As cegonhas-brancas no Cais do Bico na Murtosa

Classifique este item
(0 votos)

O dia 16 de junho acordou quente com o astro rei a brilhar no céu com todo o seu esplendor. Para aproveitar este magnifico tempo e a frescura das margens da ria de Aveiro, fomos de bicicleta observar a Natureza nos percursos da BioRia entre a Ponte Varela e Cais do Bico na Murtosa e Ribeira das Teixugueiras em Pardilhó.

As cegonhas-brancas no Cais do Bico na Murtosa

A nossa missão principal foi observar as familiares cegonhas-brancas que no céu perscrutavam o terreno à procura de alimento voando duma forma graciosa aproveitando as correntes ascendentes. As suas crias aguardavam impacientes no ninho o regresso dos adultos, quando chegavam era um regalo vê-las enfiarem-lhes a comida pela goela abaixo. Estas aves para comunicarem batem os bicos de diferentes formas ecoando pela ria o seu matraquear incessante. 

Há muito tempo que estas aves deixaram de trazer crianças ao mundo, agora com mais vagar é belo vê-las às centenas nos postes que os homens lhes propiciaram para nidificar ou nas torres de iluminação como no Estádio Municipal da Murtosa. Por mais que o homem queira que esta ave nidifique nos lugares pré-determinados há sempre as sabidolas que lhes trocam as voltas.

Seis postes de nidificação da cegonha onde nascem às centenas

A nascente do Cais do Bico em seis postes contamos entre adultos e pequenada mais de cem. Este é um caso de sucesso da preservação da vida animal e prova como é possível uma coexistência pacifica entre o reino animal e os humanos. Se pretender ver estes animais respeite-os e não seja intrusivo. 

Mas enquanto nos céus decorriam estas vidas na ria os pescadores com as suas bateiras lançavam redes às águas e rezavam para virem cheias. Ambos, Pescador e Cegonha estavam unidos na nobre missão de alimentar a prol. O homem tem arrogância de se achar dono e senhor absoluto deste planeta Terra, contudo basta olhar a mãe Natureza para vislumbramos o quanto isso pode ser enganador.

No regresso Ovar, por Pardilhó, passamos ainda pela Ribeira das Teixugueiras onde existe uma boa torre para observação de aves na ria. Já na parte final do percurso, mais concretamente na Rua Dr. José Eduardo Sousa Lamy - Pardilhó, podemos observar que a ciclovia se encontra cheia de detritos e com ramagens de árvores que ladeiam a berma a obstruir a passagem, fica aqui a chamada de atenção para a junta de freguesia local resolver este problema.

Vídeo "Cegonha na Murtosa"

Galeria de fotos das cegonhas no Cais do Bico na Murtosa

 

Lida 1292 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Aprenda como era o ensino no Museu Escolar Oliveira Lopes

A história dos irmãos Oliveira Lopes de Válega que construíram uma escola

Esta é a história de dois irmãos do Cadaval – Válega que no começo do século XX, resolveram combater a expensas próprias o analfabetismo e mandaram erigir uma escola na sua terra que marcou tantos homens e mulheres e que comprova a importância do saber para elevar o ser humano. Naquele tempo não havia ensino obrigatório e universal, existiam poucas escolas, mestres e os alunos andavam desnutridos, mal vestidos e calçados.

Na sessão camarária de 29 de Janeiro de 1908 foi presente um ofício do subinspector escolar José de Castro Sequeira Vidal comunicando que José de Oliveira Lopes e seu irmão Manuel José de Oliveira Lopes, do lugar do Cadaval, da freguesia de Válega, ofereciam-se para custear todas as despesas com a construção dum edifício para as escolas oficiais e habitação dos respetivos professores dessa freguesia, pelo que pedia a cedência gratuita do terreno necessário para aquele construção que, concluída, seria oferecida ao Estado pelos citados beneméritos.” Lamy, A. (1977). Monografia de Ovar - volume 2 (1st ed., p. 376). Ovar [Portugal].

Pessoas e projetos empreendedores de Aveiro e Portugal

Há pessoas que nasceram com uma ambição, força e coragem que lhes permitem criar e desenvolver ideias que se traduzem muitas vezes em negócios de sucesso. Esta caraterística de empreendedorismo não é exclusiva de nenhum género, raça ou instrução, é uma maneira de ser. Ondas da Serra selecionou alguns exemplos de negócios que podem ser apontados como exemplo e dar força a quem pensa criar um negócio, ou já começou e enfrenta problemas e desafios que só podem ser vencidos com perseverança e resiliência. “O sucesso não é definitivo, a falha não é fatal. O que importa é a coragem de continuar.” Winston Churchill. As pessoas destes projetos associaram-se ao Ondas da Serra para juntos demonstrarmos que é possível ter uma atitude positiva na vida, não se darem à maledicência e contribuirem para a saúde da sociedade.   

As mais bonitas praias fluviais de Portugal

O Ondas da Serra tem feito um trabalho para dar a conhecer aos nossos leitores as mais bonitas praias fluviais de Portugal. A maioria das que visitamos são no nosso distrito de Aveiro, mas fomos conhecer outras espalhadas pelo país que nos oferecem momentos inesquecíveis de paz, beleza e tranquilidade. Neste artigo fizemos uma seleção destas locais que fazem parte da nossa história e onde nos divertimos e agradecemos à mãe natureza pela sua criação e aos homens por as estimar.