Serra da Freita: Conheça o trilho que revela seus segredos Serra da Freite - Aldeia da Castanheira - Local das conhecidas "Pedras Parideiras"
domingo, 24 maio 2020 10:28

Serra da Freita: Conheça o trilho que revela seus segredos

Classifique este item
(1 Vote)

Ondas da Serra regressou Arouca para conhecer melhor a Serra da Freita, pelos caminhos do trilho “Viagem à Pré-História”. A Primavera é uma das épocas do ano mais aconselhadas para fazer este percurso, porque a mãe natureza acorda para florir as suas encostas despidas destes montes com urze, carqueja e giestas, pintando-as de tonalidades amarelas e lilás, que enchem o ar com doces odores perfumados.

A beleza da Serra da Freita na Primavera

Serra da Freita - Arouca - Bois da raça arouquesa à luta

 

Como já sabíamos a extensão do trilho fomos cedo para não sermos surpreendidos pela noite na serra. Ainda o sol timidamente brilhava no horizonte quando já saíamos da aldeia do Marujal com o marco geodésico de São Pedro Velho à vista. Por uma ponte demos os bons dias ao pequeno Caima, que se irá juntar mais tarde ao Vouga para navegarem juntos até à Ria de Aveiro e se perderem na vastidão do Oceano Atlântico.

A nossa máquina fotográfica foi incapaz de captar toda a beleza apresentada, com a sua perfusão de cores e tempo difuso encoberto com algumas abertas que deixavam entrever a luz azul do céu. Nós bem tentámos congelar estes momentos de rara beleza para a eternidade, mas há poemas que nem os poetas os sabem declamar.

Aldeia de Albergaria da Serra

A primeira aldeia que visitamos foi Albergaria da Serra, por estas bandas o gado da raça Arouquesa sabe sair e regressar ao curral sozinho. Este gado deambula pelos montes em redor em liberdade para se alimentar.

Estávamos nós a fazer um vídeo, quando surgem alguns exemplares com a sua imponência e que passaram imperturbáveis pelo apertado caminho. Não fossemos nós conhecedores da sua mansidão e teríamos apanhado um grande susto, como aconteceu há muitos anos. Não fossem estes bois saberem a sua força e os homens não lidariam com eles da forma bruta como por vezes o fazem. Enquanto não fazem isso vão lutando entre si, conforme podemos observar numa rápida contenda entre três machos e que por via das dúvidas saímos dali de mansinho rapidamente.

Área de Recreio e Lazer de Albergaria da Serra*

Chegou à única área de recreio e lazer do planalto da Freita. Na margem do rio Caima, onde as águas ainda preparam a descida vertiginosa da Frecha da Mizarela, estende-se um pequeno parque, que acolhe os que aqui procuram o marulhar das águas. O contraste entre a paisagem rochosa e a zona de rio ganha, aqui, um contorno especial, e torna mais saboroso o mergulho no Caima, em dias de calor.

Leia também:Arouca | Praia Fluvial de Albergaria da Serra

*Fonte. Arouca Geopark

Pedras Boroas da aldeia do Junqueiro

A caminho do Junqueiro fomos ver o geossítio das “Pedras Boroas”, assim chamadas pelos sulcos que a grande amplitude térmica provoca e que fazem lembrar ao povo a côdea das "boroas de milho".

Leia também:Pedras Boroas estranho fenómeno geológico, Junqueiro-Arouca

Pedras Parideiras da aldeia da Castanheira

Ao chegar à Castanheira, conhecida pelas pedras parideiras, não foi preciso as ver no seu Centro Interpretativo porque aquela parte do caminho estava atulhada de exemplos deste curioso fenómeno de geológico de "pedras que dão à luz outras pedras". Aqui aconselhamos as pessoas que ainda tenham energia para saíram um pouco do trilho, caminharem mais alguns metros pela estrada que ladeia esta aldeia para irem ver doutro ângulo a queda de água da Frecha da Mizarela.

Leia também:Pedras parideiras que dão à luz na aldeia da Castanheira

Vídeo sobre Albergaria da Serra

Dobras da aldeia da Castanheira

Para aquelas pessoas que não possam fazer o trilho avisamos que o Centro Interpretativo ainda se encontra fechado, mas pode fazer a visita à parte exterior. Se for de automóvel aproveite para ver as “Dobras da Castanheira”, onde existe um fragmento dum estrato rochoso com 350 milhões de anos, dobradas pelas forças das placas tectónicas.

Lembre-se de consultar o tempo antes de ir caminhar para as montanhas, nós já estávamos avisados que poderíamos ter alguns chuviscos e tivemos sorte porque isso aconteceu quando passávamos na aldeia de Cabaços.

Frecha da Mizarela

Acabamos esta visita a observar mais de perto da Frecha da Mizarela e ao longe a Ria de Aveiro. Ali perto existe o geossítio denominado “Marmitas Gigantes do Caima”, onde poderá observar no leito rochoso do rio a erosão que as águas e os sedimentos provocam.

Praias fluviais da Serra da Freita

Aqui também existe uma praia fluvial e se a visitar no verão, aproveite para descer esta encosta que dá acesso ao vale onde corre o Caima. Na vertente onde as águas caem vai encontrar pequenos lagos em patamares, onde os jovens locais se divertem e namoram. O acesso a este local faz-se da seguinte forma: No sentido Frecha da Mizarela - Praia Fluvial de Albergaria da Serra, encontra uma estrada que desce à sua direita, logo de seguida surge um pequeno trilho à esquerda que deve seguir. Leve calçado apropriado e vá preparado para caminhar um pouco até encontrar o rio no fundo do vale.

Já o sol se preparava para dormir quando terminamos o trilho felizes e extenuados, não pelas dificuldades do terreno, mas sobretudo pela sua extensão.

Download do panfleto: Viagem à "Pré-história"

Galeria de fotos do Percurso Pedestre da Pré-História - Serra da Freita - Arouca

Vídeos do Percurso Pedestre da Pré-História - Serra da Freita - Arouca

Subscreva o nosso canal no youtube

Vídeo da Serra da Freita - São Pedro Velho

 Vídeo da Serra da Freita - Junqueiro - Albergaria da Serra

 Vídeo da Serra da Freita - Pedras Boroas do Junqueiro

 Vídeo da Serra da Freita - Pedras Parideiras da Aldeia da Castanheira

 Vídeo da Serra da Freita - Frecha da Mizarela

 Vídeo da Serra da Freita - Albergaria da Serra

 

Lida 1238 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Aprenda como se ensinava no Museu Escolar Oliveira Lopes

A história dos irmãos Oliveira Lopes de Válega que construíram uma escola

Esta é a história de dois irmãos do Cadaval – Válega que no começo do século XX, resolveram combater a expensas próprias o analfabetismo e mandaram erigir uma escola na sua terra que marcou tantos homens e mulheres e que comprova a importância do saber para elevar o ser humano. Naquele tempo não havia ensino obrigatório e universal, existiam poucas escolas, mestres e os alunos andavam desnutridos, mal vestidos e calçados.

Na sessão camarária de 29 de Janeiro de 1908 foi presente um ofício do subinspector escolar José de Castro Sequeira Vidal comunicando que José de Oliveira Lopes e seu irmão Manuel José de Oliveira Lopes, do lugar do Cadaval, da freguesia de Válega, ofereciam-se para custear todas as despesas com a construção dum edifício para as escolas oficiais e habitação dos respetivos professores dessa freguesia, pelo que pedia a cedência gratuita do terreno necessário para aquele construção que, concluída, seria oferecida ao Estado pelos citados beneméritos.” Lamy, A. (1977). Monografia de Ovar - volume 2 (1st ed., p. 376). Ovar [Portugal].

Conheça a bonita e maior praia fluvial do Areinho em Arouca

A bonita e aprazível praia fluvial do Areinho é banhada pelo Rio Paiva, ficando localizada na União de Freguesias de Canelas e Espiunca – Arouca, sendo a maior deste concelho que pertence ao distrito de Aveiro. Não se vai arrepender de se banhar nas suas temperadas águas e confie em nós que irá passar um dia magnifico neste aprazível local, que ficou um pouco movimentado por causa dos passadiços do Paiva, mas que não lhe retiraram o encanto.

Vereda do pastor percurso pedestre oculto da Serra da Freita

Pelo percurso pedestre do PR3 – Vereda do Pastor - Arões - Vale de Cambra, o Ondas da Serra foi conhecer as aldeias mais icónicas da encosta sul da Serra da Freita, Covô, Agualva e Lomba. Nesta caminhada ainda passamos por duas povoações já abandonadas de Porqueiras e Berlengas. Este trilho é muito rico em termos arquitetónicos, naturais, fauna e flora, onde podemos apreciar um núcleo composto por 15 canastros ou espigueiros, duas bonitas cascatas, luxuriantes ribeiros e belíssimas paisagens de montanha. Do alto das suas serranias pode-se observar a linha costeira que é coberta ao raiar da aurora e crepúsculo por uma envolvente neblina que é suplantada pela altitude, escondendo as riquezas dos horizontes e fundos dos vales.