Imaginarius: Festival de artes de rua que fala às emoções Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira
quinta, 12 janeiro 2017 15:35

Imaginarius: Festival de artes de rua que fala às emoções

Classifique este item
(2 votos)

O centro histórico de Santa Maria da Feira volta a receber o maior festival de artes de rua realizado em Portugal. Entre os dias 26 e 27 de Maio, o concelho recebe grandes produções internacionais e criações locais. O acesso é gratuito.

Imaginarius: Um festival de artes de rua que fala às emoções humanas

Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira é uma referência internacional e acontece anualmente, durante dois dias, no mês de Maio. A edição de 2017 aposta, mais uma vez, em programas de apoio à criação artística contemporânea para o espaço público, através de uma plataforma integrada de suporte aos processos criativos, em toda a sua cadeia de valor, desde a ideia, passando pela criação e estreia até à sua fase de difusão nacional e internacional.

Imaginarius:  apoio à criação artística local

Destaque para a iniciativa de apoio à criação local, onde os artistas e companhias do município do Norte de Portugal são desafiados a apresentarem propostas com vista ao desenvolvimento de novas criações e sua apresentação no espaço público, no âmbito do Festival.

Do programa oficial fazem, ainda, parte a secção Mais Imaginarius, contextualizada como uma competição de projetos de artistas emergentes, e o Imaginarius Infantil, com oficinas e experiências inovadoras para um público entre os 3 e os 12 anos.

Imaginarius: Na rota europeia das Artes de Rua

O Imaginarius integra atualmente a rota europeia das Artes de Rua, seja pela sua presença na Circostrada Network, seja por um conjunto de parcerias com outros festivais e projetos de criação, que contribuem para a afirmação de Santa Maria da Feira como capital portuguesa das Artes de Rua. Através das dinâmicas do Imaginarius 365, Santa Maria da Feira respira Artes de Rua ao longo de todo o ano.

O Imaginarius PRO Marketplace é uma das novidades da edição deste ano. Trata-se de um novo espaço de divulgação de artistas, num modelo de feira, dirigido aos delegados internacionais do seminário FRESH STREET#2. A inciatiava ocorre no dia 25 de Maio, no Europarque. Este mercado artístico pretende reforçar o posicionamento dos agentes criativos portugueses e dar destaque à inovação na criação artística contemporânea para o espaço público. A participação é gratuita e os interessados em integrar esta feira artística deverão preencher o formulário de registo até 15 de abril.

Imaginarius: Para impulsionar o teatro de rua

Mais do que um conjunto de espetáculos, este evento procura impulsionar o teatro de rua através da mostra de projetos de incontornável qualidade internacional, a realizar em espaços abertos e públicos no centro histórico de Santa Maria da Feira. Afirmar a cultura portuguesa e europeia através de criações intimamente associadas ao teatro é a missão de um festival com o selo de qualidade de um concelho voltado para a cultura.

Saiba mais sobre o programa oficial do Imaginarius, aqui

Lida 839 vezes

Autor

Ricardo Grilo

Histórias capazes de entrar em contacto com as emoções de quem as lê justificam a minha paixão pelo jornalismo. Natural de Santa Maria da Feira, acredito no potencial de um concelho em ensaios para escrever a sua autobiografia. Aos 24 anos, e enquanto colaborar do ‘Ondas da Serra’, procuro a beleza em escrever sobre uma terra tão especial.

Itens relacionados

Ria de Aveiro: Conheça belo trilho escondido para BTT

As margens da extensa laguna da Ria de Aveiro, oferecem aos amantes da natureza, birdwatching, caminhadas e BTT, inúmeros locais paradisíacos para explorar. Alguns destes percursos estão já devidamente referenciados, mas há outros menos conhecidos que permitem viajar na companhia da ria, pelo lado lunar, por trilhos em terra batida, taludes ou passadiços. O Ondas da Serra ao longo do tempo foi explorando estes recônditos caminhos, catalogando e unindo alguns percursos menos conhecidos. Neste artigo vamos dar-lhe a conhecer um trilho entre Ovar e Aveiro, com mais de 80 quilómetros, pelo lado nascente da ria, assinalar cais, ribeiras e esteiros, pontos de interesse, fauna e flora. Vamos também disponibilizar os arquivos de tracking para os seus aplicativos de desporto, de forma a poderem também seguir a nossa exploração.

Janarde bela vista do Rio Paiva e Icnofósseis de Mourinha

Janarde em Arouca foi abençoada com uma luxuriante natureza e vista soberba sobre o vale do Rio Paiva, preservando ainda algum do seu casario em xisto e socalcos agrícolas que outrora davam pão ao povo. É também uma velha terra com milhões de anos gravados na história geológica das suas rochas. O espírito de Deus ao pairar sobre as águas deu à luz a vida, tendo a sua criação moldado seres de todas as formas e feitiços, que foram vivendo e morrendo ao longo de milhões de anos. Muitos foram aqueles que nos deixaram provas da sua existência, através dos restos fossilizados dos seus corpos ou icnofósseis das pistas por onde passaram, existindo aqui um importante geossítio do Arouca Geopark, onde poderá admirar marcas deste passado. A nossa curiosidade levou-nos a fazer um pequeno trilho para conhecer esta terra, paleontologia, icnofósseis, meandros, cocheiros e biblioteca do Rio Paiva.

Aprenda como se ensinava no Museu Escolar Oliveira Lopes

A história dos irmãos Oliveira Lopes de Válega que construíram uma escola

Esta é a história de dois irmãos do Cadaval – Válega que no começo do século XX, resolveram combater a expensas próprias o analfabetismo e mandaram erigir uma escola na sua terra que marcou tantos homens e mulheres e que comprova a importância do saber para elevar o ser humano. Naquele tempo não havia ensino obrigatório e universal, existiam poucas escolas, mestres e os alunos andavam desnutridos, mal vestidos e calçados.

Na sessão camarária de 29 de Janeiro de 1908 foi presente um ofício do subinspector escolar José de Castro Sequeira Vidal comunicando que José de Oliveira Lopes e seu irmão Manuel José de Oliveira Lopes, do lugar do Cadaval, da freguesia de Válega, ofereciam-se para custear todas as despesas com a construção dum edifício para as escolas oficiais e habitação dos respetivos professores dessa freguesia, pelo que pedia a cedência gratuita do terreno necessário para aquele construção que, concluída, seria oferecida ao Estado pelos citados beneméritos.” Lamy, A. (1977). Monografia de Ovar - volume 2 (1st ed., p. 376). Ovar [Portugal].