Pág. 1 de 4

O Criador quando chegou a Pardilhó, deveria estar de bom humor, por ter feito tão bonita obra. As terras são baixas e de altitude quase constante, conhecidas por Marinhoas. Estes lugares perto do mar e da ria, formados por terrenos arenosos e aluvião, conferiram uma acentuada identidade regional a Pardilhó, Bunheiro, Murtosa, Monte, Veiros, Torreira e pedaços de Estarreja e Ovar.

Ondas da Serra foi em busca dos tesouros de Trebilhadouro, não encontramos ouro, incenso ou mirra, mas um rico percurso pedestre, o PR4, integrado na Rota da Água e da Pedra de Vale de Cambra.

Debaixo duma forte borrasca, com a chuva e o vento a fustigar-nos fomos ao encontro dos novos passadiços de Aveiro. A autarquia aproveitando as potencialidades da Ria, construiu um via pedonal e ciclável, que coloca o visitante em contacto direito com a laguna, a fauna e flora duma forma harmoniosa.

Falcão deu a última ordem de partida para a Ilha dos Amores faltavam 5 minutos para as 14 horas. Num instante, a balbúrdia do cais cedeu ao silêncio. A equipa do Ondas da Serra foi a última a zarpar rumo ao ponto alto da caminhada ‘Em busca do amor’. À nossa espera estava o almoço partilhada entre as 21 pessoas que se aventuraram por Castelo de Paiva este Domingo, 22 de Julho.

Realizou-se no passado domingo, dia 22 de julho, mais um evento do Ondas da Serra. Sob o mote “Em busca do amor”, Castelo de Paiva acolheu esta nova iniciativa da nossa comunidade. Duas dezenas de pessoas, oriundas de Ovar, Espinho, Vila Nova de Gaia, Porto e Beja foram à aventura para a Ilha dos Amores. Este evento também foi especial porque a equipa do Ondas da Serra esteve toda presente.

O chão de madeira serpenteia entre a maior zona lagunar do Norte de Portugal com o brilho que só a natureza pode proporcionar. Os passadiços da Barrinha de Esmoriz, no concelho de Ovar, são o passeio idílico para amantes de praia, natureza e emoções. É bonito por tudo o que oferece a quem o visita. Simples e poderoso.

Pág. 1 de 4
Pub