Norberto Pinto fala do seu voluntariado em África Norberto Lopes Pinto

Norberto Pinto fala do seu voluntariado em África

Classifique este item
(0 votos)

Norberto Lopes Pinto rumou ao continente africano para fazer voluntariado e reuniu as memórias de viagem no livro “Africa nos Sentidos”. Na próxima sessão do ciclo “Conversa com…” da Biblioteca Municipal, no sábado pelas 16h30, o autor vai partilhar as emoções, os perigos e as várias situações marcantes que viveu durante a viagem, que começou em Inglaterra e acabou na África do Sul. A entrada é livre.

Norberto Lopes PintoCom vontade de viver novas experiências num continente diferente, Norberto Lopes Pinto “levantou-se da cadeira da estagnação” e viajou até África, onde exerceu voluntariado em diferentes países. No seu percurso, trabalhou com crianças de rua numa favela de Bamaco, no Mali, apoiou vítimas do VIH (vírus da imunodeficiência humana) no Uganda e conheceu o dia a dia dos orfanatos em Mombaça, no Quénia.

Cruzar o continente africano colocou o autor perante situações de corrupção e perigo, mas também de superação, como a travessia do deserto do Saara, na Mauritânia, ou a passagem pela selva do Congo. “África nos Sentidos” é o relato de uma viagem única, mas também uma reflexão sobre o voluntariado. Ao longo das páginas do livro, Norberto Lopes Pinto interroga-se sobre o que é ser voluntário hoje, qual o impacto nas comunidades e se é uma atividade que todos podem exercer.

Norberto Lopes Pinto nasceu em 1979, em S. Gonçalo, Amarante. Depois de uma experiência profissional como Técnico Desenhador Projetista, ingressou no Ensino Superior e concluiu a Licenciatura em Relações Internacionais na Universidade Lusíada do Porto. Tem uma Pós- Graduação em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Católica  de Lisboa. Criou a marca/conceito “Censura Clothing” e trabalhou como controlador de qualidade numa empresa sediada em Londres, no ramo da Saúde. Atualmente divide o tempo entre o trabalho na área social em Inglaterra e o próximo destino.

Lida 395 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Percursos pedestres em Aveiro

O nosso magnifico distrito possui dezenas de trilhos onde podemos observar a natureza, pássaros, insetos, flores, árvores e escutar um silêncio que dificilmente encontramos no meio urbano. Por vezes durante as caminhadas poderá cruzar-se com os habitantes desses locais, lembrem-se que um cumprimento e um sorriso não custam nada e fazem muito bem. Nós temos falado com pastores, pescadores, idosos e feirantes que sempre nós ensinam algo e nos relembram de outros tempos em que a sociedade estava mais unida.

Eventos Ondas da Serra

Ondas da Serra pontualmente efetua alguns eventos onde pretendemos envolver a nossa comunidade. Nós achamos ser nosso dever partilhar os nossos conhecimentos, sobre yoga, meditação, amor que temos pela humanidade, património natural e arquitetónico, animais e tradições. Defendemos um mundo melhor, onde as pessoas vivam em harmonia consigo próprias e com o universo, sem semearem a discórdia. Já fomos andar de bicicleta, de bateira na Ria de Aveiro, de barco no Rio Douro, subimos serras, mergulhamos em lagoas, fizemos yoga e meditação e partilhamos almoços em locais fantásticos. Aqui ficam alguns dos nossos momentos, não perca a oportunidade de viajar connosco.

Museus na região Aveiro

Ondas da Serra apresenta neste artigo uma seleção de museus que pode visitar, onde poderá apreender sobre história, património, história da cortiça, chapelaria, música, rádio, espécies de peixes, azulejos, casas antigas, ferramentas agrícolas ou como se fabricava o papel.