Albufeira de Odivelas | Paraíso selvagem alentejano oculto Albufeira de Odivelas e Alvito Ondas da Serra

Albufeira de Odivelas | Paraíso selvagem alentejano oculto

Classifique este item
(2 votos)

A Reserva Ecológica Nacional dos concelhos de Alvito e Ferreira do Alentejo, teve como principais objetivos proteger a sua rica fauna e flora. No seu interior foi construída a barragem de Odivelas, na bacia hidrográfica do rio Sado, criando uma extensa e bonita albufeira. Neste artigo vai fica deslumbrado com a riqueza deste paraíso e com vontade de conhecer este local especial no baixo Alentejo. Nesta região poderá fazer caminhadas pelos montes e montados Alentejanos, praticar desportos aquáticos, explorar a sua fauna, flora, gastronomia, vinhos, conhecer a sua rica história e visitar os seus monumentos.

Reserva Ecológica Nacional dos concelhos de Alvito e de Ferreira do Alentejo1

Reserva Ecológica Nacional dos concelhos de Alvito e de Ferreira do Alentejo

A criação desta reserva foi importante para salvaguardar as espécies animais e riqueza paisagística e permitiu na nossa opinião uma integração saudável da área natural com a exploração humana da agricultura.

“A Reserva Ecológica Nacional (REN) é uma estrutura biofísica que integra áreas com valor e sensibilidade ecológicos ou expostas e com suscetibilidade a riscos naturais. É uma restrição de utilidade pública que condiciona a ocupação, o uso e a transformação do solo a usos e ações compatíveis com os seus objetivos.”

Aldeia de Odivelas – Ferreira do Alentejo

Aldeia de Odivelas – Ferreira do Alentejo

A barragem e albufeira de Odivelas deve o seu nome à aldeia que fica nas suas terras e que merece ser visitada. Este é um pequeno povoado, erigido numa colina com uma vista soberba para os campos em redor. Se a visitar pode tomar uma bebida e trocar dois dedos de conversa com os seus habitantes no café Abelha ou comprar pão na padaria Tobias.

Barragem de Odivelas2

Barragem de Odivelas

“A barragem de Odivelas, fica situada no interior da Reserva Ecológica Nacional dos concelhos de Alvito e de Ferreira do Alentejo, na bacia hidrográfica do rio Sado, na ribeira de Odivelas, ocupa uma área de cerca de 973 ha, tendo sido construída em 1972, com a finalidade primária de regadio, constituindo hoje uma importante infraestrutura hidroagrícola que se encontra integrada na segunda fase de execução do plano de rega do Alentejo e que faz parte do empreendimento de fins múltiplos do Alqueva.”

Albufeira de Odivelas e do Alvito

Albufeira de Odivelas e do Alvito

Esta barragem criou uma bonita albufeira, sendo as suas águas usadas para o irrigar os campos agrícolas em redor, transportadas por quilómetros de canais, que levaram o desenvolvimento para muito longe das suas margens. Aqui com facilidade se encontram praias fluviais para amenizarem o calor sufocante Alentejano.

Os animais da reserva ecológica do Alvito e Ferreira do Alentejo

Os animais da reserva ecológica do Alvito e Ferreira do Alentejo

A riqueza desta reserva fica bem demonstrada na sua rica fauna e flora, onde coabitam melgas, mosquitos, carraças, vespas, centopeias, formigas, escorpiões, javalis, raposas, doninhas, furões, bufos reais, coelhos, cobras, lagartinhas, lagartas dos pinheiros e 100 espécies de aves.

Aqui podemos destacar os coelhos e as lebres, que vivem às centenas, em luras abertas no meio de vegetação terrestres, ou nas sombras das árvores e que não se assustam com a presença humana, só fugindo em última instância com alguma relutância. Pela manhã ao romper do dia e ao final da tarde, estes animais saem das tocas para se alimentarem. Esta sua atividade alerta os predadores, por isso é comum serem sobrevoados por bufos reais e outras águias para tentarem caçar um mais incauto.

A proibição da utilização de embarcações com motor auxiliar na Albufeira de Odivelas

Em virtude destas águas serem usadas para alimentação humana, regadio e ser uma reserva ecológica, não é permitido em toda a sua extensão, a navegação barcos a motor e motos de água, para não poluir e proteger a vida selvagem.  Por esta razão também não se pode ouvir música com o volume muito alto, para desgosto de alguns jovens e pessoas já maduras.

Não há restrições para o uso de caíques, barcos à vela, gaivotas e todos os divertimentos aquáticos que não usem motor auxiliar e existem muitos locais recônditos na albufeira para explorar.

O que fazer se visitar a Albufeira de Odivelas e Alvito

A localização do parque de campismo permite chegar com facilidade a baías para nadar, praticar desportos náuticos sem motor, fazer com facilidade observação de pássaros, nas margens é comum serem vistas garças alimentarem-se e nos céus grandes águias a patrulhar.

O Alentejo tem pouca poluição visual e atmosférica sendo por isso um local indicado para fazer observações astronómicas. Aqui com facilidade apenas munido de binóculos pode identificar as luas de Júpiter e repetir as primeiras observações de Galileu em 1610 e publicadas no seu tratado cientifico Sidereus Nuncius (O Mensageiro das Estrelas).

Caminhadas e percursos pedestres na Albufeira de Odivelas e Alvito para descobrir a sua fauna e flora

Albufeira de Odivelas e Alvito - Fauna e Flora

Há volta da albufeira há vários caminhos em terra batida por onde pode caminhar ou fazer BTT, descobrindo os seus recantos, segredos, fauna e flora. Pode também fazer algumas caminhadas devidamente homologadas pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal.

Queremos chamar atenção dos nossos leitores que no Alentejo para fazer caminhadas deve começar quando o sol nascer, porque a partir das 11h00 o calor torna-se insuportável.

Quinta de animais do parque de campismo

Tratadora da quinta de animais do parque de campismo

Uma das nossas caminhadas levou-nos até à quinta dos animais do parque de campismo, onde pusemos em sobressalto, cães, galinhas, cavalos, burros e ovelhas. Percebemos depois a razão do seu desassossego, estavam à espera do habitual desjejum matinal, que chegou com a sua tratadora Maria José Morgado, que vive em Odivelas.

Estivemos a conversa com esta simpática Alentejana que já aqui trabalha há 15 anos. Contou-nos que estava a dar um miminho aos animais, porque as ovelhas têm muito feno para comer no campo. Quando entra no recinto tem que ter cuidado porque se levar um saco de comida os carneiros dão-lhe marradas.

O nascer do sol na Albufeira de Odivelas e Alvito

O nascer do sol na Albufeira de Odivelas e Alvito

Se visitar este local contemple um nascer de sol, agradeça à nossa estrela por todos os dias nos dar a vida sem pedir nada em troca. O astrofísico Carl Sagan dizia que somos pó das estrelas, porque os constituintes básicos dos nossos corpos foram sintetizados nas fornalhas estrelares.

Este esplendoroso espetáculo já se repete há milhares de anos, irá continuar depois de nós partirmos e nunca deixará de tocar as almas mais sensíveis que respeitam o Universo e a nossa querida Terra.

Percurso Pedestre PR2 – Rota da Água – Ferreira do Alentejo

Percurso Pedestre PR2 – Rota da Água – Ferreira do Alentejo

Reservamos uma manhã para fazermos a caminhada PR2 – Rota da Água, que passa junto à Barragem de Odivelas e retorna pela aldeia de Odivelas. Este percurso é interessante pelo facto de por vezes acompanhar os canais de rega que saem da barragem e irrompem pelos campos cobertos de oliveiras, amendoeiras, laranjeiras ou montado de Sobro e Azinho.

Tipologia do Percurso

Este percurso tem uma tipologia circular, com a distância 13,3 Km, sendo feito facilmente em três a quatro horas, por caminhos rurais, que não oferecem grande dificuldade. O começo/fim situa-se no Largo da Praça, Odivelas, mas nos optamos por começar junto ao parque de campismo de Odivelas onde o mesmo passa.

Descrição e Motivos de Interesse3

“Estas são as grandes planícies que, em tempos, brilhavam ao sol com o dourado manto dos cereais, salpicado por olivais centenários e azinheiras dispersas. Atualmente as paisagens vão ficando mais verdes com os sucessivos avanços do regadio e aparecem olivais em copa e em sebe, laranjais e amendoais. No topo da colina, a Aldeia de Odivelas é vigilante sobre todos estes campos e sobre a ribeira a que dá o nome e que sempre foi o motivo de fixação dos povoadores deste território.”

História da Aldeia de Odivelas – Ferreira do Alentejo3

“A história da Aldeia de Odivelas – Ferreira do Alentejo, remonta seguramente ao período romano, tendo sido ponto de passagem da estrada imperial logo no século II, ligando Beja a Alcácer do Sal. Com cerca de 500 habitantes, tem a particularidade de se situar num outeiro que se destaca no relevo circundante, criando um miradouro natural sobre a vasta planície, vigiando a Ribeira de Odivelas.”

Montado de Sobro e Azinho – Ferreira do Alentejo3

Montado de Sobro e Azinho – Ferreira do Alentejo

“Ecossistema criado pelo homem característico do Alentejo. São florestas de sobreiros e azinheiras com um equilíbrio muito delicado. Os sobreiros são árvores de porte robusto, com uma casca de enorme importância comercial, chamada cortiça. As azinheiras produzem bolota de excelente sabor, importante alimento para o gado, lenha e produção de carvão.”

Igreja de Santo Estevão - Odivelas - Ferreira do Alentejo3

Igreja de Santo Estevão - Odivelas - Ferreira do Alentejo

“Situada no ponto mais alto da aldeia, é um dos mais antigos edifícios, remontando a sua construção ao século XVII. Do período da construção será a planta original do templo e o varandim protegido nos ângulos por pequenas torres cilíndricas e coruchéus, de características populares, típicos da transição Manuelino – renascença. Após os danos do terramoto de 1755 são os painéis de azulejos e os altares em talha dourada.”

Cestas de Esteira de Odivelas – Ferreira do Alentejo3

“A Ribeira de Odivelas e as amplas zonas alagadas ao seu redor dão origem ao aparecimento abundante do junco que, de forma artesanal e com uma sabedoria ancestral é colhido, seco, tingido e enlaçado de forma artística, criando as muito originais Cestas de Esteira de Odivelas. Para uso do dia a dia, mas compras, nas merendas e no transporte de bens, são hoje património cultural e artesanal com enorme valor a nível nacional. “

Campos Agrícolas – Ferreira do Alentejo3

Campos Agrícolas – Ferreira do Alentejo

“As planícies de solos férteis associados à capacidade de rega, ora pela Albufeira de Odivelas, ora pela distribuição da Albufeira do Alqueva, são hoje longos campos de produção agrícola de onde se destacam centenas de hectares de laranjais, amendoais e olivais. Estão ainda presentes vastos campos de cereal de produção de forragem para alimento de gado e para pastagem extensiva.”

Barragem de Odivelas3

Barragem de Odivelas

“Espelho de água de beleza sem fim, estende-se ao longo da Ribeira de Odivelas, numa albufeira que serve de reserva de água essencial à rega dos campos agrícolas circundantes e espaço de lazer para atividades náuticas. começou a distribuir água em 1972 e apresenta um paredão de 500 metros de coroa e 55 metros de altura, com capacidade de 96 milhões de metros cúbicos “

Ribeira de Odivelas - Ferreira do Alentejo3

Ribeira de Odivelas - Ferreira do Alentejo

“A Ribeira de Odivelas nasce na Serra do Mendro e desagua no Rio Sado, após 70 Km de percurso. Atualmente tem caudal condicionado pelas Barragens de Odivelas e de Albergaria dos Fusos, importantes recursos de água para o regadio agrícola. Os troços da ribeira fora das albufeiras são importantes galerias ripícolas e habitat de grande diversidade de espécies de vegetais e animais.”

Esta Ribeira infelizmente foi invadida por Nenúfares e Jacintos e a corrente tem pouco caudal, apresentado um aspeto pouco saudável.

A viagem da cigarra

Albufeira de Odivelas - Alvito - Cigarra

Fizemos uma caminhada pela floresta junto às margens da albufeira, apreciando a sua rica fauna e flora e descobrindo sempre novas telas da albufeira. A dada altura tivemos o privilégio duma cigarra ter pousado e viajado no nosso chapéu de palha até ao momento que ficou farta de tantas fotos e vídeos e esvoaçou para longe protestando pelo desassossego.

Leia também: O que fazer no Alentejo num roteiro de férias para 12 dias

Vídeo da Albufeira de Odivelas e Alvito

1-Fonte: ccdr-lvt.pt – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo
2-Fonte: Resolução do Conselho de Ministros n.º 184/2007, aprovou o Plano de Ordenamento da Albufeira de Odivelas e altera a delimitação da Reserva Ecológica Nacional dos concelhos de Alvito e de Ferreira do Alentejo.
3-Fonte:  Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo

Lida 127 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

O que fazer no Alentejo num roteiro de férias para 12 dias

O Ondas da Serra há muito que planeava fazer uma reportagem no Alentejo, para sentir o seu abraço caloroso, calcorrear os montados e abarcar as planícies cobertas por tons cálidos de bonança. Por esta razão decidimos passar as nossas férias em duas regiões distintas do Alto e Baixo Alentejo. Esperamos que a nossa demanda vos possa inspirar a conhecer o belo Alentejo e cumprir o slogan desta região turística, “Tempo para ser feliz”. Convidamos os nossos leitores acompanhar-nos de forma descontraída, por estes 12 dias de viajem e experenciar os nossos sentimentos e paixão renovada por esta região.