mar e as encostas rochosas à espera de serem por ele reclamadas.

O Cais da Ribeira em Ovar

O Cais da Ribeira de Ovar, filho da ria de Aveiro, em tempos antigos foi um fidalgo abastado, ultrapassado pela importância do vapor que ali perto fez nascer uma estação. A sua construção remonta a 1754 e durante muito tempo teve grande importância no transporte de passageiros e trocas comerciais entre Aveiro, Porto, Régua e outras terras do interior.

Vieira do Minho terra de contrastes

Vieira do Minho no sopé da Serra da Cabreira, vizinha do Parque Nacional da Peneda-Gerês, perto da azafama da área metropolitana do Porto, é um bom refugio para passar uns dias tranquilos, junto da natureza e vida selvagem.