segunda, 04 setembro 2017 23:01

Barrinha de Esmoriz | Lagoa de Paramos Destaque

Classifique este item
(1 Vote)

A barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos parecia em tempos condenada ao infortúnio. No entanto, em setembro de 2016, arrancaram os trabalhos de requalificação e em junho deste ano abriram os passadiços. Esta zona lagunar fica situada na fronteira entre os concelhos de Espinho e Ovar e tem boas acessibilidades seja de carro ou comboio.

Os passadiços têm cerca de oito quilómetros e permitem ter uma vista privilegiada para um ecossistema que favorece as aves, espécies anfíbias e funciona como um autêntico viveiro de peixes, conforme foi comprovado pela nossa equipa, num dos topos do extremo norte que dá acesso à ponte, as pequenas criaturas eram às centenas fazendo a água tremeluzir com os raios de sol.

Estas novas estruturas em madeira fazem a ligação entre as margens das freguesias banhadas pela lagoa – Esmoriz - Ovar e Paramos - Espinho. É possível utilizar a mesma para fazer passeios a pé ou de bicicleta, nós escolhemos como é habitual esta última. Por eles temos acesso a várias praias como a de Esmoriz e de Paramos. Mas também dá acesso à Ecovia Litoral, que passa em Espinho e pelas praias, (sentido norte-sul) Marbelo, Seca, Azul, Pop, Costa Verde, Baía, Sereias, 37, Mar, Pescadores, Pau da Manobra e Paramos. É possível também em Esmoriz pedalar junto ao mar em direção a Cortegaça, passando pelo bairro dos pescadores. Em Cortegaça é possível continuar pela ecopista da Zona Floresta que vai em direção ao Furadouro.  

Os passadiços facultam vários acessos até às praias de Esmoriz, Paramos e sua zona equestre. Quem quiser apanhar o comboio da linha do norte, pode sair em Esmoriz e se for de bicicleta fazer os seguintes percurso: Esmoriz (passadiços da Barrinha) – Cortegaça (Zona Florestal) – Furadouro – Ovar e apanhar o comboio de regresso nesta última cidade. Ou fazer outro percurso Esmoriz (passadiços da Barrinha) – Paramos (Ecovia Litoral) – Espinho, nesta última cidade pode também apanhar o comboio.

 

Esta parte da obra oferece aos visitantes uma bonita ponte em madeira que liga os municípios de Ovar e Espinho, com uma vista privilegiada para a barrinha e que permite contemplar o nascer e pôr-de-sol.

Está em curso a limpeza da barrinha sendo possível ver no local algumas máquinas e bóias que não sendo bonito são um mal necessário.

Em novembro de 2003, a zona lagunar foi declarada como área crítica de recuperação ambiental, depois de uma reunião do Conselho de Ministros e de ser aprovado o interesse público das intervenções para eliminar a poluição.

Estes passadiços permitiram às pessoas regressar a este local conforme comprovou o “Ondas da Serra”, pelas dezenas de pessoas que vimos a correr, caminhar, a regressar ou a ir para as praias ou simplesmente a observar. O local tem sítios para observação de aves, que pode ser potencializado por quem levar uns binóculos, zonas para descansar e visitar.

Ondas da Serra deixa aqui uma sugestão porque é que não passa um dia em Esmoriz visitando este local e depois dar um salto a Cortegaça que é perto e visita também o Parque Ambiental do Buçaquinho.   

 

 

Leia também: Parque do Buçaquinho: o amante da Natureza

Leia também: Espinho | Ecovia do litoral

 

Lida 1802 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

A força do caminho e a fraqueza do mundo

Os Caminhos de Santiago exercem em nós uma força que nos impele a visitar regularmente o apóstolo, que reza a lenda descansa na catedral de Compostela. Este ano fizemos a jornada partindo do Porto, seguindo pela costa, saboreando a brisa marítima, o azul infinito do mar e as encostas rochosas à espera de serem por ele reclamadas.

O Cais da Ribeira em Ovar

O Cais da Ribeira de Ovar, filho da ria de Aveiro, em tempos antigos foi um fidalgo abastado, ultrapassado pela importância do vapor que ali perto fez nascer uma estação. A sua construção remonta a 1754 e durante muito tempo teve grande importância no transporte de passageiros e trocas comerciais entre Aveiro, Porto, Régua e outras terras do interior.

Arouca | Frecha da Mizarela - Uma das maiores cascatas de Aveiro

A Frecha da Mizarela foi esculpida na Serra da Freita em Arouca, perto da aldeia de Albergaria da Serra, onde o Rio Caima despeja brutalmente e destemido as águas no abismo.