Percursos pedestres/bicicleta em Aveiro Os caminhos de Covêlo de Paivó

Percursos pedestres/bicicleta em Aveiro Destaque

Classifique este item
(2 votos)

O nosso magnifico distrito possui dezenas de trilhos onde podemos observar a natureza, pássaros, insetos, flores, árvores e escutar um silêncio que dificilmente encontramos no meio urbano. Por vezes durante as caminhadas poderá cruzar-se com os habitantes desses locais, lembrem-se que um cumprimento e um sorriso não custam nada e fazem muito bem. Nós temos falado com pastores, pescadores, idosos e feirantes que sempre nós ensinam algo e nos relembram de outros tempos em que a sociedade estava mais unida.

Nos seus percursos vá com tempo, nós preferimos caminhar em detrimento da bicicleta porque só o seu vagar nos permite estar atentos ao que nos rodeia. Nas suas aventuras não faça lixo nem perturbe desnecessariamente os locais que visita.

Aqui ficam um conjunto de trilhos e passeios que nós aconselhamos a visitar, se tiver alguma dúvida não hesite em nós contactar por email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  
 
Ovar | Passear nas margens do Rio Cáster
 
Se visitar Ovar não deixe de passear pelas margens do Rio Cáster em direção à sua foz. Este curso de água que outrora se encontrava bastante poluído, nasce na freguesia de Sanfins, do concelho de Santa Maria da Feira e atravessa várias freguesias Feirenses e passa bem no centro da cidade vareira, desaguando na Ria de Aveiro, que tem o seu limite norte no Carregal.
 

 

 

Santa Maria da Feira | Parque das Ribeiras do Rio Uima
 
O Parque das Ribeiras do Rio Uíma fica situado nas freguesias de Fiães e Lobão, combinando vários sistemas de zonas húmidas, terrestres e ocupação humana. Neste local podem observar-se espaços muito ricos a nível da diversidade de habitats, albergando grande número de espécies vegetais e animais.
 

 

 

Rio Inha em Canedo

A margem esquerda do Rio Inha em Canedo foi retificada, dotando agora aquela parte do rio com uma bonita frente ribeirinha com cerca de três quilómetros. Quem circular pela Estrada Nacional 222 entre Canedo e Rio de Paiva, antes da Ponte do Inha, vira à direita e desce para a Rua da Ribeirinha, onde começa o percurso, que termina no Rio Douro.

 

 

Oliveira de Azeméis | Rota do Moleiro
 
A Rota do Moleiro em Oliveira de Azeméis começa e acaba junto do Parque Temático Molinológico em Ul.
 

 

 

Oliveira de Azeméis | Vilarinho de São Luís | Rota dos Espigueiros
 
Na aldeia de Vilarinho de São Luís - Palmaz - Oliveira de Azeméis, o visitante pode encontrar um vale encantador, povoado de espigueiros, terras lavradas para cultivo, ladeado por um rio, com o casario numa encosta, onde o silêncio se faz sentir, aqui e além quebrado pelo cantar de um garnisé ou latir de um cão.
 

 

 

Vale de Cambra - Varandas da Felgueira
 
A equipa do ONDAS DA SERRA foi até Vale de Cambra conhecer o novo Percurso Pedestre "VARANDAS DA FELGUEIRA (PR1)". Aquele Vale, na primavera, é realmente mágico... Nem o cinza do incêndio que devastou grandes áreas da serra, no verão de 2016, consegue esconder a alvura e o delicado aroma das cerejeiras em flor que embelezam o caminho.
 

 

 

Por entre montanhas do Vale Mágico

Ondas da Serra regressou às montanhas desta vez andou pelos caminhos do PR1 em Varandas da Felgueira - Vale de Cambra, que faz parte das “Aldeias de Portugal”. Neste vídeo centramo-nos como habitualmente nas pessoas, nos rostos mais expressivos e nas historias de vida que fomos encontrando pelos caminhos de Felgueira, Carvalhal do Chão, Vilar de Cepelos e Viadal. O trilho está muito bem assinalado, contudo como ardeu muita floresta no verão passado, em alguns locais há poucas sombra em dias de muito calor.

 

 

Arouca | Drave
 
Drave é uma aldeia pertencente ao concelho de Arouca, plantada no meio das Serras da Freita, São Macário e Arada. Esta local é caracterizada pelas suas casas em pedra conhecida por lousinha e telhados em xisto. Apesar de muitas delas estarem em ruínas tem sido feito um esforço por parte de escuteiros para as preservar.
 

 

 

Arouca | Conhecer Vila Cova e Espiunca
 
Foi efetuada uma recolha fotográfica pela equipa de "Ondas da Serra", no PR 10 - Rota dos Aromas em Arouca, pelos caminhos, campos, vales e serras de Vila Cova e Espiunca.
 

 

 

Arouca - Fuste - Rio de Frades | Rota do Ouro Negro
 
Depois dos incêndios que devastaram Arouca em 2016, grande parte das demarcações dos percursos pedestres foram danificadas. Recebemos recentemente informações da Câmara Municipal de Arouca, que as marcações estão quase todas repostas, nomeadamente a do PR 8 – Rota do Ouro Negro, que pode ser feita de Fuste a Rio de Frades ou vice-versa. Foi este que fomos fazer no dia 13 de novembro e sobre a qual vamos falar um pouco.
 

 

 

Arouca - Rio de Frades - Rota do Carteiro
 
Os nossos leitores mais assíduos devem lembrar-se do artigo que fizemos sobre a Rota do Ouro Negro, que começa em Fuste e termina em Rio de Frades. Pois bem regressamos a este último local para explorarmos desta vez a Rota do Carteiro.
 

 

 

Regoufe – Saída do rebanho do redil

Chegar a Regoufe – Arouca não é fácil, mas vale o esforço. Esta aldeia fica localizada no fundo de um vale e mantém ainda viva os ecos do seu passado agrícola, com o cultivo da terra, a pastorícia e restos da sua historia mineira. Ao caminhar pelas suas lajes de pedra encontramos a cada virar da esquina velhos agricultores, rebanhos de ovelhas, cabras ou outros animais.

 

 

Os caminhos de Covêlo de Paivó

A aldeia de Regoufe oferece muitas maravilhas para os amantes da natureza e caminhadas. O próprio local tem muitos pontos de interesse, sendo também ponto de partida para os percursos de Drave (PR 14 – A Aldeia Mágica) e Covêlo de Paivó (PR13 - Na senda do Paivó). O percurso que aqui vamos falar é o que fizemos para Covêlo de Paivó.

Este trilho não tem subidas muito acentuadas e o seu percurso ladeia o vale em baixo por onde passa o rio Paivó. Este percurso caracteriza-se pelas paisagens deslumbrantes dos vales, montanhas e caminhos que tocam os céus. As pessoas que tiverem vertigens que respirem fundo e deixem-se levar numa prova de autossuperação.

 

 

Águeda | Ecopista do Vale do Vouga
 
Depois de nós últimos tempos termos feitos algumas caminhadas exploratórias, Ondas da Serra resolveu mudar de ares e ir pedalar para Águeda e Server do Vouga. Com base neste objetivo fomos conhecer a Ecopista do Vale do Vouga e vamos relatar aqui a nossa experiência e algumas sugestões que poderão ser úteis.
 

 

 

Macieira de Alcôba - Parta à descoberta dos seus encantos e tradições
 
A nossa equipa foi conhecer a aldeia de Maceira de Alcôba, pertencente ao concelho de Águeda. Ficamos maravilhados com a sua riqueza a nível natural, arquitetónico, tradicional e religioso. São poucos os adjetivos que poderíamos empregar para descrever o que se pode fazer e visitar. Apesar destas dificuldades selecionamos algumas das suas potencialidades que encontramos quando fomos caminhar pela PR4 – Trilho das Terras de Granito.
 

 

 

Trilho das “Terra de Granito” - Macieira de Alcôba - Águeda
 
Antes de se ter abatido o dilúvio durante o mês de março, a nossa equipa teve ainda tempo de ir fazer a Macieira de Alcôba – Águeda, o PR4 - Trilho das “Terra de Granito”.
 

 

 

Aveiro vs Macinhata do Vouga | O regresso do Vouguinha à ‘Linha do Vale das Voltas’
 
É debruçado num varandim sobre o tempo que o Vouguinha percorre a via-férrea estreita de Aveiro. O comboio histórico tem como destino Macinhata do Vouga, no concelho de Águeda. A sua última viagem está marcada para 30 de Setembro. As três carruagens do início do século XX estarão de regresso em 2018 com a promessa de muitas mudanças.
 

 

 

Aveiro vs Macinhata do Vouga | Vídeo | Comboio Histórico do Vouga
 
No passado sábado dia 23 de setembro 2017, pelas 13h40, fizemos uma viagem no tempo a bordo do Comboio Histórico do Vouga, entre Aveiro e Macinhata do Vouga, com paragem no regresso em Águeda. Em outras eras o tempo corria mais devagar e este tipo de transporte cruzava aldeias e estava próximo das populações. As viagens não eram tão cómodas, mas as janelas abriram-se para os passageiros sentirem o ar matinal no rosto ou o negro do entardecer.
 

 

 

Águeda - Travassô | Trilho da Ponte de Ferro
 
O trilho da ponte de ferro começa e acaba em Travassô – Águeda, devendo o seu nome à ponte ferroviária sobre os Rio Velho e Águeda, por onde ainda passa o “Vouguinha”, na linha que liga Aveiro a Sernada do Vouga. Este percurso pode ser feito a caminhar ou de bicicleta.
 

 

 

Albergaria-a-Velha | Rota do Linho
 
A Rota-do-Linho (PR1) é um percurso de pequeno de rota circular que começa e acaba junto ao Centro de Atividades Radicais e Ambientais de Vilarinho de S. Roque. Este é um trilho fácil de fazer e que leva cerca de 2 hora a percorrer e fica situado na aldeia atrás referida que faz parte das "Aldeias de Portugal".
 

 

 

Albergaria-a-Velha | Rota dos 3 Rios – parte um
 
O PR2 de Albergaria-a-Velha denominado Rota dos três rios, tem inicio e fim no Centro de Atividades Radicais e Ambientais de Vilarinho de S. Roque. Como o próprio nome indica este trilho passar por três rios e por vezes o caminho acompanha as margens ribeirinhas por bastantes quilómetros, o que não deixa de ser agradável pela sua frescura, verde e todo o tipo de fauna e flora que se podem encontrar sendo um regalo para os amantes da fotografia.
 

 

 

Albergaria-a-Velha | Rota dos 3 Rios – parte dois
 
Segunda parte do PR2 de Albergaria-a-Velha, aqui fica uma alternativa para quem quiser fazer este percurso em duas etapas. Na primeira começamos em Vilarinho de São Roque e terminamos em Ribeira de Fráguas. Na segunda deixamos o nosso transporte em Ribeira de Fráguas em frente à capela e fizemos os 4,1 quilómetros até Vilarinho de São Roque e voltamos ao ponto inicial de forma linear. No total caminhamos cerca de 9 quilómetros.
 

 

 

BioRia – Percurso de Salreu
 
A Ria de Aveiro possui uma riqueza incalculável em termos da preservação da biodiversidade, mas é necessário estarmos atentos e lutar pela sua conservação, sendo esse um dos objetivos do projeto BioRia do Município de Estarreja.
 

 

 

Avanca - Percurso do Rio Gonde

O percurso pedestre do Rio Gonde começa no interior da Casa Museu Egas Moniz em Avanca - Esterreja e deve o seu nome ao rio que o acompanha e desagua na Ria de Aveiro. O mesmo tem como principais atrativos a Casa Museu e os seus jardins, o Rio Gonde e a Ribeira do Mourão.

 

 

Dia Nacional dos Moinhos na Mealhada
 
O Dia dos Moinhos comemorou-se no dia 07 de abril, tendo a autarquia da Mealhada como é habitual feito um programa muito rico e variado para o último fim-de-semana. No domingo dia 8, fomos acompanhar a caminhada que organizaram pela Rota dos Moinhos (PR1).
 

 

 

Cegonhas na Murtosa
 
Percursos da BioRia entre a Ponte Varela e Cais do Bico na Murtosa e Ribeira das Teixugueiras em Pardilhó.
 

 

 

Pedalando por Murtosa e Pardilhó
 
Um destes dias fomos pedalar para Pardilhó e Murtosa e deixamos que o vento insuflasse as nossas velas e nos indicasse a navegação. Estas localidades são especiais porque sofrem a influência e absorvem a cultura da ria, muitos dos seus habitantes ainda são agricultores, pescadores e criam animais. Por todo o lado se encontram, vacas, cavalos, ovelhas ou burros a pastar.
 

 

 

Sever do Vouga | Parque da Cabreia
 
O "ONDAS DA SERRA" – órgão de comunicação social que promove as belezas da região de Aveiro – mergulhou nesta primavera na frescura do Parque da Cabreia, lugar idílico situado na freguesia de Silva Escura, concelho de Sever do Vouga.
 

 

 

Sever do Vouga | Explorando antigas minas e quedas de água
 
Ondas da Serra fez uma incursão em terras de Sever do Vouga no passado dia 04 de maio, “desde manhãzinha até a noite findar”. O dia apresentou-se soalheiro, mas envergonhado, por vezes ficava triste sem motivo, mas isso não nos impediu de calcorreamos os caminhos e as margens dos rios do PR2 – “Cabreia e Minas do Braçal”.
 

 

 

Pedalando por Válega e Madail

Numa das nossas viagens resolvemos passear de bicicleta por três concelhos, Ovar, Oliveira de Azeméis e Estarreja. Diz a sabedoria popular que por vezes as pessoas não valorizam as riquezas das suas terras. Isto remete para a questão que tantas vezes abordamos, “olhar e não Ver, escutar sem Ouvir”. Vamos ver como uma simples viagem trivial pode transformar-se em algo especial.

 

 

Demanda pela Ilha dos Amores

A nossa epopeia marítima glorificada pelo nosso poeta mor Luís de Camões, descreve-nos um lugar edílico na “Ilha dos Amores”, Cantos IX e X d'Os Lusíadas. Nestes cantos é revelado a disposição da deusa Vénus em premiar os marítimos portugueses, com um merecido descanso e com prazeres divinos, numa ilha paradisíaca, no meio do oceano, a Ilha dos Amores. Os ventos estavam favoráveis e levou-nos ao encontro desta Ilha em Castelo de Paiva. Localizada em frente ao porto do Castelo, com vista para a Ilha dos Amores, parte um percurso pedestre com o mesmo nome. A sua localizada privilegiada no Rio Douro e junto à foz do Rio Paiva tem uma beleza e encanto especial.

 

 

Pedalando por Pedorido e Castelo de Paiva

No dia 4 de maio, fomos pedalar entre Pedorido e Castelo de Paiva pela antiga estrada nacional 222. Agora construíram uma nova via onde é proibido circular bicicletas, mas nós preferimos assim, porque desta forma passamos nas aldeias, falamos com as pessoas e não há tanto transito.

 

 

De bicicleta por rios, aldeias e florestas de Castelo de Paiva e Alvarenga

No dia 14 deixamos o carro perto do novo monumento ao vinho verde em Castelo de Paiva e começamos o percurso de bicicleta pela estrada nacional 225, em direção a Alvarenga. Há muito tempo que procurávamos e encontramos finalmente uma zona sem manchas florestais queimadas. Este trajeto é muito calmo, tranquilo e dotado duma serena natureza. Por estas terras existe um equilíbrio entre a natureza e humanização da paisagem. Não foi fácil esta demanda e releva o que se tem passado nos últimos anos em Portugal.

 

Leia também: Eventos Ondas da Serra

Lida 1308 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social com distribuição da informação pela Internet, que visa promover a identidade regional e o turismo através da promoção da cultura, património, monumentos, museus, desporto, economia, gastronomia, ecologia e coletividades dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca e dos restantes municípios desta região.

Itens relacionados

Cais do Bico na Murtosa

O Cais do Bico fica localizado no Lugar do Bico, no concelho da Murtosa. Este pedaço de terra junto à Ria de Aveiro é dotado de uma grande beleza natural, calma e tranquilidade. O espaço que se abre para as águas oferece um amplo parque de merendas relvado, com algum arvoredo, e mesas onde poderá fazer piqueniques com a família ou amigos. No dia da nossa visita alguns grupos de amigos defrontavam-se no jogo da malha. No verão, os domingos por estes lados são muito animados e as mesas muito disputadas.

É tão bonito! Onde fica?

O chão de madeira serpenteia entre a maior zona lagunar do Norte de Portugal com o brilho que só a natureza pode proporcionar. Os passadiços da Barrinha de Esmoriz, no concelho de Ovar, são o passeio idílico para amantes de praia, natureza e emoções. É bonito por tudo o que oferece a quem o visita. Simples e poderoso.

Rio Inha em Canedo

A margem esquerda do Rio Inha em Canedo foi requalificada, dotando agora aquela parte do rio com uma bonita frente ribeirinha com cerca de três quilómetros. Quem circular pela Estrada Nacional 222 entre Canedo e Castelo de Paiva, antes da Ponte do Inha, vira à direita e desce para a Rua da Ribeirinha, onde começa o percurso, que termina no Rio Douro.

Faça Login para postar comentários
Pub