Ecopista do Rio Minho: Prémio 3ª Melhor Via Verde da Europa Ecopista do Rio Minho, Passeio Fluvial de Salvaterra, Passadiços de Monção, Porta de Salvaterra, uma das três portas de entrada nas Fortificações da Praça de Monção Ondas da Serra

Ecopista do Rio Minho: Prémio 3ª Melhor Via Verde da Europa

Classifique este item
(8 votos)

A Ecopista do Rio Minho foi considerada em 2017, a 3ª Melhor Via Verde da Europa, sendo por isso muito procurada pelos amantes das caminhadas, ciclismo e BTT. O trajeto com cerca de 30 km, começa em Vila Nova da Cerveira, passa por Valença e termina em Monção. Nós exploramos dez ciclovias, ecovias e ecopistas nesta região, que começam em Vila Praia de Âncora, junto do Oceano Atlântico e depois acompanham o Rio Minho, para montante. Estes percursos são marcados pela luxuriante galeria ripícola, beleza natural e arquitetónica, numa barreira natural que divide os dois países ibéricos. A história está presente em cada olhar, pontilhada por altivas praças-fortes e velhos castelos, que defenderam a Lusitânia Pátria de assaltos sarracenos, normandos e guerras da restauração. Neste artigo vamos descrever cada trilho e no final disponibilizar os ficheiros de tracking GPS.

Ecopista do Rio Minho - 3ª Melhor Via Verde da Europa

Ecopista do Rio Minho - Vila Nova da Cerveira - Monção

A Ecopista do Rio Minho, depois de já ter alcançado em 2009, o título de quarta melhor Via Verde da Europa, subiu na distinção, ganhando a terceira posição, na cerimónia de entrega de prémios, dos VIII European Greenways Awards, realizada em Limerick - República da Irlanda, no dia 28 de setembro 2017. Estes prémios são promovidos pela Associação Europeia de Vias Verdes e pela União Europeia, sendo realizados de forma bienal, com o objetivo de promover as melhores práticas e servir como exemplo para projetos semelhantes.

Esta ecopista foi considerada uma via de excelência, tendo a candidatura sido liderada pela Câmara Municipal de Valença, onde foram incluídos outros troços das vias verdes deste concelho, de Monção, Vila Nova da Cerveira e Caminha, permitindo de forma conjunta valorizar um corredor verde entre Monção e Caminha, acompanhando o Rio Minho durante grande parte do seu percurso.

A ecopista está direcionada para passeios de bicicleta, pedonais, patins em linha e skate. O seu traçado veio aumentar a oferta de lazer e turística da região, com um produto de natureza que oferece alguns dos traços mais cativantes do Vale do Rio Minho.

Os seus diversos percursos, por caminhos betuminosos e terra batida, são caracterizados por grande riqueza natural e arquitetónica, tendo por companhia rios, ribeiras, montanhas, vinhedos, campos de cultivo, castelos e praças-fortes. Em todas as serpenteantes curvas sucedem-se os olhares soberbos para o Rio Minho, veigas, pesqueiras, praias fluviais e ínsuas, inseridas na Rede Natura 2000.

A ecopista possui um Centro de Interpretação situado na antiga Casa da Vigia em Valença, onde são exibidas a fauna, a flora e as memórias da antiga linha do caminho de ferro.

Ecopista do Rio Minho - Monção

Ecovia Caminho do Rio Minho - Lanhelas

A Ecopista do Rio Minho em Monção, foi inaugurada em 14 de novembro de 2004, ladeando o rio que lhe deu o nome, numa primeira fase até à Estação de Valença e antigo apeadeiro da Senhora da Cabeça, em Cortes.

Numa segunda fase foi feita a ligação ao apeadeiro da Lodeira e posteriormente, à ponte internacional Monção - Salvaterra e Centro Histórico de Monção. O troço inicial correspondia ao canal ferroviário original entre Valença e Monção, com uma extensão de cerca de 15 km.

Atualmente foram incluídos outros percursos não ferroviários, tendo o rio como denominador comum. O corredor verde em Valença, tem mais de 22 km, continuando ainda para os concelhos vizinhos de Vila Nova da Cerveira e Caminha. 

Exploração do Alto Minho pelo Ondas da Serra

Sílvio Dias do Onda da Serra na Ecovia Caminho do Rio Minho - Lanhelas

O Ondas da Serra tem vindo a explorar desde 2019 a região do Alto Minho, constituída pelos concelhos de Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção e Paredes de Coura. Quem conhece o nosso projeto sabe que somos amantes da natureza e da bicicleta, por esta razão procuramos conhecer ecovias, ecopistas e ciclovias, onde a conjugação destes fatores se fundem invariavelmente com a história e a cultura.

Neste artigo vamos conhecer dez ciclovias, ecovias e ecopistas, entre Vila Praia de Âncora e Monção, numa primeira fase junto do Oceano Atlântico e depois para montante acompanhando o Rio Minho. Os únicos segmentos que não têm de momento ciclovias é um pequeno troço, entre o final da Ecovia da Praia da Foz do Rio Minho, em direção a Caminha e desta cidade até chegar a Seixas, onde começa a Ecovia Caminho do Rio Minho. A ordem como percorremos estes percursos foi do litoral para o interior, seguindo junto do Oceano Atlântico, de jusante para montante, do Rio Minho, abaixo referidas:

Dez Ciclovias, Ecovias e Ecopistas do Atlântico e Rio Minho

Como chegar a Vila Praia de Âncora

O ponto de partida para estas aventuras foi Vila Praia de Âncora, para chegar a esta freguesia de Caminha, apanhamos um comboio bem cedo, em Ovar, na linha entre Aveiro e Porto Campanhã. Na cidade invicta mudamos para a linha do Minho, entre Porto e Valença e saímos no apeadeiro de Âncora-Praia. Contudo, tenha em atenção que há comboios diretos que partem da Figueira da Foz, muito confortáveis e com locais próprios para transportar a bicicleta. A maioria dos comboios que partem e chegam de Valença ao Porto são diretos, mas por vezes é necessário fazer o transbordo em Nine.

Em relação aos percursos este artigo poderá servir para você delinear a melhor forma de conhecer estas ecopistas e o que pretende visitar. Pode estar descansado que não se vai perder nos percursos, porque tem sempre o mar e o rio de um lado e a linha de comboio do outro para regressar. Neste especto é parecido aos nossos percursos na Ria de Aveiro, de um lado a ria e do outro a linha de comboio. Só tem que tomar atenção que entre Valença e Monção já não há via-férrea, tendo ela sido convertida na ecopista que vamos descrever.

Leia também: RIA DE AVEIRO: CONHEÇA BELO TRILHO ESCONDIDO PARA BTT

Caso você pretenda só fazer a Ecopista do Rio Minho propriamente dita, deve deixar o carro ou sair na estação de Vila Nova da Cerveira, passando pelas cidades de Valença e acabando o percurso em Monção. 

Nós começamos por fazer o percurso entre Vila Praia de Âncora e Seixas, em outra ocasião saímos novamente desta cidade e fomos até Vila Nova da Cerveira e por último saímos de comboio em Moledo, de modo a conhecer a ecopista de Cristelo e visitar o Miradouro da Fraga, que possui uma visão fabulosa sobre a foz do Rio Minho, Forte de Ínsua e frente Atlântica, com vislumbre das terras que já falamos.

Cidades e terras visitadas

Nestes percursos vamos visitar as seguintes localidades, Vila Praia de Âncora, Moledo, Caminha, Seixas, Lanhelas, Vila Nova da Cerveira, Valença, São Pedro da Torre, Lapela e Monção.

Caminhos para Santiago de Compostela

Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela - Vila Praia de Âncora

Nos percursos destas ecopistas vamos encontrar muitos peregrinos, que como nós por vezes seguem com fé para Santiago de Compostela, pelo Caminho da Costa Português e atravessam de barco a foz do Rio Minho, em direção A Guarda, ou continuam para Caminha, para atravessem a ponte em Valença, em direção a Tui. Já ao chegar a Monção, encontramos devotos pelo Caminho Minhoto Ribeiro.

Leia também: PARTINDO DO PORTO COM FÉ A CAMINHO DE SANTIAGO PELA COSTA | PELO CAMINHO CENTRAL PORTUGUÊS PARA SANTIAGO DE COMPOSTELA

Ciclovia da Foz do Rio Âncora - Vila Praia de Âncora1

Ciclovia da Foz do Rio Âncora

A Ciclovia da Foz do Rio Âncora, em Vila Praia de Âncora, faz parte da Ecovia do Atlântico, tendo sido a primeira que conhecemos, embora seja pequena em extensão é muito rica em conteúdo. No verão ao nascer do sol permite observar mágicas cambiantes de luz natural, nas águas envolventes da foz do Rio Âncora, com as do nosso mar, que se repetem por detrás do Forte da Lagarteira, ao pôr-do-sol. Junto ao viaduto sob a linha CP do Minho, uma obra de engenharia fez uma bonita e ondulante ponte pedonal, que lhe serve de cartaz turístico.  

"Esta ciclovia é constituída por dois segmentos distintos e unidos, um em frente à praia de Vila Praia de Âncora, proporcionando uma circulação contínua entre o Forte da Lagarteira e o Rio Âncora. O segundo insere-se no Parque Dr. Ramos Pereira, junto à foz do Rio Âncora, partilhando a circulação com os peões. É ideal para quem deseja um percurso perto da praia, junto de uma área urbana, com boas acessibilidades e disponibilidades de serviços."1 (Porto e Norte, 2016)

  • Localização: Vila Praia de Âncora; 
  • Início: Avenida Dr. Ramos Pereira, junto ao Portinho de Pesca; 
  • Fim: Avenida Dr. Ramos Pereira, ao viaduto sob a linha CP do Minho. 
  • Nota: O Ondas inverteu o início/fim do percurso; 
  • Extensão: 802 metros; 
  • Acessos: Rodoviário: EN13, ferroviário: CP Linha do Minho, com saída no apeadeiro de Âncora-praia; 
  • Coordenadas GPS: Início: N 41 48570308.52168 | Fim: N 41 48359908.513420;

  • Vegetação dunar;
  • Tarambola-cinzenta;
  • Pilrito-sanderlingo;
  • Borrelho-de-coleira-interrompida;
  • Garça-branca pequena;
  • Pato-real;
  • Mata Nacional da Gelfa, Sítio de Importância Comunitária do Litoral Norte, da rede Natura 2000;

  • Forte da Lagarteira;
  • Portinho de Pesca;
  • Praia de Vila Praia de Âncora;
  • Parque Dr. Ramos Pereira;
  • Estuário do Rio Âncora;

  • Robalo escalado do Mar da Ínsua;
  • Carro de sapateira;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo à moda do Portinho;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à Bordalesa;

 

  • Vila Praia em flor, 1 fim de semana de maio;
  • Festa do Mar e da Sardinha, 2 quinzena de julho;
  • Viagens à Terra Nova, último fim de semana de julho;
  • Festa de Nossa Senhora da Bonança, 2 fim de semana de setembro;

Galeria de fotos da Ciclovia da Foz do Rio Âncora

Ciclovia Caminho das Camboas - Vila Praia de Âncora1

A Ciclovia Caminho das Camboas, em Vila Praia de Âncora, faz parte da Ecovia do Atlântico, viajando junto ao mar, com a sua costa recortada por rochedos, que emergem como náufragos facínoras das águas, prontos ajudar os homens ou a despedaçarem-lhes os barcos, como escreveu Frei Bernardo de Brito, na sua História Trágico-marítima. Antes das festas maiores da Senhora da Bonança, a sua capela é ornamentada com flores, que lhes dão brilho, apesar de inexplicavelmente terem construído um mamarracho comercial junto à sua lateral. 

- Vila Praia de Âncora

"A ciclovia do Caminho das Camboas estende-se ao longo da Avenida do Campo do Castelo, em Vila Praia de Âncora, sempre junto ao mar, proporcionando uma via agradável para passear e sentir a brisa marítima. O nome de Camboas explica-se pela proximidade do mar e dos pescadores, pois camboas são instrumentos de pesca, construídos na costa marítima. Para além de estar devidamente sinalizada iluminada em toda a extensão da via, o percurso possui ainda áreas de lazer, com parque de estacionamento para bicicletas." 1  (Porto e Norte, 2016) 
 

  • Localização: Vila Praia de Âncora;
  • Início: Cruz Velha, junto ao nó de Camboas;
  • Fim: Portinho de Pesca, junto ao Forte da Lagarteira;
  • Extensão: 838 metros;
  • Acessos: Com ligação a passadeiras à cota da ecovia, Rodoviária EN13; Ferroviário: CP Linha do Minho, saída em Âncora-Praia;
  • Coordenadas GPS: Início: N 41. 49267208.522459; Fim: N 41. 46570308.52168;

 

  • Vegetação dunar;
  • Tarambola-cinzenta;
  • Pilrito-sanderlingo;
  • Ostraceiro;
  • Sítio de Importância Comunitária do Litoral Norte, da rede Natura 2000;

 

  • Forte da Lagarteira;
  • Portinho de Pesca;
  • Praia de Vila Praia de Âncora;
  • Capela da Senhora da Bonança;
  • Parque de merendas do Campo do Castelo, na envolvente do Portinho de Pesca;

 

  • Robalo escalado do Mar da Ínsua;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo à moda do Portinho;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à Bordalesa;
  • Camarão da Pedra;
  • Sardinha de rabito ao alto;

 

  • Vila Praia em flor, 1 fim de semana de maio;
  • Festa do Mar e da Sardinha, 2 quinzena de julho;
  • Viagens à Terra Nova, último fim de semana de julho;
  • Festa de Nossa Senhora da Bonança, 2 fim de semana de setembro;

Galeria de fotos da Ciclovia Caminho das Camboas

Ecovia de Santo Isidoro - Moledo1

A Ecovia de Santo Isidoro, em Moledo, faz parte da Ecovia do Atlântico, sendo partilhada por muitos peregrinos, começa por desvendar ao fundo o forte Monte de Santa Tecla - A Guarda, já na Galiza Espanhola. Seja com sol, encoberta por espessas ou sinuosas neblinas, esta icónica montanha com a sua beleza, tolda-nos os sentidos e nos faz continuar a viagem com relutância.

Ecovia de Santo Isidoro - Moledo

"A Ecovia de Santo Isidoro une as freguesias de Moledo e Vila Praia de Âncora ao longo da orla costeira, sendo um percurso partilhado pelo peão e pela bicicleta. Inicia a sul do principal aglomerado urbano de Moledo, onde pode ser observado uma grande diversidade de espécies de flora dunar, prolongando-se ao longo da costa rochosa, amplamente exposta à brisa marítima, onde ocorre vegetação específica abrigada em pequenas fendas.

Com excelente vista para o Monte de Santa Tecla e a Praia de Moledo aos seus pés, este percurso é o ideal para longas caminhadas à beira-mar ao fim da tarde, com o pôr do sol como pano de fundo. É um percurso que, dada a sua localização, proporciona um contacto privilegiado com a natureza." 1 (Porto e Norte, 2016)

 

  • Localização: Moledo;
  • Início: Moledo - Praia de Moledo, junto à Ribeira das Preces;
  • Fim: Moledo - junto à Capela de Santo Isidoro, no limite de Vila Praia de Âncora;
  • Extensão: 2.13 Km;
  • Acessos: A28, saída Moledo; rodoviário: EN13; Ferroviário: CP Linha do Minho, saída em Moledo;
  • Coordenadas GPS: Início: 41º '50' 47.3 N 8º '51' 59.2 W; Fim: 41º '49' 47.2 N 8º '52' 28.9 W;

 

  • Vegetação dunar;
  • Gaivota-argêntea;
  • Corvo-marinho-de-faces-brancas;
  • Borrelho-de-coleira-interrompida;
  • Ostraceiro; 

 

  • Capela de Santo Isidoro;
  • Praia de Moledo;
  • Miradouro da Fraga;
  • Miradouro do Sino de Mouros;
  • Mata Nacional de Camarido;

 

  • Robalo escalado do Mar da Ínsua;
  • Carro de sapateira;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo da Costa;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à Bordalesa;
  • Cabrito à moda da Serra D'Arga;
  • Camarão da Pedra;

 

  • SonicBlast, 2º fim de semana de agosto;
  • Festa da Senhora de Ao Pé da Cruz, 1º fim de semana de agosto;
  • Feira Medieval, 2 quinzena de julho;
  • Artbeerfest, julho;

Capela de Santo Isidoro - Moledo

Capela de Santo Isidoro - Ecovia de Santo Isidoro - Moledo

Foi com agrado que verificamos que a Capela de Santo Isidoro, desde a nossa última visita em 2019, sofreu restauros, perdendo a sua cor branca deslavada e exibindo agora o seu tom pardacento das pedras graníticas. O adro envolvente foi também requalificado e os peregrinos e caminhantes que agora passam ficam com uma impressão reforçada.

"A capela de Santo Isidoro assume-se como um marco inquestionável de passagem e paragem dos peregrinos, construída em tempos de seca e falta de alimentos. Localizada junto à orla marítima, com um alpendre de três águas, assente em pilares de granito, suportados por uma repisa de alvenaria, a capela de Santo Isidoro deve ter origem românica, a julgar pela sua construção e aparelho.

Outrora deveria ter sido uma capela de "portas abertas" visto que as paredes interiores laterais da nave se encontrarem rodeadas de bancos em pedra, para descanso ou pernoite. A ermida acolhe as imagens de Santiago Peregrino e de Santo Ovídio, sendo este último, segundo a sua hagiografia, que foi enviado pelo Papa Clemente I para Bracara Augusta, tornando-se no seu terceiro bispo pelo ano de 95 e, posteriormente, mártir em 135.

A festa de Santo Isidoro realiza-se anualmente no dia 25 de julho, neste mesmo dia de festa e na terça-feira das ladainhas procedia-se à recolha de escolas que revertiam em favor de todos os mais pobre que em semelhantes dias se achavam presentes de diversas partes pelo antiquíssimo costume em que estão de receber. entre eles, eram distribuídas escolas aos frades de Nª Srª de Ínsua e aos pobres da Santa Casa da Misericórdia de Caminha." 7

Miradouro da Fraga - Vilarelho - Caminha

Miradouro da Fraga - Vilarelho - Caminho

O Miradouro da Fraga fica localizado em Vilarelho, na Rua Miradouro da Fraga, 10 - Caminha, permitindo apreciar o estuário e foz do Rio Minho, a Mata Nacional do Camarido, o imponente Forte da Ínsua, perdido no meio do mar e o Monte de Santa Tecla - A Guarda - Galiza - Espanha, que não escolhe hora do dia ou meteorologia para exibir a sua grandeza, beleza e lança olhares provocadores para o nosso Portugal.

Galeria de fotos da Ecopista de Santo Inácio - Moledo

Ecovia Caminho do Sargaceiro - Moledo1

Por estas costas, tanto em Portugal como em Espanha, é comum encontrarmos homens e mulheres na apanha do sargaço, que dizem ser bom para a agricultura e cosméticos e se encontram no verão espalhados pela areia a secar. Deve ser a conjugação do sargaço, com o sal marítimo que nos dá este sabor salgado a mar, diferente na nossa costa vareira e que gostamos de tomar. 

Ecovia Caminho do Sargaceiro - Moledo - Mulheres apanhar sargaço em Moledo

"A Ecovia Caminho do Sargaceiro pertence à Ecovia do Atlântico e une as freguesias de Moledo a Vila Praia de Âncora. O nome dado a este percurso é uma homenagem ao sargaceiro, uma figura tão tradicional na região, associada à apanha do sargaço, utilizado pela população, para a cama dos animais e adubagem dos terrenos agrícolas. 

Trata-se de um percurso partilhado entre peões e bicicletas devidamente identificado com sinalização vertical e delimitado pela via rodoviária, usufrui de iluminação pública em toda a sua extensão. De dia ou de noite, o mar far-lhe-á companhia ao longo de todo o percurso. Especialmente quando o sol se põe, este percurso garante-lhe o mais belo pôr-do-sol." (Porto e Norte, 2016)

 

  • Localização: Moledo, Vila Praia de Âncora;
  • Início: Parte Sul do aglomerado urbano de Moledo;
  • Fim: Parte Norte de Vila Praia de Âncora, junto ao nó de Camboas;
  • Extensão: 1700 metros;
  • Acessos: A28, saída Moledo; rodoviário: EN13; Ferroviário: CP Linha do Minho, saída em Moledo;
  • Coordenadas GPS: Início: N 41.502146 0 8.521999; Fim: N 41. 493007 0 8.522080;

Sítio de Importância Comunitária do Litoral Norte, da rede Natura 2000;

  • Capela de Santo Isidoro;
  • Praia de Moledo;
  • Miradouro da Fraga;
  • Miradouro do Sino de Mouros;

 

  • Robalo escalado do Mar da Ínsua;
  • Carro de sapateira;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo da Costa;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à Bordalesa;
  • Cabrito à moda da Serra D'Arga;
  • Camarão da Pedra;

 

  • SonicBlast, 2º fim de semana de agosto;
  • Festa da Senhora de Ao Pé da Cruz, 1º fim de semana de agosto;
  • Feira Medieval, 2 quinzena de julho;
  • Artbeerfest, julho;

Ecovia de Cristelo - Cristelo1 

Ecovia de Cristelo - Cristelo

Os nossos leitores que façam estes percursos podem optar pelo percurso junto do mar, seguindo as ecovias acima referidas ou pelo interior, seguindo a Ecovia de Cristelo, da freguesia de Cristelo e Moledo e depois visitar o miradouro da Fraga. Se optar por este percurso e seguir o nosso tracking GPS, irá entrar pela parte superior de Caminha, com uma visão panorâmica sobre a cidade, antiga muralha, Rio Minho, Estuário e Rio Couras e pontes rodoviária e ferroviária.

Na nossa opinião, na primeira visita deverá seguir o trilho mais bonito, pela costa, passar pela Mata do Camarido, Parque de Campismo da Foz do Rio Minho e seguir para montante junto ao Rio Minho. Poderá, no entanto, depois de visitar esta foz tentar localizar este miradouro, o desvio não é muito grande, embora tenha uma subida de média dificuldade, vale a pena pela magnífica paisagem.  

"A Ecovia de Cristelo liga Caminha a Moledo, ideal para passeios mais tranquilos, junto à Mata Nacional do Camarido. Por estar mais abrigada do mar, pode também ser a melhor opção para passeios fora do período do verão, o pinhal é o maior escudo protetor para os ventos mais hostis. Nos dias solarengos poderá tirar partido do parque de merendas e passar o dia em contacto com a natureza." (Porto e Norte, 2016)

  • Localização: Cristelo - Caminha;
  • Início: Parte Norte junto à passagem de nível de Cristelo;
  • Fim: Parte Sul de Cristelo até às alminhas;
  • Extensão: 1 500 metros;
  • Acessos: Rodoviário: EN13; Ferroviário: CP Linha do Minho, saída em Caminha;
  • Coordenadas GPS: Início: N 41.514689 0 8.505873; Fim: N 41. 511432 0 8.512983;

 

  • Pinheiro Bravo;
  • Mata Nacional do Camarido;
  • Zona de Proteção Especial dos Estuários dos rios Minho, Couras e Rede Natura 2000;

  • Mata nacional de Camarido;
  • Miradouro do Monte de Santo Antão;
  • Miradouro da Fraga;
  • Praia de Moledo;
  • Praia da Foz do Rio Minho;

  • Robalo escalado do Mar da Ínsua;
  • Carro de sapateira;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo à moda do Portinho;
  • Solhas secas fritas à moda de Lanhelas;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à Bordalesa;
  • Cabrito à moda da Serra D'Arga;
  • Camarão da Pedra;

  • Festival de Vilar de Mouros, agosto;
  • Feira Medieval, 2 quinzena de julho;
  • Artbeerfest, julho
  • Grande Trail da Serra D'Arga, final de setembro, inícios de outubro;

Ecovia da Praia da Foz do Rio Minho - Caminha1 

Ecovia da Praia da Foz do Rio Minho - Caminha

A foz do Rio Minho é um dos pontos altos destes percursos, pela sua beleza e imensidão, pelo Forte de Ínsua, perdido com valentia no meio das águas. Aqui é um ponto de travessia do Rio Minho, existindo muitos táxis aquáticos para levar pessoas para a outra banda, na sua maioria peregrinos a caminho de Santiago de Compostela, por vezes com as suas bicicletas, como já foi o nosso caso, mas que também atravessam pelo ferry de Caminha. 

"Trata-se de um pequeno percurso ribeirinho ao longo da margem da foz do Rio Minho e orla da Mata Nacional do Camarido. Percorrendo o seu passadiço de madeira, poderá observar a riqueza da avifauna presente no Estuário do Rio Minho, sentir o cheiro da terra fresca e apreciar espécies raras como a Camarinha da Mata Nacional do Camarido. De lá se vislumbra ainda o Monte de Santa Tecla, em A Guarda, na vizinha Espanha, e a beleza da paisagem de contrastes de cores e cheiros culmina com o mais lindo pôr do sol.

Este percurso encontra-se iluminado e foi complementado com bancos e bebedouros ao longo do seu percurso pelo que, se pode usufruir dele com segurança e comodidade" (Porto e Norte, 2016)

 

  • Localização: Mata Nacional do Camarido;
  • Início: Junto à EN13;
  • Fim: Junto à praia fluvial da foz do Rio Minho;
  • Extensão: 1 020 metros;
  • Acessos: Rodoviário: EN13; CP Linha do Minho, saída em Caminha, apeadeiro da Senhora da Agonia;
  • Coordenadas GPS: Início: 41. 515705 0 8.51128; Fim: N 41. 52232 0 8.513919;

  • Pinheiro Bravo;
  • Camarinhas;
  • Vegetação dunar;
  • Mata Nacional do Camarido;
  • Zona de Proteção Especial dos Estuários dos rios Minho, Couras e Rede Natura 2000;
  • Sítio de Importância Comunitária do Litoral Norte, da rede Natura 2000;

  • Mata Nacional do Camarido;
  • Parque de Merendas da Mata Nacional do Camarido;
  • Praia da Foz do rio Minho;
  • Forte de Ínsua;
  • Miradouro da Fraga;
  • Miradouro da Boa Vista;
  • Conjunto fortificado da Vila de Caminha;
  • Torre do Relógio - Caminha;
  • Estuário e foz do Rio Minho;
  • Monte de Santa Tecla - A Guarda - Galiza - Espanha;

  • Robalo escalado do Mar da Ínsua;
  • Carro de sapateira;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo da costa;
  • Solhas secas fritas à moda de Lanhelas;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à Bordalesa;
  • Cabrito à moda da Serra D'Arga;

  • Festival de Vilar de Mouros, agosto;
  • Artbeerfest, julho;
  • Romaria de S. João D'Arga, 28 e 29 de agosto;
  • Grande Trail da Serra D'Arga, final de setembro, inícios de outubro;

Galeria de fotos da Ecovia da Praia da Foz do Rio Minho

Ecovia Caminho do Rio Minho - Seixas1

Conhecemos Seixas em julho de 2019, quando passamos umas férias em Vila Praia de Âncora e começamos a explorar esta região de bicicleta. Num destes percursos descobrimos esta terra devota de São Bento, que respeitamos pelo exemplo da sua vida de disciplina e ter criado a Regra de São Bento, conjunto de diretrizes morais e de boa conduta para os homens do clero, que moldaram a nossa história europeia e inspiraram os seus valores humanistas.

Ecovia Caminho do Rio Minho - Seixas

Romaria de São Bento de Seixas

Capela de São Bento de Seixas - Romaria de São Bento de Seixas

Este é o mesmo Santo, de São Bento da Porta Aberta, no Rio Caldo - Gerês. Foi a sorte que ditou, ou a fazer fê na mecânica quântica, forças que ainda não compreendemos, que quando conhecemos esta terra, estivessem a decorrer os festejos do seu padroeiro. À noite a sua capela e cruzeiro iluminaram-se duma forma mágica, numa das muito romarias que caracterizam o nosso povo.

Na fachada da capela painéis de azulejos retratam episódios da vida do santo, quando foi enviado para estudar em Roma e abandonou deixou os estudos, em protesto e profundamente desapontado com a devassidão e pecado da sociedade romana e se refugiou numa caverna do Monte Subiaco em Itália, onde meditou profundamente sobre o propósito superior da vida. Curioso estes painéis estarem iluminados à noite de vermelho, quando foi a luz branca divina que daquela caverna negra brotou.   

A tradição de vendas de réstias de alhos na romaria

Venda de réstias de alhos na Romaria de São Bento de Seixas

Nesta festa passeamos como romeiros e rezamos na capela, onde descansavam os santificados andores, que já tinham saído em procissão. No adro da capela, conhecemos a tradição da venda réstias de alhos, dos maiores que já vimos e regateamos com algumas vendedoras os euros que tivemos que pagar.   

"A Ecovia Caminho do Rio Minho - Seixas, une as freguesias de Seixas e Lanhelas ao longo da margem do Rio Minho, sendo um percurso partilhado pelo peão e pela bicicleta. Inicia junto à estação de caminhos de ferro de Lanhelas, seguindo para a margem do Rio Minho, onde pode observar-se uma grande diversidade de espécies de vegetação ripícola.

Entra seguidamente pelo aglomerado urbano de Seixas, onde podem examinar-se diversos edifícios de elevado valor arquitetónico. Junto ao Cais de São Bento, obtém-se uma ampla vista sobre o estuário do Rio Minho. É um percurso que, dada a sua localização, proporciona um contacto privilegiado com a natureza e com o património arquitetónico local." (Porto e Norte, 2016)

  • Localização: Seixas e Lanhelas - Caminha;
  • Início: Lanhelas, junto à estação de caminho de ferro;
  • Fim: Seixas, junto ao Cais de São Bento;
  • Extensão: 2 Km;
  • Acessos: Rodoviário: EN13;
  • Coordenadas GPS: Início: N 41.542525 0 8.474551; Fim: N 41.535091 0 8.49966;

  • Vegetação ripícola;
  • Corvo-marinho-de-faces-brancas;
  • Garça-branca-pequena;
  • Garça-real;
  • Ostraceiro;
  • Maçarico-real;
  • Maçarico-galego;
  • Maçarico-das-rochas;
  • Rola-do-Mar;
  • Guincho-comum;
  • Gaivota-argêntea;
  • Garajau-comum;
  • Guarda-rios;
  • Pato-real;

  • Capela de São Bento;
  • Igreja Paroquial;
  • Casa Ventura Terra;
  • Zona Fluvial de Recreio de Seixas;
  • Zona de Observação da fauna e flora;

  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à bordalesa;
  • Meixões;
  • Sável;
  • Robalinho;
  • Mujo "peixe branco" seco;
  • Solhas secas fritas;
  • Caldeirada de peixe;
  • Cabrito à moda da Serra D'Arga

  • Romaria a São Bento de Seixas, 11 de julho;
  • Festa do rio em Seixas, agosto;
  • Festival de Vilar de Mouros, agosto;

Galeria de fotos da Ecovia Caminho do Rio Minho - Seixas

Ecovia Caminho do Rio Minho - Lanhelas1

Em Lanhelas saímos um pouco da Ecovia, para ir visitar na encosta a Laje da Fogaça, constituído por um grande maciço de granito, com gravuras rupestres, abertas na rocha. Ali perto ergue-se o sumptuoso Cruzeiro da Independência, que celebra a nossa vitória contra o domínio filipino espanhol, entre 1580 e 1640.

Passamos junto da Sede da Corema - Movimento de Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, onde encontramos afixado um cartaz, igual a tantos outros espalhados por esta região contra a extração de lítio na Serra d'Árga.

Ecovia Caminho do Rio Minho - Lanhelas

"A Ecovia Caminho do Rio Minho - Lanhelas procura unir o concelho de Caminha, com Vila Nova da Cerveira, sendo um percurso partilhado pelo peão e pela bicicleta. Inicia no limite do concelho de Caminha, a norte, ao longo da margem do Rio Minho, onde pode observar-se uma grande diversidade de fauna e flora local, para além dos reflexos da ocupação humana, visto que o trajeto atravessa áreas agrícolas. O percurso termina na estrada do rio, em Lanhelas, onde podem ainda observar-se exemplares de embarcações tradicionais do Rio Minho, os carochos.

Dada a sua localização, este percurso combina o desporto e o lazer num ambiente natural harmonizado com a paisagem envolvente. Trata-se de um espaço perfeitamente equipado com parques de merendas e zonas de descanso, proporcionando um panorama natural de grande beleza, sendo  um local ideal para passar e relaxar. " (Porto e Norte, 2016)

  • Localização: Lanhelas - Caminha;
  • Início: Limite do concelho de Caminha com vila Nova da Cerveira;
  • Fim: Junto ao Bar do Rio em Lanhelas;
  • Extensão: 1200 metros;
  • Acessos: Rodoviário: EN13, ligação com Ecovia de Vila Nova da Cerveira;
  • Coordenadas GPS: Início: 41º "54' 56.8' N 8º 46'55.4" W; Fim: 41º "54' 38.6' N 8º 47'35.7" W;

  • Vegetação ripícola;
  • Zona de Proteção Especial dos Estuários dos rios Minho, Couras e Rede Natura 2000;
  • Sítio de Importância Comunitária do Litoral Norte, da rede Natura 2000;
  • Corvo-marinho-de-faces-brancas;
  • Garça-branca-pequena;
  • Garça-real;
  • Ostraceiro;
  • Maçarico-real;
  • Maçarico-galego;
  • Maçarico-das-rochas;
  • Rola-do-Mar;
  • Guincho-comum;
  • Gaivota-argêntea;
  • Garajau-comum;
  • Guarda-rios;
  • Pato-real;

  • Laje das Fogaças;
  • Cruzeiro da Independência;
  • Igreja Paroquial de Lanhelas;
  • Zona fluvial de Recreio de Lanhelas;
  • Zona de Observação da fauna e flora;

  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia à bordalesa;
  • Solhas secas fritas à moda de Lanhelas;
  • Cabrito à moda da Serra D'Arga;
  • Robalo escalado do Mar de Ínsua;
  • Caldeirada à Pescador Tio Feito;
  • Polvo da Costa;

  • Festa do Senhor da Saúde e Santa Rita de Cássia - Festa das Solhas, 1 fim de semana de setembro;
  • Festival de Vilar de Mouros, agosto;
  • Feira Medieval, 2ª quinzena de julho;
  • Grande Trail da Serra D'Arga, final de setembro, inícios de outubro;

Laje das Fogaças - Gravuras Rupestres - Lanhelas

Laje das Fogaças - Gravuras Rupestres - Lanhelas

A Lage das Fogaças fica situada no Monte de Góios, em Lanhelas - Caminha. Os nossos antepassados, inspirados pela visão do Rio Minho, esculpiram na tela do granítico rochedo, num afloramento de grandes dimensões, motivos geométricos e figuras de animais, únicos no território português. Apresenta um grande número de motivos zoomorfos com características clássicas da Arte Atlântica.

Muito gostaríamos de saber a fixação destes antigos artistas pelas espirais, que sempre acompanham estas artes. Pela sua riqueza e significado, esta laje deveria estar mais bem preservada, há poucas placas informativas, está mal protegida, enquadrada, com a rede que a delimita toda rebentada, sem nenhum resguardo dos elementos e por isso nos foi tão difícil encontrar os seus motivos mais interessantes, como aquela figura do que parece ser uma cabra.

"Executadas durante a Idade do Bronze, as gravuras foram descobertas na superfície de uma laje localizada num pinhal situado entre a Chã das Carvalheiras e a localidade de Lanhelas, pelo conhecido investigador Abel Viana, entre as décadas de vinte e de trinta do século XX.

Com sensivelmente duzentos e cinquenta metros quadrados de superfície, a laje apresenta uma figuração esquematizada zoomórfica de um capríneo, junto a um sulco com aproximadamente um metro e meio de comprimento, cortado por um fossete. Para além deste elemento, são ainda visíveis diversos motivos geométricos constituídos por uma figura quase retangular, a qual encerra, por sua vez, uma espiral e linhas retas e curvas. As diferenças observadas em termos de largura e de profundidade dos sulcos efetuados, a par do aparente agrupamento dos mesmos, parecem reforçar a teoria avançada anteriormente por A. Viana, segundo a qual teriam sido efetuados em épocas distintas, como parecem, aliás, indicar fatores tão essenciais, como a técnica utilizada na gravação das figurações. 

Mais recentemente, inseriu-se este arqueossítio na tipologia genérica das gravuras rupestres do Grupo I - "Antigo" ou "Clássico" - característico da Idade do Bronze do Noroeste peninsular, uma ideia que parece ser reforçada pela existência, em toda esta região, de numerosos testemunhos deste tipo de arqueossítio. [AMartins]" 2

Cruzeiro da Independência - Lanhelas

Cruzeiro da Independência - Lanhelas

Este monumento conhecido como Cruzeiro da Independência de Lanhelas, além de enaltecer as nossas vitórias nas guerras da restauração, subindo pela escadaria ao seu alto, permite perscrutar o horizonte, como os antigos marinheiros no cesto da Gávea. Em baixo cresceu a terra, onde se destaca a Igreja e junto ao Rio Minho a ecovia. Que belas paisagens vimos por todo este caminho e daqui não saíamos se não fosse querermos chegar a bom porto e contar as nossas descobertas.

"O Cruzeiro da Independência de Lanhelas impõe-se, na freguesia com o mesmo nome, quer pela imponência das duas dimensões, quer pelo significado que encerra para todos os lanhelenses. Trata-se de um monumento comemorativo das guerras da independência. Justaposto a um moinho de vento, que este monumento celebra o dia 23 de abril de 1644, que ficou na história como a data em que os habitantes de Lanhelas se defenderam, com assinalável valentia, da investida espanhola. Aliás, é neste dia também que se comemora o Dia de Lanhelas. Ao Cruzeiro da Independência estão associadas, além desta, outras datas significativas, designadamente 1140/1640 e 1940." 3 

Galeria de fotos da Ecopista Caminho do Rio Minho - Lanhelas

Ecopista do Rio Minho - Vila Nova da Cerveira - 3ª Melhor Via Verde da Europa4

Ao percorrermos a Ecopista do Rio Minho - Vila Nova da Cerveira, percebemos a razão de já ter sido considerada a 3ª Melhor Via Verde da Europa. Os aspetos que a diferenciam positivamente são a sua grande beleza e a forma como foi enquadrada harmoniosamente com o rio e natureza. Os próprios elementos arquitetónicos e paisagísticos utilizados revelam grande cuidado na sua implementação e sensibilidade no seu planeamento. Na via pode sempre consultar painéis informativos, sobre o traçado, pontos de interesse ou caracterização da fauna e flora. Não faltam parques e locais para fazer merendas e bancos para apreciar a frente ribeirinha.

Caso os nossos leitores prefiram podem apenas fazer este pequeno troço entre Vila Nova da Cerveira e Valença, ou vice-versa, porque se forem de comboio, ambas têm estações e se for um inter-regional, para nas duas. 

Ecopista do Rio Minho - Vila Nova da Cerveira

"A Ecopista – Caminho do Rio é uma vivência de contrastes da paisagem que nos mostra uma realidade diversa e nos conduz pela memória dos tempos à relação do Homem com o rio Minho, proporcionando a plena usufruição de uma ‘via verde’ que atravessa Vila Nova de Cerveira e liga este território aos concelhos de Valença e Caminha. A Ecovia ‘Caminho do Rio’, em Vila Nova de Cerveira, perfaz cerca de 13,5 km de pleno contacto com o rio Minho e natureza envolvente." 4 

  • Localização: Vila Nova da Cerveira;
  • Início: Vila Nova da Cerveira, perto da Estação CP;
  • Fim: Valença;
  • Extensão:  12.650 Km;
  • Acessos:  Rodoviário: EN13; CP Linha do Minho, saída em Vila Nova da Cerveira;

 

"As condições naturais subjacentes a este percurso permitem a presença de várias espécies de aves como o pato-real, a garça, o corvo-marinho e o guarda-rios, de mamíferos como a lontra e a marta, de anfíbios como a rã-verde, o tritão e a salamandra e de peixes como a boga, o escalo e a truta. É pela sua importância e diversidade natural que o Caminho do Rio está integrado na Rede Natura 2000 e na Zona de proteção para as Aves Aquáticas do estuário do rio Minho." 4

  • Praia da Mota;
  • Ilha da Boega (No meio do Rio Minho);
  • Ilha da Vaqueriza;
  • Ilha da Morraceira;
  • Praia fluvial de Vila Nova da Cerveira;
  • Ponte da Amizade;
  • Aquamuseu do Rio Minho;
  • Centro Histórico de Vila Nova de Cerveira; 
  • Área urbana de Vila Nova de Cerveira;
  • Parque de Lazer do Castelinho;
  • Arte Urbana;
  • Parque de Lazer da Lenta;
  • Área de apoio e descanso de Gouriz;
  • Furna;
  • Parque de lazer de Montorros;
  • Pedras do Areeiro;
  • Laboratório de Cycling & Walking;

  • Veado do Bosque;
  • Cabrito das Terras Altas do Minho;
  • Mel das Terras Altas do Minho;
  • Arroz de Lampreia;
  • Lampreia refogada;
  • Debulho de Sável do Rio Minho;
  • Tainha assada no forno;
  • Biscoitos de Milho;

  • N.ª Sra. da Ajuda - Vila Nova de Cerveira - de 6 a 8 de Setembro;
  • Procissão da Quinta-feira Santa - Vila Nova de Cerveira - Quinta-feira Santa;
  • Procissão do Enterro - Vila Nova de Cerveira - Sexta-feira Santa;

Projeto Aldeias do Alto Minho - Cycling & Walking - São Pedro da Torre - Valença

Igreja Matriz de São Pedro da Torre - São Pedro da Torre - Valença

Nos diversos percursos fomos encontrando muitos motivos de interesse, aqui só relatamos os que decidimos visitar, como esta freguesia de São Pedo da Torre, que faz parte deste projeto das Aldeias do Alto Minho. 

"As Aldeias do Alto Minho - Cycling & Walking, englobam um conjunto de recursos naturais e turísticos, cuja atratividade é inegável e passível de visitar. São Pedro da Torre é uma freguesia de Valença, situada junto ao rio Minho, com importância em vários aspetos históricos, como, a Guerra da Restauração, com mais impasse nas zonas de fronteira e confluência com o rio Minho.

Dizem que em tempo foi Vila, mas a freguesia está cheia de património para visitar. Há quem diga que por aqui passava a estrada real, a antiga via romana <<per loca marítima>>, que vinha desde Braga e seguia para Vigo. As duas magníficas pontes de arquitetura romana, uma no lugar da Ponte e outra na veiga da Mira, confirmam a via romana, assim como, esta via, dá palco ao Caminho de Santiago." 8

Parque do Santuário da Senhora da Cabeça - Valença

Ao chegarmos ao Parque do Santuário da Senhora da Cabeça - Valença, ainda tivemos força para subir as altas escadarias para pedir respeitosamente à Santa que nos conceda saúde, principalmente a da cabeça, porque na verdade por vezes metemo-nos em loucas aventuras, mas que ninguém tenha pena, se um dia correr mal, vamos em paz a fazer o que gostamos, ninguém tenha pena, porque é a nossa missão e está na nossa natureza.

Escadarias do Santuário da Senhora da Cabeça

"Junto ao Rio Minho, o Parque da Senhora da Cabeça é um frondoso e convidativo parque de merendas. O Santuário da Senhora da Cabeça, templo de devoção, o célebre Lanço da Cruz, na segunda-feira de Páscoa, o rio Minho e a Ecopista são atrativos que tornam este local único." 5

Fortificações da Praça de Valença do Minho

Fortificações da Praça de Valença do Minho

Entrar na cidade de Valença e vencer o perímetro das suas muralhas é sempre algo que nos toca profundamente pela sua importância histórica, beleza e austeridade. Foi difícil escolhermos o caminho, não sabíamos se deveríamos contornar as muralhas pelo exterior, por um percurso em terra batida, em direção ao rio ou entrar para a cidadela interior. Resolvemos entrar na terra, por uma porta na muralha, esperando que o semáforo mudasse de vermelho para verde, coisa que na idade média os nobres cavaleiros ou odres invasores não tinham que gramar.     

"Fortificação construída entre a segunda metade do séc. XVII e a primeira metade do séc. XVIII, com traçado abaluartado e de grande importância estratégica, já que, juntamente com a fortaleza de Viana, Caminha e Monção, constitui uma das quatro grandes fortalezas em que assentava a defesa do noroeste português. De facto, a praça de Valença constitui uma das mais importantes da época no panorama nacional, caracterizando-se, segundo Rafael Moreira, por uma planta sofisticada com impressionante sobreposição de recintos fortificados e obras defensivas ao longo da encosta, de modo a tirar o máximo proveito das condições topográficas." 9

Galeria de fotos da Ecopista do Rio Minho - Vila Nova da Cerveira

Ecopista do Rio Minho - Monção1

Esta Ecopista do Rio Minho, que faz a ligação entre Valença e Monção, por se tratar do traçado da antiga linha férrea, desvia-se um pouco do rio. Apesar de tudo a sua beleza mantém-se e abre caminho por terrenos agrícolas, arvoredo e antigas povoações. O aspeto menos positivo comum a outras do género é o estado de algumas da antigas estações e apeadeiros, mas entendemos que nem tudo é possível recuperar.

Ecopista do Rio Minho - Monção

"O troço ferroviário que ligava Monção e Valença foi desativado há vários anos, sofrendo uma progressiva degradação pela ausência da sua utilização. Os Municípios de Monção e Valença celebraram protocolos, com a REFER para que, no referido troço, fosse construída uma ecopista destinada a passeios de bicicleta e pedonais. Ao longo do percurso os painéis de interpretação e toda a sinalética fornecem os elementos necessários para os seus utentes, na ausência de guias, possam compreender os recursos culturais, naturais e paisagísticos existentes.

A ecopista proporciona passeios por vinhedos, campos de cultivo e contacto com o rio Minho. A morfologia do terreno permitiu a construção de alguns miradouros com vistas panorâmicas para o rio e para as veigas. As pesqueiras, as praias e ínsuas, inseridas na Rede Natura 2000 e todo o património edificado são completos enriquecedores para quem caminhe ou pedale." (Porto e Norte, 2016)

  • Localização: Monção - Valença;
  • Início: Pedra Furada, Vila - Monção;
  • Fim: Casa da Linha, na Ponte Seca, Valença;
  • Extensão: 17 km;
  • Acessos: Começa em Monção na Pedra Furada, com acesso à "Porta de Salvaterra" (uma das cinco portas da fortaleza abaluartada de Monção) e prolonga-se em direção a Valença, encontrando-se com o percurso valenciano na fronteira dos dois concelhos entre Lapela e Friestas. Outros acessos relativos a Monção: na Lodeira, no antigo cais, junto à Quinta da barca e no Apeadeiro da Nossa Senhora da Cabeça em Cortes;
  • Coordenadas GPS: Início: 42º 4'49.51" N 8º29'6.78" W (Monção); Fim: 42º 2'87.69" N 8º6'36.71" W (Velença);

  • Rede natura 2000;
  • Garça-real;
  • Milhafre-preto;
  • Cegonha preta;
  • Pato real;
  • Sapo-parteiro-comum;
  • rã-ibérica;
  • rã-verde;
  • Amieiros;
  • Bordo negundo;
  • Plátano bastardo;
  • Bétula;
  • Lodão;
  • Cipreste-da-Califórnia;
  • Cipreste;
  • Freixo comum;
  • Freixo;
  • Alfarroba doce;
  • Loureiro;
  • Plátano;
  • Choupo cinzento;
  • Choupo de Itália;
  • Choupo tremedor;
  • Carvalho vermelho;
  • Cerejeira;
  • Salgueiro branco;
  • Borrazeira-preta;
  • Salgueiro;
  • Tramazeira;
  • Cipreste-de-folha-caduca;
  • Madressilva-de-jardim;
  • Videira;

  • Parque de merendas - Lapela;
  • Parque de merendas de Nossa Senhora da Cabeça - Cortes;
  • Parque de merendas do Parque das Caldas, Vila - Monção;
  • Torre de Menagem e Núcleo Museológico do Castelo da Lapela;
  • Pesqueiros do Rio Minho (pequenas construções de pedra antigas no rio) - Cortes, Troporiz e Lapela;
  • Curso Intencional do Rio Minho, Cortes, Troporiz e Lapela;
  • Capela e Apeadeiro da Nossa Senhora da Cabeça, Cortes;
  • Posto Alfandegário, Lodeira, atualmente a sede do Núcleo ASPEA - Monção, Centro de Educação Ambiental, Observação e Interpretação da Natureza;
  • Ribeirinha;
  • Muralhas de Monção;
  • Centro Histórico de Monção;
  • Museu do Alvarinho;
  • Arquivo Municipal de Monção;
  • Termas de Monção;

  • Lampreia à moda de Monção;
  • Cordeiro à moda de Monção;
  • Barrigas de freira;
  • Roscas;
  • Rosquilhos;
  • Papudos;
  • Vinho Verde Alvarinho;

  • Rali à Lampreia, último fim de semana de fevereiro;
  • Festa da Coca e do Corpo-de-Deus, 60 dias após a Páscoa;
  • Feira do Alvarinho, 1º fim de semana de julho;
  • Festival do Cordeiro à Moda de Monção, 1º e 2º fim de semana de outubro;

Torre da Lapela - Monção, apelidada de Torre de Belém do Minho

Torre da Lapela - Monção

Ao passar no junto do antigo apeadeiro da Lapela, irá surpreender-se para os lados do rio, com uma imponente torre em pedra, que se ergue sobre o casario da terra, que merece uma visita. Esta é antiga torre de menagem de um castelo que outrora aqui existiu e que agora viu brotar da sua base bonitos canastros. Quem tiver vontade e pernas, pode subir fortes laços de escadas e apreciar a vista das suas muralhas, como os antigos soldados vigiar aproximação de tropas castelhanas e dar o alerta à guarda. No seu interior pode ver apresentações em vídeo sobre a sua história, cópias de documentos e informação sobre a razão de ter sido espoliado das suas muralhas. 

"Como a modesta povoação da Lapela fazia parte da cortina defensiva da fronteira setentrional portuguesa, foi dotada de um castelo, cuja fundação é atribuída ao reinado de D. Afonso Henriques. O castelo foi demolido em tempos de D. João V (1706) para auxiliar na reconstrução da Praça vizinha de Monção. Ficou então sozinha a torre de menagem, que ainda hoje permanece em pé, tendo sido apelidada no Minho pitoresco, como a Torre de Belém do Minho.

A Torre de Menagem de Lapela, conhecida como a melhor varanda sobre o rio Minho e agora batizada como Núcleo Museológico Torre de Lapela, mantém a sua postura imponente e mostra uma silhueta ainda mais atraente, para receber munícipes e visitantes, garantindo um maior contacto com a história do nosso concelho. Inaugurada no dia 27 de maio de 2016, esta valência turística do concelho de Monção englobou a restauração da torre de menagem, a beneficiação do pavimento envolvente e a valorização dos canastros existentes, proporcionando uma paisagem deslumbrante sobre o rio Minho, o casario tradicional de Lapela e a margem galega. Neste edifício carregado de histórias e memórias, pretendeu-se, através desta intervenção, a criação de uma imagem renovada de todo o interior, criando-se um espaço funcional, para os visitantes, e mais um elemento de promoção cultural do concelho, desta vez, debruçado sobre o troço internacional do rio Minho." 6

Fortificações da Praça de Monção

Fortificações da Praça de Monção

"Arquitetura militar, seiscentista. Fortaleza fronteiriça de planta poligonal composta por 10 baluartes, irregulares e dispostos assimetricamente, e um meio-baluarte a NO., virando-se este e seis baluartes ao rio, a N., e os restantes a terra, sendo unidos por cortinas predominantemente retas, apresentando alguns falsas-bragas. Paramentos das cortinas e baluartes em talude, com a escarpa exterior de duas secções escalonadas, em alvenaria de pedra irregular, e cunhais aparelhados, coroados por cordão e parapeito liso ou com canhoneiras na linha baixa de defesa, tendo nos ângulos flanqueados guaritas facetadas, assentes em mísulas facetadas, tal como a cobertura em cúpula.

Possui três portas, a de Salvaterra, inicialmente com ponte levadiça, com arco de volta perfeita entre duplas pilastras toscanas, suportando frontão semicircular, com brasão nacional no tímpano; a porta do Rosal, em arco de volta perfeita assente nos pés-direitos, encimada por guarita, com trânsito rasgado por frestas de tiro, porta dupla, coberto por abóbada de berço e flanqueado por casamatas, acedidas por portais a partir do trânsito ou pelo terrapleno, onde são contrafortes; e as portas das Caldas duas poternas em arco de volta perfeita sobre os pés-direitos, com trânsitos igualmente abobadados." 9

Passeio Fluvial de Salvaterra - Monção

Passeio Fluvial de Salvaterra - Monção

Quando percorrer a Ecopista do Minho, se for no sentido Valença - Monção, no final pode virar à esquerda, num caminho assinalado que o leva à Ponte Internacional, que faz a ligação com Espanha. Este percurso junto do Rio Minho toma a designação de Passeio Fluvial de Salvaterra, podendo entrar para o interior da cidade, por uns passadiços que o conduzem até à "Porta de Salvaterra", uma das três da fortaleza. Se tiver tempo explore este passeio que tem muitos pontos de interesse, nós havemos de regressar para o conhecer mais pausadamente.

"Olhando para as muralhas de Monção desde a margem norte do rio Minho, o Passeio Fluvial de Salvaterra leva o visitante por um caminho sem igual. Passeando pelo parque "A Canuda", chega-se à desembocadura do rio Tea, sinalizado pelas ilhas de Fillaboa e A Espanõla. Subindo pelo afluente, num trilho bucólico com o mesmo nome do rio, pode-se visitar as vinhas da quinta de Fillaboa, onde se produzem vinhos brancos e alvarinhos (Albarinõs)." 10

Galeria de fotos da Ecopista do Minho - Monção

Ecopista Vila Nova da Cerveira - Monção

Esta ecopista é a junção das duas anteriores, com cerca de 30 km, para os amantes do ciclismo e BTT, que queiram fazer o trajeto maior, entre Vila Nova da Cerveira e Monção. Quando chegar ao final da ecopista, perto de Monção, na rotunda pode seguir em frente por estrada, até ao centro da cidade ou optar virar à esquerda na ecopista, por um caminho que o levará à ponte internacional. Seguindo em frente pelo Passeio Fluvial de Salvaterra, junto ao Rio Minho, entrará na cidade subindo uns espetaculares passadiços, passando pela "Porta de Salvaterra", na muralha, uma das três portas da Fortaleza de Monção.

  • Localização: Vila Nova da Cerveira - Monção;
  • Início: Vila Nova da Cerveira ou Monção;
  • Fim: Vila Nova da Cerveira ou Monção;
  • Extensão: 30 km;
  • Acessos: Rodoviário: EN13; CP Linha do Minho, saída em Vila Nova da Cerveira,

 

  • Galeria Ripícola;
  • Aves junto do Rio Minho, com destaque para a Garça-real e Guarda-rios;

Troço Vila Nova da Cerveira-Valença

  • Vila Nova da Cerveira;
  • São Pedro da Torre - Projeto Aldeias do Minho;
  • Pesqueira de S. Pedro da Torre;
  • Veiga da Mira;
  • Cristelo Côvo;
  • Ponte Romana;
  • Ponte Internacional;
  • Parque da Srª da Cabeça;
  • Pesqueira de Cristelo Côvo;
  • Muralhas baluartes de Valença;
  • Museu Ferroviário de Valença;
  • Estação dos Caminhos-de-ferro de Valença;
  • Centro de Interpretação da Ecopista - Valença;

Troço Valença-Monção

  • Miradouro dos vinhedos de Ganfei;
  • Apeadeiro de Ganfei;
  • Convento de Ganfei
  • Capela de São Teotónio;
  • Estação de Ganfei;
  • Parque de Merendas de Verdoejo - Verdoejo;
  • Ínsua de Conguedo - Verdoejo;
  • Estação de Verdoejo;
  • Pesqueira de Gingleta - Verdoejo;
  • Adro Velho - Verdoejo;
  • Pelourinho do Couto- Verdoejo;
  • Estação de Friestas - Friestas;
  • Pesqueira de de Friestas - Friestas;
  • Ponte Metálica do Rio Manco - Friestas;
  • Miradouro - Friestas;
  • Portões dos Castros - Friestas;
  • Monumento a Lindberg - Friestas;
  • Parque de merendas da Lapela - Lapela;
  • Torre de Menagem - Lapela;
  • Quinta do Tesoureiro - Lapela;
  • Estação da Lapela;
  • Pesqueiras do Rio Minho, Cortes, Troporiz e Lapela;
  • Curso Internacional do Rio Minho;
  • Foz do Rio Gadanha - Troporiz;
  • Capela de Nossa Senhora da Cabeça - Cortes;
  • Apeadeiro de Nossa Senhora da Cabeça - Cortes;

  • Veiga da Mira, entre São Pedro da Torre e Cristelo Côvo. "A Veiga da Mira constitui um ecossistema ímpar na área de estudo. Correspondendo a cerca de 300 ha de linhas de água, lagoas temporárias, bosques palustres e campos agrícolas ladeados por sebes vivas, que apresentam no seu todo uma elevada biodiversidade e muita relevância para a conservação de aves aquáticas invernantes. Justifica-se assim a sua proteção, através de diferentes diplomas como a Rede Natura 2000. Reserva Ecológica e Agrícola Nacional e Domínio Público Hídrico." 6
  • Curso Internacional do Rio Minho, entre Cortes, Troporiz e Lapela. "Uma presença constante no percurso entre Cortes, Troporiz e Lapela. Para reter a magnífica beleza paisagística que podemos usufruir da ponte sobre o Rio Gadanha e do miradouro situado alguns metros à frente. Para lembrar, as histórias tempestuosas dos povos que a política dividiu e a sobrevivência uniu." 6

Traikings com os ficheiros para o seu dispositivo GPS

Abaixo disponibilizamos dois arquivos para o ajudar nos seus percursos, em vários formatos, uma imagem com o mapa do percurso, arquivos para o seu aparelho GPS: csv, fit, gpx, kml e tcx. O primeiro com cerca de 27 Km e o segundo 80 km.

Download do traiking do percurso Vila Praia de Âncora - Vila Nova da Serveira

Download do traiking do percurso Moledo - Monção

O regresso Ovar de comboio 

Bicicletas do Ondas da Serra, no interior do comboio na estação de Valença

Regressamos Ovar num comboio direto inter-regional, que partiu de Valença às 18h05, com grande comunidade e felizes numa daquelas aventuras que nos enche a alma. 

Leia também: MELHORES ECOVIAS PARA SUPERAR COM GARRA A NORTE DE PORTUGAL

Créditos e Fontes pesquisadas

Texto: Ondas da Serra com exceção do que está em itálico e devidamente referenciado.

Fotos: Ondas da Serra.

1 - Porto e Norte (2016). Ciclovias Ecopistas e Ecovias Norte de Portugal. tpnp@2016;
2 - patrimoniocultural.pt;
3 - portoenorte.pt;
4 - cm-vncerveira.pt;
5 - visitvalenca.com;
6 - Câmara Municipal de Monção;
7 - Câmara Municipal de Caminha;
8 - Câmara Municipal de Valença;
9 - monumentos.gov.pt;
10 - UNIMINHO;

Lida 675 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Novas Ecopista de S. Pedro do Sul e Ecopista de Vouzela

Novos percursos da Ecopista do Vouga | Ecopista de São Pedro do Sul e Ecopista de Vouzela

O Ondas da Serra regressou de bicicleta à Ecopista do Vouga, para conhecer a Ecopista de São Pedro do Sul e a mais recente Ecopista de Vouzela, que também aproveitaram o antigo percurso ferroviário. O caminho que escolhemos começou na Serra da Freita e terminou na estação ferroviária de Macinhata do Vouga. Neste artigo vamos contar-lhes a nossa aventura através dum percurso espetacular que também pode fazer pelos melhores trilhos de Viseu e Aveiro.

Melhores ciclovias ecopistas ecovias no Norte de Portugal

As pessoas estão de regresso à natureza, procurando trilhos para fazer a caminhar ou de bicicleta. Por esta razão ao longo dos anos temos vindo a explorar as melhores Ciclovias, Ecopistas e Ecovias do Norte de Portugal. Esta demanda das pessoas levou à criação de belos percursos, que atravessam locais magníficos, junto de rios, rasgando serradas montanhas, tocando o céu ou beijando o mar. Em alguns casos por onde resfolegava comboios a vapor, agora gritam crianças caminhando ao lado dos pais ou pedalando forçosos grupos de ciclistas, trazendo vida a terras que já estavam esquecidas pelo tempo. Neste artigo mostramos-lhe algumas das nossas aventuras por estes trilhos e como fomos felizes a percorrer algumas das mais icónicas e premiadas.

Ecopista Póvoa do Varzim-Famalicão novo desafio aliciante

No dia 10 de julho de 2021, o ramal ferroviário que liga Póvoa do Varzim a Vila Nova de Famalicão voltou a expelir fuligem e a resfolgar de vapor, não das antigas locomotivas, mas da nova vida que ganhou. Encerrado ao tráfego em 1995, regressou da reforma para se ver transfigurado numa atrativa ecopista, por onde passam graúdos e miúdos, a caminhar ou a correr, montados em bicicleta de todos os tamanhos e feitios, empurrando carrinhos de bebé, uns mais lentos outros mais rápidos, mas todos cheios de vida e com vontade de ver as bonitas vistas sem comprarem bilhete.